Corte nos juros tem mais “agora vai” do que fundamentos reais

O experiente José Paulo Kupfer, com décadas de olhar da janela sobre a economia, diz, no UOL, que o “corte na Selic sinaliza descrença do BC em reação mais forte da economia“.

Ou seja, que o “agora a coisa vai” que foi o mantra do “mercado”, não foi ou está indo na base do “devagar , quase parando”.

Além da crise do coronavírus, que reduzirá, no curto prazo, a demanda chinesa, afetando, negativamente, produção e vendas mundo afora, dificuldades causadas pelo longo período de recessão – e, depois, de “quase recessão” – na economia brasileira, estariam se mostrando como obstáculos à recuperação mais acelerada que chegou a ser prevista no fim de 2019…

Verdade, mas não toda a verdade.

A verdade é que o parco equilíbrio que a economia vem apresentando nos seus grandes números tem encoberto aquilo que foi, em outras épocas, o “quebra-mar” das ondas externas.

O mercado interno não se expande, a não ser por espasmos como os da liberação eventual- com Temer e com Bolsonaro – de recursos estocados no FGTS ou no PIS. A indústria cai, as exportações (com os reflexos internos) cai e o fluxo financeiro igualmente embica para baixo.

No primeiro dia útil de fevereiro (3), os investidores estrangeiros venderam R$ 2,3 bilhões em ações na Bovespa.

Amanhã sai o IPCA de janeiro que, mesmo com a queda de preços da carne, deve ficar ligeiramente acima de 0,5%, dois décimos acima do índice de janeiro de 2019.

O que nos deixa, ao menos nos índices passados (no jargão dos economistas, ex-post) com uma taxa de juros negativa.

O equilíbrio econômico brasileiro, ao contrário de ser um ponto e apoio para uma retomada econômica consistente, cada vez mais se assemelha a um beirada de precipício.

Verdade que a mídia não nos deixa olhar para ele e, portanto, reduz-nos o medo.

Ontem, ao voltar do mercado, uma jovem, moça de boa aparência, pedia dinheiro para comer. Hoje, no Metrô, um homem de pouco mais de 50 anos, também.

Já são 13,5 milhões de miseráveis no Brasil, 6,5% da população, vivendo com menos de R$ 145 mensais. 4,5 milhões a mais do que em 2014.

Eles estão fora das análises econômicas, mas existem.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

17 respostas

  1. Ouvi hoje uma entrevista do economista da Câmara de Indústria e Comércio de Caxias do Sul. O sujeito falou várias vezes no quadro positivo da economia.
    Isso depois dele próprio apresentar dados de um desempenho pífio da economia da cidade. Negativo se descontada a inflação. De redução de empregos na indústria e apenas 2 centenas de vagas abertas no comércio. Depois de dizer que há na cidade (de meio milhão de habitantes) 24 mil desempregados e que a geração total de empregos na cidade em 2019 foi de apenas 100 novas vagas. Depois de dizer que as exportações da cidade caíram 25% em 2019 e de ter atribuído essa queda às crises argentina e chilena (ocasionadas pelo neo-escravagismo liberal, que ele elogiava como a salvação do Brasil).
    É esse tipo de gente que alardeia o “agora vai” (pro brejo). Dizer que isto é burrice ou desonestidade intelectual não basta. São uns cínicos que conscientemente difundem um embuste para justificar este programa econômico que nada mais é do que uma guerra dos ricos contra os pobres e que é imposto de forma subserviente ao imperialismo e seu projeto neo-colonial.

    1. E q tem eleiçao minicipal final do ano e eles querem distancia do pt
      E tem apoio da imprensa q vive de anuncio de predio q vai ser vendudo p lavar dinheiro

    2. Estou começando a achar que não é nem burrice, nem desonestidade intelectual. Acho que essas pessoas ficaram tão desesperadas e tão sem ação diante do que está acontecendo, que surtaram e agora vivem num mundo de ilusão. Olham para a frente e o que pensam ser uma luz no fim do túnel não passa de alucinação criada por suas mentes.

  2. Era só tirar os “comunistas” do poder que o país ia “bombar”
    Lembra o que diziam os cretinos da imprensa amiguinhos dos patrões quando da “reforma trabalhista” de Temer?
    O que diziam também com a reforma previdenciária do psicopata?
    Não salva um único golpista sem-vergonha nessa nossa “grande imprensa”.

  3. Nossos sábios do Mercado ao invés de trabalhar com conceitos como a armadilha da liquidez ou a destruição criativa preferem mesmo é trabalhar na prática com a armadilha da estupidez ou com a destruição DESTRUTIVA (P.E.M.). Eles se creem cirurgiões precisos mas não passam de especialistas em indução ao coma, o único probleminha é que não têm a mais puta ideia de como tira o “paciente” desse estado vegetativo persistente, desse estado de inconsciência profunda. Haja paciência não é mesmo!?

        1. O fato mais perverso é que esses são justamente os efeitos perseguidos por esses “sábios”. O plano é colocar o país na lona para “vender” barato nossos recursos naturais, arrecadando o suficiente apenas para garantir que uns 30 milhões de pessoas da classe média alta para cima, “formadores de opinião,” fiquem remediadamente inseridas no mercado de consumo de bens e serviços, só que agora com amplas e renovadas possibilidades neo-escravistas de exploração dos 180 milhões de excluídos restantes.

  4. Na verdade, os grandes capitalistas não são mais capitalistas, mas sim rentistas. Para eles, quanto mais crise, melhor, pois eles ganham mais. Só que isso não acaba bem, acabe em crash.

  5. Pequeno apt de vila com 60m2 na Rua Ana Neri, região simples do Rio, “valia” R$ 240 mil até 2014. Em novembro de 2019 valeu R$ 160 mil…
    Agradeço aos golpistas, em especial, aos parentes golpistas do Rio, Porto Alegre e Salvador que nos fizeram perder R$ 80 mil.

  6. Baixos salários é causado pelo desemprego pois aceita-se o que tiver pagando, ótimo para o empresário de idéias curtas, parece que sobrarâ mais para ele, no entanto vende menos, e as vezes quebra. Vivem mais de sonegar impostos do que de competência. É são bolsonaristas é claro.

  7. Enquete: Quantos empresários, que estavam ficando ricos nos governos PT, fecharam seus negócios? Quantos ainda não fecharam, mas vão fechar? Quantos continuam a favor do golpe?
    Minhas previsões: 300 mil; 100 mil; 100%.
    Golpistas antes de tudo!

  8. Bem aí uma nova fornada de “fake news”, necessária para manter o gado assoviando de felicidade!

  9. O mercado externo não se expande, a indústria cai, as exportações caem, o fluxo financeiro embica para baixo, os investidores estrangeiros vendem suas ações no Bovespa… O corte na taxa Selic vai ter efeito quase nulo nisso tudo.
    Mas essa parte de ver cada vez mais pessoas, agora inclusive aquelas parecidas com as do nosso círculo, pedindo dinheiro para comer é de chorar.

  10. Agora que a taxa Selic caiu 0,25% a coisa vai (mesmo que empurrada pro mais no meio do brejo. O pessoal do agronegócio já estão sentindo no lombo o desespero por ter ajudado a eleger um asno, Mas, a partir de M
    Março é que o “bicho” vai pegar mesmo.
    Eita dôr de Corno,

  11. E o problema nem são os desempregados apenas, ou alguém acredita que uma multinacional de comida ruim pagar 600 reais por mês para um jovem liga daria melhores condições para viver???
    Vergonhoso um governo permitir a exploração de seu povo dessa forma……

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.