É tipico da Inquisição exigir contrições e que se abjure

Ainda refletindo sobre o post anterior, dos que maldizem a esquerda por não se prestar aos rapapés da posse do sr. Jair Bolsonaro na Presidência, ocorre-me que é, para muitos, uma continuidade dos insistentes pedidos – exigências, melhor dizendo – que se fizeram durante a campanha para que Fernando Haddad  fizesse uma “autocrítica” pelos pecados ocorridos durante os governos Lula e Dilma.

É curioso que aqueles que nunca se incomodaram com a selvageria das relações sociais se preocupam em exigir que todos pertençam ao que Leonel Brizola um dia nominou de “clube amável da política”.

Mesmo quando havia o risco – e agora a realidade – de que  no poder se entronize a selvageria, não o fizeram.

Não vi nenhum destes “civilizadíssimos” exigir, para merecer respeito, “autocríticas” de que se deveria ter matado “30 mil”, nem de de um caminhão de monstruosidades que o futuro presidente tenha se dito arrependido de pronunciar.

Sabe por que?

Porque o pensamento único, que ensaiou passos tímidos na ascensão do neoliberalismo, agora avança em marcha batida e a passo de ganso e é preciso que se aceite o império da brutalidade nas relações sociais que o neoliberalismo mal disfarçava na promessa futura de abundância para todos.

Agora é menos acolchoado.

São a ordem e a moralidade (moralidade seletiva e policialesca) os valores que não admitem contestação.

E os que o fizeram, como na Inquisição, só podem ser poupados mediante a contrição e a abjuração das crenças passadas, proclamando que eram falsas adorações e pensamentos heréticos que praticavam.

É como se os ladrões que operaram sob o governo petista tenham sido sua criação e que antes, reinavam a honradez e a decência nos negócios públicos.

Se pode haver alguma surpresa – e boa – no que vem acontecendo é que o núcleo do PT e o próprio PSOL, nos seus delírios “politicamente corretos” – estejam resistindo às tendências de “bom comportamento”.

Ao que nos convidam a nos ajoelhar aos novos césares, que se entenda que, com esta suposta “amabilidade”, estaremos praticando a rendição ante a barbárie.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

23 respostas

  1. OS MÉTODOS USADOS PELAS FORÇAS ARMADAS,JUDICIÁRIO,POLÍCIA FEDERAL E SEU TÍTERE PSICOPATA,SÃO OS MESMOS USADOS POR HITLER E SUA GESTAPO EM BUSCA DE PODER E A ESQUERDA SERÁ O JUDEU DESSE POGROM.OS JUDEUS FORAM CORDEIROS,NÃO REAGIRAM A NÓS RESTA A REAÇÃO OU O VIOLENTO EXTERMÍNIO NOS ESPERA,OS FASCISTAS JAMAIS ESCONDERAM O QUE FARÃO,TEMOS DE ESTARMOS PRONTOS PARA A REAÇÃO POIS NINGUÉM IRÁ CHORAR POR NÓS E NÓS DEVEMOS PARAR DE CHORAR E AGIR.
    ONDE FOI QUE NÃO ENTENDERAM O “VAMOS METRALHAR OS PETRALHAS”?

  2. Perfeito ! Aposto que essa “ala mimimi” da esquerda está entre os que bateram palmas para as manifestações 2013. E não duvido que tenham rasgado elogios à Lava Jato e sua “luta contra a corrupção”.
    E há os canalhas descarados, como o tal de Camilo, que quer diálogo com Bozonaro. Quero ver essa gente daqui a uns três meses, depois que esse governo decretar suas primeiras barbaridades.

    1. Quando vejo alguém que se diz de esquerda querer encontrar alguma bondade na Lava Jato, peço licença e vou embora.

  3. Não sei porquê tem gente cobrando que o PT ou PSOL ou qualquer outro partido vá á posse. Se exigiu que a oposição ao PT fosse às posses de governos petistas, em respeito á “vontade popular expressa nas urnas”? Hipocrisia.

    1. Em tudo e o tempo todo sempre se exigiu atitude exemplar do PT e só do PT. É o reflexo do mundo do trabalho, o funcionário deve ser correto em tudo não se cobrando o mesmo do patrão, aqui o PT faz o papel do trabalhador os demais representam o outro lado…

      1. Devemos dar trinta dias de pausa para reflexão de Camilo Santana, governador do Ceará. Nossa natureza republicana exige isso. Mas depois disso, se continuar o desvio, deverá haver expulsão sumária dos quadros do Partido dos Trabalhadores.

    2. Um velho político (amigo de meu avô) dizia que tomar posse era o mesmo que casar. Voce casa com as forças e pessoas que o fizeram se eleger. Então, tendo em vista a comparação, porque quem não é parente nem amigo dos noivos teria a obrigação de assistir ao enlace matrimonial???A não ser que seja fotógrafo, garçom ou cronista social ( no caso de noivos ricos), contratado para trabalhar no evento…Além do mais é verão, Brasilia não tem praia e cada um tem o direito de curtir o feriado do jeito que quiser, não é??

    3. Nas últimas eleições democráticas o Aécio e trupe nem deixaram esfriar a derrota e já começaram a conspirar. Bando de canalhas.

  4. É isso mesmo, jornalista. De mais a mais. não se pode ter esperança que possa acontecer urbanidade de tratamento numa ditadura. Bolsonaro assumirá sua posição de segundo ditador do golpe 2016, tendo sido sufragado por 57 milhões de votos, numa eleição nitidamente fraudada, inclusive e principalmente no acontecimento da “facada” em Juiz de Fora. Elegeu-se com menos de 38,85% do colégio eleitoral de 147 milhões. As agressões ás oposições, seus militantes líderes e simpatizantes , foram inúmeras e até hoje não cessaram, com a promessa de serem dizimados após a posse. Não dá para nada de bom esperar vindo do lado do Bolsonaro, por isso nada de medo, nada de fazer de conta que o governo Bolsonaro possa de alguma forma agir democraticamente, principalmente com a oposição petista. É mal que nos oferecem ( offering mali est nobis).parafraseando são Bento.

  5. O PT foi o único partido que tratou aos políticos oposicionistas com republicanismo. O resto apenas disseminou mentiras e ódio contra o PT.

  6. “É melhor morrer de pé do que viver de joelhos”
    Emiliano Zapata.
    Não vim ao mundo pra me curvar pra ninguém.

  7. Hipocrisia, falta de visão, complexo de vira latas. Mistura péssima. Espero que até mesmo deputados/as isolados/as se juntem aos partidos. Esse “eleito” é repulsivo

  8. Ao fim e ao cabo, a Inquisição era apenas um pretexto para roubar muitos comerciantes, acusando-os de judaísmo, lançando-os na fogueira e confiscando seus bens. Roubo puro, que só terminou porque ultrapassou todos os limites da loucura. Aproveito para dizer que o Haddad, infelizmente, a nosso ver, estava despreparado para aquela insistência global de que o PT “reconhecesse seus erros” e fizesse uma jura de “não mais cometê-los”.

    Haddad deveria ter se insurgido imediatamente com feroz indignação contra essas insinuações, e reagido com todas as suas forças, dizendo que eles falavam sobre mentiras e lançando na cara deles tudo o que o PT havia feito em favor do país e de seu povo.

    Mas reconheço que ele não poderia ter-se auto-condicionado para reagir a ataques tais em tão pouco tempo, e reconheço também que aquilo que ele conseguiu fazer com tanto empenho já foi um verdadeiro milagre, que quase dobra até mesmo os mecanismo bilionários da fraude. Esta fraude, diga-se de passagem, foi comparável à gigantesca fraude que não conseguiu dobrar a Dilma em 2014. Haddad fez a inquietação da derrota percorrer o espinhaço dos golpistas. Foi um grande milagre em favor do Brasil.

  9. A esquerda nem deveria pôr em pauta argumentos contra essa patacoada. Se observarmos bem, depois das eleições a sucessão de coisinhas e pinimbinhas contra o PT se dão muito mais no sentido de que se fechem os olhos para os maus-feitos de quem está realmente em cena. E nem podemos falar mal dos adversários. Eles estão dentro do novo esquema d fazer política. Talvez tenhamos que copiá-los para não sermos mais ingênuos doravante.

  10. Por mim a esquerda poderia cruzar os braços e assistir de camarote as lambanças do novo governo pelos próximos três meses. É como disse J. Dirceu: não foi eleito? Então. Deixa ele governar. Vai ser um desastre.

  11. Sejamos sinceros e realistas… Numa coisa eles tem razão, falta ao PT fazer um mea culpa… Não falo pelo PT, porem, como militante, represento o pensamento de uma parcela crescente. Pois bem, considero nossa culpa:

    1- Deixar os nossos serem acusados, difamados e presos, respeitando um jogo que SABÍAMOS de cartas marcadas. Dirceu, Genoíno, Lula, todos conhecemos as historias deles, e ainda assim… Isso é nossa culpa.

    2- Insistir em ser reformista, qd o status quo é escravagista… Isso é nossa culpa.

    3- Fingir, por covardia, que os meios de comunicação, são qualquer coisa além de aparato de propaganda da classe dominante. Nossa culpa.

    #LulaLivre

    1. Não diria mea culpa porque o termo carrega a submissão dos pecadores, mas reflexão, reflexão sobre o que eles acham acertos do PT. E essa reflexão deve ser apenas interno ao partido, a mídia e os demais nada tem a ver com as discussões internas. O Lula perdeu a oportunidade de dar o tiro de misericórdia na mídia quando tinha sua popularidade no auge (se é que é possível mais auge que 80% de aprovação no final do segundo mandato).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.