Enquanto Maia gagueja, bolsominions vão à guerra

O fosso entre um segmento – minguante, mas poderoso – de extrema direita e o resto da sociedade brasileira está se alargando e, pior se enchendo de jacarés famintos.

Nas redes sociais, os furiosos começam a articular outra onda de manifestações, agora para pressionar o Congresso a cancelar a rejeição ao decreto que liberou o porte de armas e a votar sem mudanças, a reforma previdenciária de Paulo Guedes.

O tweet de hoje de Bolsonaro, convidando os simpatizantes a pressionarem os senadores para que as armas sejam permitidas e a atividades de robôs, cibernéticos e de carne e osso, exigindo a aprovação do texto original da PEC são aperitivos deste movimento e, claro, vai se tornar a defesa fanática de Sérgio Moro diante das evidências de seus desvios de conduta durante os processos da Lava-Jato.

Talvez os ajuntamentos sejam menores, mas certamente serão mais agressivos e terão o Congresso como alvo, uma vez que a imagem dos parlamentares foi, por obra de todos eles e da mídia, tranformada em algo semelhante a de gângsteres.

Os gaguejos de Rodrigo Maia e as reiteradas promessas de que vão “blindar a reforma” spo têm servido para açular a matilha.

Como não enfrentam a possibilidade de que seus projetos sejam barrados, animam-se a jogar por “tudo”, porque sabem que, perdendo, será “quase tudo” e até um pouco mais, por conta do medo dos parlamentares.

O governo prepara-se para a guerra, substituindo um general comedido por outro disposto a “fazer o serviço” e o próprio Sérgio Moro que ainda tinha certo constrangimento em apoiar resolutamente as cláusulas bélicas, submetendo-se em constrangido silêncio passa, agora, a precisar confrontar, para salvar-se.

Percam as ilusões, senhores deputados do tal “centro”, de que o mercado irá protegê-los.

A aventura autoritária está só começando.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

12 respostas

  1. O golpe contra a democracia não podia resultar em um regime político que não fosse autoritário e arbitrário. E tem idiota funcional que ainda não se deu conta disso. Moros, Dallasgnóis e Bolsocheio e outros personagens grotescos desta farsa são não causas, mas consequências do Golpe de Estado.
    Temos que botar o foco em seus patrocinadores: Grande Imprensa e seus “funcionários”, Plutocracias (Bufunfa Club) e seus “funcionários” e os Cardeais na política e seus “funcionários” no Judiciário.

    (•) “os funcionários”, como dizia Mino Carta dos jornalistas, são piores que seus patrões. Os “funcionários” são os membros arrivistas da Rebelião da Plutocracia contra a nossa Severina Democracia que no Brasil tem o valor de uma verdadeira revolução.

  2. Agora mais do que nunca: O CABARÉ ESTÁ PEGANDO FOGO. E ELE É INCONTROLÁVEL.
    “Não ficará pedra sobre pedra”, disse a ex-presidenta.

  3. O afastamento de delinquente tem que ser exigido imediatamente,o bandido do planalto com certeza não o soltará já que seu cargo ( o do miliciasno) depende do quanto essa farsa for desmascarada.
    Ficará claro (é o nosso desejo) que a QUADRILHA CURITIBANA COM SE CHEFE MORO,ajudou a derrubar um governo democrático ,e prendendo o principal líder políutico em manobra criminosa ,ajudou a seu chefe o mliciasno chegar lá.
    A sorte de toda a cambada de entreguistas fardados ,garantidores e masivamente comprometidos com este governo ,também estará por um fio com a saída do moro.
    Portanto ,o criminoso não será colocado na rua ,”vitimado” em nome da “lisura e respeito pela lei” , é um arquivo muito importante,e ninguém gosta de morrer,ainda mais sozinho.
    Não será fácil torcer a situação,as instituições TODAS estão até o pescoço na degradação da que fomos vitimas ,assim uma permanente movilização nas ruas e o conhecimento internacional da sujeira ,talvez coloque os DELINQUENTES a correr.
    A sorte do moro é a sorte de TODOS ELES.

  4. Em algum momento a besta fera que se criou terá de ser enfrentada ! Qto maior a postergação, mais difícil será a batalha pois o monstro se fortalece a cada dia, mais e mais !!!

  5. O caso MORO, creio eu que não será abafado, a matilha pode ranger os dentes, avançar e latir sem pará, quem dá o juízo final é o STF. Desde que o STF não queira colocar uma focinheira. Esse matilha precisa de focinheira de metal de nome cala boca.

  6. “A aventura autoritária está só começando”.
    E quem exercerá esse poder autoritário, ditatorial?
    Os “militares”?
    Ora, um astrólogo de feira lhes lança os mais absurdos impropérios, chegando a chamar um deles de “merdinha”, e o que os “militares” fazem?
    Tossiram, mugiram, latiram e… abaixaram a cabeça.
    O STF quando atacado resolveu retaliar liberando as entrevistas do LULA e o que os “militares” fizeram?
    Novamente:
    Tuitaram, tossiram, mugiram, latiram e… abaixaram a cabeça!
    A serem os “militares” esses novos “ditadores” podemos ficar tranquilos:
    Serão apenas mugidos e latidos!

  7. O mercado depois da perda da capitalização vem com sangue nos olhos e boca. Nao é momento de covardia. À luta.

  8. É impressionante a falta de PROJETOS da DIREITA do BRASIL,se a DIREITA é assim,imaginem a EXTREMA-DIREITA, são uma corja de avarentos que não tem objetivo algum, a não ser DINHEIRO,DINHEIRO e DINHEIRO por isso esse país é tão DESIGUAL,INJUSTO,VIOLENTO desse jeito, são mais de 500 anos nessa ambição narcisista,desumana e que INFELIZMENTE a ESQUERDA indiretamente contribuiu para isso se atenuar, pois não EDUCOU esse país para conscientizar e sim para COMPRAR, eita BRASIL tinha tudo para ser o MELHOR LUGAR PARA SE VIVER DO MUNDO.

  9. Se os militares brasileiros tivessem vergonha na cara – e muitos não tem sequer caráter, sairiam pela porta dos fundos desse puteiro e sem fazer alarde.
    Depois da Constituinte de 88 ficaram quietos e cumprindo o que a CONSTITUIÇÃO manda que façam.
    Ficou provado que militar governando o Brasil é só para fazer cagada.

  10. Francamente, o texto não corresponde à realidade. Os Bolsomínions já foram perfeitamente identificados no dia 26.05 e não são muitos. Ao contrário, as pesquisas de opinião sobre porte de armas desestimulariam qualquer governante racional a insistir no assunto. Mas como o Bolsonaro não é um profissional e só tem olhos pros seus companheiros milicianos de Rio das Pedras, veremos cada vez mais isolamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *