Democraticídio. Por Tereza Cruvinel

Para os cegos que não querem ver,a coluna de Tereza Cruvinel, hoje, no Jornal do Brasil.

As advertências sobre o risco Bolsonaro para a democracia não são choro antecipado de perdedor, artifício de petistas desesperados para virar o jogo.

O democraticídio virá, não apenas porque condiz com a natureza autoritária do deputado-capitão, mas porque, se eleito, não será capaz de dar outra resposta aos impasses que enfrentará.

Os avisos vêm até dos que ajudaram a semear o antipetismo, um dos mais fortes nutrientes da candidatura favorita.

Outros, que poderiam falar mais alto, justificam a omissão com a bazófia de que, ainda que ele tente, nossas instituições terão força para evitar qualquer ruptura.

Em 1964 também tínhamos instituições que pareciam funcionar, mas elas não apenas cederam ao primeiro movimento de tanques.

Elas ajudaram a executar a parte civil do golpe. Bolsonaro e seu entorno, a começar do vice troglodita, nunca esconderam o pendor autoritário e a saudade da ditadura, nos elogios da tortura e nas homenagens ao grande torcionário, Brilhante Ustra.

E sempre expôs com sinceridade brutal seus preconceitos contra mulheres, gays e negros.

A partir de 2013, a nostalgia da ditadura foi legitimada pelos manifestantes que passaram a pedir intervenção militar.

E ele foi crescendo, como estuário de ressentimentos, do antipetismo, do incômodo dos conservadores, das vítimas da recessão, dos revoltados com a corrupção (insuflados pela Lava Jato) e dos ansiosos por uma promessa de segurança.

Militares já no poder

Já está em curso uma tomada de poder pelos militares, facilitada por Temer, ao nomear um general para a Defesa e fazer de outro homem forte palaciano.

O presidente do STF, Dias Toffoli, também arranjou um general para chamar de seu.

Um grupo de militares ligados à campanha de Bolsonaro atua com toda desenvoltura em Brasília, elaborando projetos de infraestrutura e desenhando a ocupação do governo.

Militares e policiais eleitos para a Câmara formarão uma bancada importante.

Foi percebendo a militarização do poder que o guarda de Campinas disse ontem, ao prender estudantes que panfletavam por Haddad: “a ditadura militar voltou, graças a Deus”.

Então, é lorota esta conversa de instituições que vão resistir. Elas já estão em frangalhos.

E ainda que o capitão, se feito presidente, seja forçado ao comedimento pelo banho sagrado do voto popular, outros fatores o empurrarão para soluções autoritária, tais como seu indiscutível despreparo para governar, sua inaptidão para lidar com os cânones do presidencialismo, que pressupõem a divisão do poder com o Congresso.

O que ele fará quando sofrer a primeira grande derrota parlamentar?

Daqui para o dia 28, debate não haverá, como se depreende da grosseira resposta que ele deu ontem a Haddad, por rede social: “quem conversa com poste é bêbado”.

Nesta linha, falando das famílias que buscam os corpos dos mortos no Araguaia, ele já disse que “quem procura osso é cachorro”.

Sem debate, receberá um cheque em branco, em relação à democracia e às políticas que adotará.

Ignorante confesso de economia, delegará os problemas a seu “posto Ipiranga”, o economista Paulo Guedes, já previamente nomeado ministro da Economia (uma superpasta que Collor também entregou à sua superministra Zélia Cardoso de Mello).

Por ser um neoliberal extremado é que o mercado abraça Bolsonaro.

Para resolver o problema da dívida pública, Guedes quer uma privatização generalizada, vai manter a emenda que congela o gasto público e proporá reformas tributária e previdenciária. Bolsonaro terá que entregá-las.

Seu PSL elegeu 52 deputados, fazendo a segunda maior bancada, mas para aprovar uma emenda constitucional serão necessários 308 votos.

Será preciso buscar 256 voltos em negociações com os partidos mas ele já disse que não negocia, não barganha.

Em algum momento, haverá trombada. Direitos serão suprimidos, ele já avisou, e haverá resistência nas ruas, ninguém duvide. E ele vai mandar as tropas, ninguém também duvide. Não enxerga quem não quer os sinais do que virá.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

  1. Minha contribuição de hoje para tentar trazer à razão os eleitores de Bolsonaro:

    1. Você é a favor do congelamento dos gastos em Saúde e Educação por 20 anos, enquanto as taxas de juros bancários, que representam a maior despesa do Brasil, não sofrem qualquer limitação?
    Sim ou Não?

    2. Você é a favor da reforma trabalhista, que retira direitos históricos dos trabalhadores e protege os patrões?
    Sim ou Não?

    3. Você é a favor da reforma da previdência da forma proposta, elaborada por especialistas em previdência privada, que fará com que grande parte dos pobres contribua, mas nunca consiga se aposentar?
    Sim ou Não?

    4. Você é a favor da liberação do porte de armas, que comprovadamente aumenta o número de mortes por:
    – acidentes (principalmente entre crianças e adolescentes);
    – assassinatos por brigas de trânsito, brigas de bar, ciúmes, términos de relacionamento e vários outros motivos fúteis;
    – mortes por equívocos, quando o portador da arma confunde amigos, parentes, empregados, vizinhos com intrusos;
    – assassinatos onde o assassino alega legítima defesa, diz que foi ameaçado pela vítima, mas não há como comprovar;
    – serial killers, psicopatas que em algum momento perdem o controle e saem atirando indiscriminadamente em escolas, cinemas, shows, cerimônias etc.
    Sim ou Não?

    5. Combater a violência com mais violência, prendendo, torturando e matando jovens pobres, inocentes e culpados, enquanto os chefões do narcotráfico, do crime organizado e das milícias continuam soltos?
    Sim ou Não?

    6. Combate à corrupção de forma partidarizada, para favorecer ou prejudicar partidos ou candidatos por quem detém o poder de investigar ou julgar?
    Sim ou Não?

    7. Você é a favor de uma reforma tributária que favorecerá ainda mais os ricos, visto que no Brasil os impostos indiretos, que incidem sobre bens e serviços e são pagos por todos – pobres e ricos – são altos (quase 40%) e o imposto sobre a renda, pago pelos ricos, é baixo (no máximo 27,5%), ao contrário da maioria dos países do mundo, onde os impostos indiretos são baixos e os impostos sobre a renda são altos?
    Sim ou Não?

    8. Você é a favor da educação à distância desde o ensino fundamental, que reduzirá os custos do governo com escolas e professores, eliminará milhões de postos de trabalho, aumentará a responsabilidade, os custos e a necessidade de tempo disponível dos pais e impedirá a sociabilização das crianças e adolescentes com outros da sua idade?
    Sim ou Não?

    Se você respondeu NÃO à maioria dessas questões e ainda assim vai votar em Bolsonaro, talvez você devesse desconfiar que está sofrendo algum tipo de lavagem cerebral para votar em um candidato que é a favor de tudo que é contra seus próprios interesses e os interesses de sua família.

    1. Perfeito. Só que bolsominions são burros e movidos à ódio. Não existe nada que mude o cérebro atrofiado desses nazistas. Mas, felizmente, tem muito eleitor do Bozo que está sentindo medo de uma provável eleição desse monstro, o que já é um bom sinal. Só espero que ainda tenhamos tempo de impedir a desgraça anunciada.

  2. Que tsunami! O paradoxo da democracia: um povo que vota para não ter que pensar mais nos seus problemas políticos, para evitar o debate e o desgaste natural que brota com a diversidade, para delegar tudo a um ignorante confesso na esperança de manchetes sem guerra. E na outra ponta, quem se importa, tendo que passar por criminoso. Que os tempos sejam gentis conosco. O número de sensatos é alto, só não bate o de insensatos. E não se pode querer que um insensato tenha meio voto. Para quem sempre defendeu o petê fica difícil convencer alguém que está falando em nome de outros valores, é por isso que os muristas se sairiam melhor nessa tarefa. Mas eles preferem poder ter o orgulho de dizer que não apoiaram nada, com suas mãos bem lavadinhas. São os verdadeiros extremistas, parece.

    1. [Mais] Fogo no “cabaré econômico (sic) do nazismo”!

      $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

      Após Bolsonaro criticar China, Vale diz que disputa não é boa
      Na semana passada, o candidato do PSL à Presidência criticou a forte presença de chineses na geração de energia no país

      17/10/2018

      (…)

      FONTE: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/10/disputa-com-china-nao-e-bom-para-ninguem-diz-chefe-da-vale-sobre-bolsonaro.shtml

  3. – Que história é essa de votar no Bolsonaro?
    – PT nunca mais. O PT acabou com o país.

    – Acabou como?

    – Num tá vendo não? O PT ficou treze anos no poder e destruiu o país, na roubalheira, na corrupção…
    – Mas espere aí, onde estão as estatísticas? Você não vê as estatísticas? O PT construiu um novo país, antes o Brasil estava quebrado e sem respeito internacional, Lula chegou a elevar o país à sexta economia do mundo… Saiu com 86% de aprovação, a maior do mundo para um país democrático…

    – Mas por trás estava a roubalheira sem fim, que terminou por acabar com o país. Lula é o chefe da quadrilha. Recebeu sítio, recebeu triplex, recebeu terreno, recebeu apartamento vizinho ao seu, tudo isso para pagar sua corrupção. Hoje estamos pagando por seus crimes.

    Moral da história: Se o prestígio e a honra do PT não forem resgatados agora, com o repúdio ultra-veemente das mentiras assacadas contra ele, e se os governos do PT não forem imediatamente escoimados dessa absurda impressão geral de corrupção anabolizada pela propaganda fascista, não só perderemos a eleição como deixaremos que o único grande partido honesto e progressista do país desapareça sob esta lama lançada pela mentira, petrificada eternamente na consciência popular. Desconstruir a má fama do PT é tarefa mais urgente até do que desconstruir o mito do Bolsonaro.

  4. A rede globo mais uma vez juntamente com a classe média estão elegendo um Collor militarizado, de cunho 100% ditatorial.
    Essa é uma prova que o homem não aprende com seus erros e principalmente a classe média. São os filhos da classe média de 1964.

  5. Seguindo o conselho do catedrático e impávido escritor *Marcelo Rubens Paiva
    *https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/372382/Marcelo-Rubens-Paiva-%C3%A9-preciso-mostrar-ao-eleitor-de-Bolsonaro-quem-foi-Ustra.htm

    ***

    Quem foi o coronel Brilhante Ustra,o herói do Bolsonaro
    https://www.youtube.com/watch?v=riwp6KlQAY4

  6. ESCÂNDALO
    Lei de Segurança Nacional neste estropício boquirroto &$ lesa-pátria!

    O candidato Jair Bolsonaro afirmou que “a privatização das empresas estatais estratégicas não será privatização: será a estatização do Brasil por outro país [ficou explícito, os EUA]”
    NOTA: além do Coronel Ustra, o nazista Bolsonaro é fá de outro torturador, este de piso, o tal DEMoTucano ‘mor(T)o’!
    No vídeo abaixo
    Especificamente, a partir do 07:50 do horripilante vídeo abaixo
    https://www.youtube.com/watch?v=E-OpeJI9uvU

  7. Não podemos esquecer que o Bolsonaro já declarou tanto que saiu na Folha que não haverá diálogo com a oposição.

    Se não houver diálogo vai fazer o que ? Vai jogar o exército emcima de nós? Por isso que eu digo que a tendência é piorar a situação política do país.

  8. Enquanto deixarmos os indivíduos virarem massa,por uma educação errada,por uma mídia sem controle ,pela demonização da política, continuaremos a rodar em círculos.
    É a massa ignorante ,manipulada e insuflada de ódio que está dando as cartas,são eles que carimbam todo o processo denigrante que estamos sofrendo,portanto,todo acaba e tudo nasce na atitude que os indivíduos assumem.r

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.