Economia desce o vale eleitoral e aprofunda crise

recgreve

Ninguém comemorou o jogo de futebol de domingo e ninguém pode aplaudir os primeiros lances do jogo econômico do início da semana.

A Bolsa, depois de “ameaçar” por alguns dias, perdeu a marca dos 70 mil pontos, ultrapassados em agosto do ano passado com a valorização provocada pelo anúncio da privatização da Eletrobras.

As previsões de final de ano dos bancos, expressa no Boletim Focus do Banco Central e, nos últimos tempos, sempre otimista, vão se ajustando lentamente ao que todos ele já sabem que será o cenário ao fim de 2018: crescimento do PIB perto de 1% (contra os 3% previstos no início do ano), inflação acima de 4% (o dobro dos festejados 2%) e o dólar valendo mais de R$ 3,60 em dezembro, o que hoje parece ser um cenário de sonho.

Isso se ficar por aí, porque o Valor publica hoje um apanhado sobre o desempenho da indústria e dos serviços em São Paulo depois do movimento dos caminhoneiros:

Levantamento da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, obtido com exclusividade pelo Valor, mostra que as vendas da indústria paulista caíram 13%, ou R$ 635,5 milhões, nas duas semanas seguintes ao fim da greve. O estudo usa as notas fiscais eletrônicas e compara o faturamento das empresas com os mesmos dias úteis do ano anterior.A perda de fôlego também é sentida no varejo paulista, cujo ritmo de compra de bens, um indicador da atividade esperada para o setor, está 4,4% abaixo ante igual período de 2017.

Todos os sinais são de uma piora progressiva até as eleições, pelo menos.

O país vive uma crise de credibilidade que vai cobrar um preço salgado ao sacrificado povo brasileiro.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

17 respostas

  1. Inflação de 4%? Nos supermercados onde faço compras está mais para 40%. Esse é um dos fatores que está fazendo muita gente deixar de comprar. É visível que os intermediários e os comerciantes estão aumentando suas margens de lucro, para compensarem a queda do consumo.
    E os que ganham pouco, mesmo que ainda empregados nas condições anteriores à reforma trabalhista, não têm coragem de gastar dinheiro, devido à incerteza de seu futuro.

    1. As aposentadorias tiveram reajuste de 2% no ano passado, quando a inflação real era, evidentemente, muito superior àquela que tocava na banda do sr. Ilan. Só em reajuste de convênio médico paguei mais de 10% de aumento em 2017, sem falar nos preços do gás de cozinha, gasolina, etc. Este ano vai na mesma toada e, pior, já temos acumulado o prejuízo grotesco da aposentadoria deprimida de uns quatro anos para cá, pelo menos, sempre com reajustes iguais ou, como em 2017, abaixo da verdadeira inflação. Quem vive de um ou dois salários mínimos (a imensa maioria, talvez por volta de 80% do total dos aposentados) vai acabar na fila do sopão.

      1. Pois é. Inflação de demanda pelo alimento do dia a dia que a gente escolhe no mercado pode até ter sido 2%. Mas energia, gasolina, plano de saúde e transporte não têm por onde fugir, foi sim beeeeem maior que isso!!!

      2. aí já sabem q pra diminuir o prejuízo deles, lá vem o papo de reforma da previdência dinovo!

    2. E no sábado li que os preços do frango estão baixando visando aumentar o consumo interno, mas isso porque as exportações de carne de frango começaram a gorar. O jornalista Cesar Fonseca diz o porquê disso estar acontecendo: “A decisão da China de aumentar para 38% tarifas antidump sobre importação de frango brasileiro deixou apavorado o agronegócio nacional e disseminou entre os agricultores, especialmente, do Centro-Oeste, que existem razões políticas, mais do que, meramente, econômicas, por trás da estratégia chinesa. A bancada ruralista, no Senado, está inquieta. Os agricultores e seus representantes do PMDB concluem, em meio ao desespero, como destacou Ricardo Santin, vice-presidente e diretor de Mercados da Associação Brasileira de Proteína Animal(ABPA), que a posição da China é, basicamente, política”. http://independenciasulamericana.com.br/2018/06/china-quer-lula-livre-para-fortalecer-brics-contra-eua-na-guerra-comercial-global/
      Se é politica ou não, não podemos esquecer a posição do Brasil em relação à Venezuela, que é a de ajudar os EUA a boicotar o governo Maduro. Neste caso, uma posição totalmente política. Então os ruralistas não podem reclamar, afinal, não são eles os maiores aliados do governo Temer e, portanto, apoiam o boicote à Venezuela? Estão colhendo o que plantaram…..

  2. Mas não há crise, há um plano criminoso entreguista, sendo encaminhado.
    Desemprego, entrega das riquezas, desmonte do pouco da construção do bem estar social, entre outras coisas, faz parte do pacote.
    O que se vê é, de um lado, o andar do projeto; e de outro, as consequências.
    Os paneleiros estão poucos preocupados com isso.
    LulaLivre

    1. Os paneleiros estão polindo as panelas.
      Mas so as panelas. Os cabos estão inacessíveis!

  3. E o desgoverno ainda insiste em querer fazer propaganda dizendo que tudo está melhor hoje do que nos tempos to demônio do pêtê. “Inflação sob controle, economia voltando a crescer, criando empregos”.

  4. Lojas tradicionais, que conseguiram se aguentar no comércio atravessando até mesmo épocas muito difíceis como o surto neoliberal do Fernando Henrique que quebrou o país duas vezes, estão agora fechando as portas. É uma crise sem qualquer paralelo no comércio, e não adianta maquiar dados, porque ela está à vista de todos. As portinhas estão cerradas por toda parte. A indústria nacional logo seguirá na mesma pisada. E os malditos colombianos ainda querem trazer a maldita OTAN para nossas malditas fronteiras, o que dará uma bruta dor de cabeça quando o país voltar a poder ser chamado novamente de país, daqui a vinte ou trinta anos. Serão necessárias profundas negociações militares diretamente com a França e a Alemanha para nos livrarmos deste pesadelo. Infelizmente, arrancar gringos do Maranhão poderá até ser bem mais difícil.

    1. Se os golpistas continuarem no poder o Brasil será o próximo a entrar para a otan.
      O imperialismo se prepara para forjar uma guerra contra a venezuela e a colombia e o brasil serão usados para isto.
      Os americanos gostam muito de uma guerra, mas sempre no território dos outros.
      Nosso futuro será MUITO NEGRO se não derrotarmos os golpistas logo.

  5. Atenção focas econômicos da grande midia, atençãozinha paneleiros amarelos do meu Brasil varonil!!! –
    Nós NAO pedimos a tempestade de 2018, perfeita e bruta como se está se apresentando.
    Isso foram voces que a pediram, rezaram, pajelançaram e financiaram em 2013 a 2015. Remember?? (no 1º tempo vamos sofrer junto, mas é detalhe porque logo depois o pau de aroeira volta…)
    A tempestade vem feroz, meus asnos da direita, porque estava contida e embrulhada no vosso proprio ‘programa’, mais que em vossas proprias ganancia e vontade de saquear o pais.
    Parabens, voces conseguiram!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.