“Efeito Reforma” já se esvaiu do mercado. Endividamento cresce

A desvalorização do yuan, moeda chinesa – resposta às novas sobretaxas decretadas por Donald Trump às importações norte-americanas daquele país – e os sinais internos de que não há melhoria na situação da economia estão prenunciando um agosto de reversão das pequenas “alegrias de mercado” alcançadas do o “julho da Previdência”, dias atrás.

No campo externo, os chineses, montados numa reserva cambial imensa, sinalizam que vão compensar com o câmbio mais fraco as perdas de competitividade causadas pelas sobretaxas. Deixou o yuan (na versão empregada no comércio exterior, diferente da do mercado interno) passar de 7 por dólar, a maior cotação da década. A persistir, perdemos valor nas exportações de commodities e barateiam-se as importações brasileiras daquele país.

No cenário interno, voltou, desde a semana passada a instabilidade do câmbio, que caiu 5% desde o dia 1° e chegou, agora de manhã, a R$ 3,94 por dólar. A Bovespa dá sinais de que pode perder os 100 mil pontos tão festejados logo após a votação da Reforma da Previdência.

Não chegou a haver sequer o “voo de galinha”, apenas os cacarejos otimistas de sempre.

O aumento do grau de endividamento das famílias, que voltou aos níveis do pior das crises também apaga a ideia de que a homeopatia da liberação dos R$ 500 do FGTS possa trazer efeitos maiores sobre o consumo: o dinheiro irá, quase que imediatamente, para o caixa dos bancos e das concessionárias de serviços públicos, com os quais estão os maiores débitos da população.

Os fatos só confirmam o que qualquer pessoa lúcida sabe: sem política econômica, movido apernas por expectativas e com uma postura irresponsável no comércio exterior em tempos de ameaça de redução do fluxo de trocas mercantis no mundo, não haverá saída da longa recessão que enfrentamos há quatro anos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

30 respostas

  1. Lendo sobre a “Belt and Road Initiative” na Wikipedia (em inglês), fiquei surpreso de saber que já em outubro de 2017, um trem cargueiro partiu de Hamburgo (Alemanha) para Xangai. A integração ferroviária Europa-China já é uma realidade, e novas rotas vão sendo construídas.

    Daí a necessidade dos EUA se firmarem no status quo, promovendo fantoches que fiquem pendurados no saco deles (como o Boçal Nato), no que foram bem sucedidos na guerra híbrida que iludiu o “malandro” povo brasileiro. Tudo começou por causa de vinte centavos.

    1. Até os 20 centavos o Brasil era exuberante, olímpico, orgulhoso e partia para ser a quinta economia do mundo. Com certeza já antes dos 20 centavos eles lá em cima sabiam muito bem quem era o Bolsonaro. Não havia perfil melhor para frear o Brasil e depois depená-lo.

      1. Perfeito. Fomos atacados exatamente no auge de nosso desenvolvimento econômico. Um ataque absurdo, sem nenhum motivo visível (20 centavos? Não força), e desde então entramos em diálise, como um cadáver deixado ao sol. Naquele exato momento percebi que algo muito sinistro estava acontecendo, mas demorei anos para saber qual era o objetivo. Aí está – um Global Player a menos no tabuleiro.

      2. eu acho que bolsonaro foi só um acidente de percurso que decidiram engolir, a intenção era PSDB voltar

        1. Exatamente. Efeito colateral da ambição pessoal de Alckmin, que não percebeu que era inviável como candidato presidencial e líder partidário, dissipando a força, já cadente, do seu partido em uma guerra interna prolongada e em uma candidatura esvaziada e desagregadora. Mas, não nos esqueçamos, foi o grande motor do anti-petismo na campanha, usando o maior tempo de TV para dar suporte aos motes mais virulentos, que depois eram replicados às dúzias pelos bolsoignaros para turbinar a candidatura do esfaqueado ausente. O PSDB talvez tenha dado a senha do “fenômeno”, por seu modelo antipetista de campanha e por sua incapacidade eleitoral.

          1. nunca podemos esquecer que foi com o total apoio de FHC que Aécio fez o que fez, e continuaram fazendo até essa atitude imbecil de Alkimin. Agora o partiudo está na mão do Dórioa – eles merecem, vamos combinar

          2. Concordo, mas ainda assim preferia poder enfrentar gente mais qualificada que está gangue de milicianos terraplanistas. Saudades dos tempos em que a direita tinha Afonso Arinos e Cláudio Lembo…

          3. A prisão de Lula por 500 dias diz muito sobre o Brasil, não o Brasil, nos últimos três anos desde que o fascismo retornou. Se o sistema imunológico diminui, danifica o corpo). A prisão de Lula por 500 dias é um sintoma de um país (de elite) que rejeita a democratização, nega oportunidades em massa e pune aqueles que questionam a situação atual. Nesse sentido, a sentença de prisão de 500 dias e o comunicado de imprensa de Lula (Vaza Jato) são, sem dúvida, uma injustiça a esse respeito, muito mais do que o drama familiar. Por 500 dias, a maioria dos brasileiros foi presa junto com ex-detentos, mas muitos brasileiros não sabem disso e também estão celebrando seu encarceramento.

          4. Pode escrever que já se passaram de 500 anos, com alguma exceção nos governos progressistas que logo foram derrubados- é essa a nossa História

          5. Isto não significa que os antidemocratas, autores e privilégios tenham vencido. Muitos quando vamos e estamos prontos. E o tempo para calcular está chegando. É hora de a democracia chegar atrasada para a elite e a classe média.

          6. claro que não venceram
            isso que estamos vendo são as últimas tentativas de reação
            essa gente já está em extenção – seu tempo já acabou

          7. O fascismo é uma forma de democracia autoritária de direitos de regime autoritário, abolição manifesta dos partidos de oposição e poderosos grupos socioeconômicos XX. Foi fundada na Europa no final do século. Durante a Primeira Guerra Mundial, o primeiro movimento fascista apareceu na Itália e depois se espalhou para outros países europeus. Contra o liberalismo, o marxismo e o anarquismo, o fascismo está na extrema direita da esquerda tradicional.

          8. E doeu. O governo brasileiro é para ser a destruição do estado da economia e fascista, ele mesmo liderou e tomou conselhos como, e da importância escatológica do encontro para ver o quão estreito de espírito. Promotores e juízes disseram que a idéia de erro e maldade de Lula e destruir a economia, negou os oprimidos e a justiça. E não podemos negar.

            É um resultado vergonhoso. Um homem inocente preso em ataque e forças neofascistas sem perigo.

            Apenas uma definição de Lula será cancelada e inocência.

        2. Esta é uma desculpa para defender esses governos, que já se rebelaram em vários países nos últimos sete meses. Em relação às perdas econômicas que ocorrerão, por exemplo, na Noruega e em outros países. Ele não apenas não faz nada pelo país, mas teme que Bozo seja expulso com um mau apoio externo. Então ele aceita essa bagunça e um lunático que passa seu almoço.

  2. O dilema do prisioneiro progressista

    1º) O PT tem de 20 a 30% cativos que sempre o levam ao 2º turno;
    2º) Bolsonaro está consolidando o mesmo percentual (20-30) de cativos;
    3º) Se Ciro ou outra opção dos progressistas não for ao 2º turno novamente, não adianta culpar o PT, assim como o PT não pode culpar Ciro por perder no 2º turno. Ou há uma aliança ou ambos são responsáveis pelo futuro do pretérito. Não existe “se”: se os ciristas votassem no Haddad…, ou se o PT abrisse mão da candidatura…;
    4º) Ou há união ou haverá outra derrota em 2022.

    1. Existirá 2022?
      E se existir é justo querer que disponhamos 5000 diretórios a serviço de um Coronel privatista que chama a nós de organização criminosa e LULA de ladrão?

    2. Mas não uma “aliança para 2022”. Tem que ser antes e mais feroz na reação contra o governo. Porque 2022 corre o risco de ser sequestrado pelas milícias.

    3. Não existem os tais 20% cativos do Bozo. O que tem é uma mídia inacreditavelmente presa dentro da cueca do ex-capitão, que continua alimentando porcos ideológicos com desinformação e mentiras. Tire a mídia da equação e Bozo é um cadáver politico em semanas.

        1. Esse “público” do Bozo apoia só por apoiar. Foram doutrinados com o “fora PT” e, se arguidos, podemos constatar que eles só fazem um discurso vazio, pois nada entendem de política e, muito menos, de economia. São apenas seguidores do Coiso. Deveriam aprender que, aquele que segue, anda sempre atrás..Danem-se esses sociopatas.

          1. Tive uma conversa com uma conhecida semana passada. Articuladíssima, inteligente… entendeu o desmonte tucano na administração paulista, com seus ataques contra os professores, o congelamento brutal de salários, inclusive da PM que tanto deu suporte à insanidade neoliberal do PSDB. Percebeu o desmanche da economia, a falta de politicas desenvolvimentalistas de Temer e desse Bozo… aí, como um raio no meio de uma manhã ensolarada, solta um “os petistas devem estar chorando, mas também daqui a pouco não vai ter nenhum… foram eles que derrubaram o avião do Eduardo Campos…” Aquilo me fez ver que milhões de brasileiros tem discernimento suficiente para entenderem o ambiente politico-social à sua volta, mas de alguma forma foram envenenados até a medula com Antipetismo doentio. Mídia? Injeção maciça de ideologia fascista no Whats? Isso tem que ser investigado a fundo, esse tipo de pensamento não nasce em árvores.

  3. Boa análise, ainda que eu ache que temos a ganhar cim a suspensão de produtos agricolas americanos pelo governo chinês. Mas vamos ver se os idiotas podres de ricos da objetividade vão continuar lambendo os sapatos de um governo incapaz de limpar o próprio traseiro, quanto mais solucionar uma crise macroeconômica internacional.

  4. ah! mas Guedes já tem a solução
    logo teremos uma nova reforma trabalhista e uma reforma tributária
    – nem Chapolin Colorado teria sacado essa estratégia tão sensacional e astuta, fala sério

    1. Qual é o “campo” sobre o mercado financeiro, ou seja, metade dos vivos e a falta de dinheiro. Em princípio, não só o banco ou o investimento comercial, mas também os dois fins devem estar ligados, mas usando o seu nome, permanecem e precisam.

      Se um investidor raramente não quiser assumir riscos bancários, o empréstimo de dinheiro pode ter muitos riscos para o investidor, que podem incluir riscos não originários. Arriscado, alto retorno e bolso pode ser natural.

      O mercado financeiro tem muitos benefícios e não há desequilíbrio entre as qualificações dos investidores e os empresários se retiraram. Ou seja, o desejo de ajudar a celebrar nos mercados financeiros, que não está acima da média em nossos mercados de capitais, e isso não será adiado; Razões históricas e culturais.

  5. Vai ser um Natal divertido: o troco que sobrar depois de pagar os bancos (se sobrar alguma coisa) será torrado em bugingangas importadas da China pelo pessoal da 25 de Março, aqui em SP. E janeiro trará o horror dos horrores: bolso vazio, desemprego, desregulação das relações trabalhistas e trabalho semi-escravo para pagar as contas que voltarão a se acumular no “armazém do seu Guedes”. É a economia pré industrial a que o Brasil está sendo forçado a regredir, para a felicidade de um presidente insano e um ministro da Economia demente.

  6. Se existisse no governo a “economia sem partido” e sem viralatismo com os EUA, o país até poderia aproveitar e vender seus produtos agrícolas e minerais para a China…..No plano interno, é aquilo que se sabe: sem mercado consumidor (pessoas com poder de compra), não existe retomada da economia…..e como não se está fazendo nada em relação ao emprego e a renda, o resultado é que, a recessão continue e se aprofunde.O otimismo (meramente especulativo) da bolsa evaporou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *