Demagogia previdenciária

O anúncio de que 7 mil militares da reserva serão chamados para uma “força tarefa” (desconfie sempre quando ouvir este nome) destinada a desmontar o represamento de mais de dois milhões de aposentadorias do INSS é mais uma patacoada demagógica deste governo.

É inacreditável que uma crise envolvendo mais de 2 milhões de pessoas – a grande maioria pobres, idosos ou inválidos, como se vê nas filas – sirva para Jair Bolsonaro arranjar uma “boquinha” para militares da reserva, como vem tentando desde o início de seu mandato (leia aqui).

Os militares, é óbvio, não possuem notória especialização em interpretar requerimentos de benefícios previdenciários. O critério desta “seleção”. portanto, não pode dispensar concurso.

Só havia previsão de convocação de reservistas para tarefas nas organizações militares ou em atividades típicas destas organizações. Este governo enfiou na reforma previdenciária dos militares um artigo dizendo que os entes federativos (União, Estados e Municípios) podem criar leis específicas estabelecendo “- regras para permitir que o militar transferido para a reserva exerça atividades civis em qualquer órgão”.

Mas não existe esta lei, ainda, e isso vai parar no STF, por tratar-se de uma burla aos princípios da admissão no serviço público sem concurso e nem mesmo qualquer tipo de notória especialização, porque, escancaradamente, “qualquer coisa serve”.

É uma “boquinha”, está na cara.

Além de ilegal, é administrativamente inepta: depois de selecionar, todos este pessoal teria e ser treinado e, dada a inexperiência, fortemente supervisionado quando conseguir aprender o básico e ser posto a trabalhar.

Ilegal, inepta e ilógica: se o governo reclama que seis mil servidores do INSS aposentaram-se nos últimos anos – e certamente muitos por medo de perder direitos com a reforma da Previdência, porque não oferecer-lhes a possibilidade de reverterem à atividade, prevista em lei (8.112/90) e regulamentada (Decreto 3.644/00)?

É gente que conhece a lei, a rotina burocrática e a capacidade de analisar estes processos.

Mas que vai ser, até, atrapalhada pela presença dos “peixes” do capitão.

Ponha-se no lugar do analista do INSS trabalhando com “um cabo e um soldado” empoderado pelo Presidente, olhando o que você está fazendo na repartição?

Para quem não conheceu, bem-vindo aos idos de 64, onde a boquinha usava farda.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

28 respostas

  1. Acho graça uma pessoa etica como o Fernando cobrar honestidade deste puto do Bozo
    Ele ja diz q e uma boquinha depois vai cobrar algo logico e sensato como chamar ex funcionarios p funçao? Nem os q ficaram de fora nos concursos recentes q nao foram convocados por estarem fora de cotas raciaia p ex.
    Obvio q ha militares q conhecem a legislaçao mas a ponto de assumir a missao nao passam de centenas. Pessoal de intendencia habilitado e de serviço como contadores militares sao poucos e teriam q ser treinados antes de assumir a funçao como foi dito.

  2. “Quando tudo estiver perdido, não se preocupe: sempre pode ficar pior!”
    E, com a turma do Bolsonaro e seu “Posto Ipiranga”, nada pode ser mais garantido, como é garantia de desastre por pessoas sem o necessário treinamento ou qualificação para cuidar dos trâmites burocráticos e legais do INSS no que tange à analise de processos de aposentadoria. Antes mesmo de encerrarem as atividades, vão ter que montar outra força-tarefa para consertar as merdas a serem deixadas pela primeira.
    Bolsomínions, aplausos para o seu “mito”!

    1. Só se forem muito burros é só o0bservarem o qque acontece no9 Chile,
      Bolívia, Equador, Colômbia , França dos coletes amarelos.

  3. Militares viraram o “Severino,” aquele do cara-crachá. Falta lixeiro? Chama o Severino. Falta enfermeiro? Chama o Severino…

  4. Certamente enquanto benefícios são represados, outros são cessados por motivo de óbito.

    Imagine o tamanho da pedalada fiscal.

  5. A direita conservadora, que sempre se posiciona cotra cotas para negros e deficientes, nesse momento em que o desemprego acelera o governo de Bolsonaro, cria cotas de emprego para seus amigos milicianos da reserva.

    1. Se proceder, esse âncora é só mais um grande Filho da Pulga!
      Mas, o carnaval vem aí com aquelas reportagens repetidas induzindo o gado a dizer que é época de felicidade e esquecer os problemas.

  6. Intervenção das Forças Armadas no INSS? Em lugar de fazerem concursos públicos para atendentes burocráticos, vão chamar
    militares da reserva para fazer o atendimento e assim tentar contornar o apagão da Previdência? E quando houver o apagão da saúde, milhares de militares vão também fazer o atendimento? E o atendimento no apagão da educação? Os militares vão ser quebra galhos para todas as deficiências do país causadas pelo avanço do capitalismo financeiro desenfreado capetaneado (é capeta mesmo) pelo Guedes? E estes militares, vão ganhar dois salários, o da aposentadoria e o do atendente? Francamente, as academias militares deveriam fazer um Pronatec Master para preparar os militares reformados para desempenharem toda e qualquer profissão.

    1. Com isso, o governo ganha a simpatia e o apoio das forças armadas. O que pode ser bem conveniente, considerando que a cada dia que passa a situação dos pobres piora e a dos privilegiados melhora.

      1. Só uma coisa pode explicar esta vontade de botar militares da reserva para substituir funcionários do INSS: Seria para tentar acalmar os empijamados. É que o pessoal da reserva, que esperava entrar no paraíso com o governo militar do Bolsonaro, não estaria vendo nada além de muita decepção.

  7. O importante para o guedes é que as aposentadorias demorem mais e deem um alívio nas contas do governo. É mais um roubo no bolso dos pobres.
    alívio mas desde que este dinheiro saia dos pobres, é claro. Militares e judiciário podem ter aumento, como tiveram, benefícios na conta de luz dos evangélicos e benefícios como este dos militares receberem uma graninha sem trabalhar (como fazer um trabalho para o qual vc não está nem um pouco habilitado como no caso de militares na reserva e a crise na previdência?), etc.
    Tudo deste governo anti PT tira dinheiro dos pobres (e dá aos seus): limite de despesas para a educação e saude públicas; reforma trabalhista; roubo de um tri dos pobres na reforma da previdência; a taxação das indenizações trabalhistas, o salário mínimo super contido; o desemprego como política pública para incentivar o empreendedorismo de dirigir para o uber; e, agora, a cereja do bolo; o impedimento que os pobres possam aposentar.
    Imagino que o guedes teve um troço quando lhe disseram que teriam obrigatóriamente colocar R$6,00 ( seis reais) no salário dos pobres. Disse contrariado que este “rombo” vai ter que ser “reposto”, na verba da saúde, claro).
    O golpe não foi apenas na democracia, mas também no bolso dos pobres, este eterno instrumento deles.
    Estão de parabéns os golpistas. Ganharão até um Oscar!
    Que desgraça!

  8. O cretino “cria dificuldade” ao postergar as análises para melhorar a foto das contas públicas de dezembro e agora “vende facilidade” dizendo que convocará meganhas aposentados para agilizar o trabalho.

  9. A aberração deste país é a direita-pão-com-ovo que elege um fascista para massacrar os pobres trabalhadores.

  10. SE A SOLUÇÃO É COLOCAR PRIMATAS PARA ACELERAR OS PROCESSOS ,É UM RETORNO NÃO A IDADE MÉDIA,MAS,A DE PEDRA.
    ESSES SERES FARDADOS,ACOSTUMADOS A RECEBER ORDENS E SÓ AGIR POR ORIENTAÇÃO DE SEU SUPERIOR , NÃO TEM CAPACIDADE COGNITIVA.
    SEJA PORQUE NUNCA A TIVERAM , OU SEJA PORQUE ELA FOI ESTUPRADA POR ANOS DE TREINAMENTO PARA VIRAREM CACHORROS A ESPERAR A ORDEM DE SEU AMO.
    NA VERDADE QUEM ESTÁ SENDO ESTUPRADO PELOS PRIMATAS ,SOMOS NÓS, E NADA FAZEMOS.

  11. só um governo de mentecaptos para ter uma ideia de jerico como esta. Pegar um sujeito que não trabalha, por estar aposentado, que já tem renda e que quando na ativa nunca trabalhou em p… nenhuma. Só fez ginástica. Provavelmente se encarregarão de orientar a ginástica laboral dos que deverão trabalhar triplicado.

  12. Algum ou outro talvez depois de uns seis meses talvez possa serem aproveitados l Mas, na maioria geral os milicos nõão sabem nem bater um prego numa tábua. Quem sabe talvez lá pra 2030 talvez tenham aprendido alguma coisinha. .
    O cemitério será o consolo dos velhinhos.

  13. [É de desanimar mesmo. Quem puder vai para outros países. Não dá para ver tanta mediocridade de um Governo. O cara acha que nomeando sete mil militares vai resolver o problema do INSS!! A maioria deste milicos não sabem bater um prego numa tábua. Quem sabe lá pra 2040 tenha havida uma.
    Estes burros já fez um verdadeiro apagão no INSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *