Desembargador manda soltar ex-ministro e pastores do MEC

O desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal – 1, concedeu habeas corpus para que o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, e os pastors lobistas Gilmar Santos e Arilton Moura.

Juridicamente, é plausível a decisão, pois se está tratando de fatos passados e sem o risco da chamada “continuidade delitiva”, isto é, de continuarem praticando o mesmo crime. Ou se estava em curso destruição de provas ou outro obstáculo à ação da Justiça.

Politicamente, porém, o estrago sobre Bolsonaro está feito, não apenas pelo fato de seu ex-ministro “Ponho a Cara no Fogo” da Educação ter sido publicamente jogado às feras: “ele que responda”.

E pode ficar maior, porque é possível que caia o sigilo de Justiça sobre os documentos que instruíram as prisões, revelando quais era os indícios que deram origem à decisão.

E aí aparecem as pontas dos fios que se deve puxar.

 

 

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.