Eucimar: intervenção no Rio deveria ter sido quando Moreira governava

nomedelemoreira

“Se fosse para ter intervenção no Estado, ela deveria ter ocorrido há mais ou menos 30 anos, quando Moreira Franco era o governador (…) porque um dos casos de maior repercussão do crime organizado do Rio de Janeiro foi o sequestro do publicitário Roberto Medina, foi urdido, tramado, gestado e nascido dentro do Palácio Guanabara”.

A afirmação é de Eucimar Oliveira, um dos jornalistas de mais bem sucedida carreira no Rio de Janeiro – não em ordem de importãncia, foi meu editor na Última Hora,modernizou o jornal O Dia e criou o Extra, do grupo Globo – em  uma entrevista imperdível à Rádio Trianon, de São Paulo, recolhida pelo Toda Palavra. Ele recorda o envolvimento de Nazareno Tavares, então personal trainer de Moreira Franco, condenado pelo crime e, depois, executado misteriosamente. Eucimar lembra também do encontro de Moreira com banqueiros do bicho, em pleno palácio e com a afetuosa troca de abraços com Carlinhos Maracanã, um dos chefes do jogo do bicho e Anísio Abraão David, registrado nesta foto do Jornal do Brasil de 6 de janeiro de 1991.

Leia o texto e, querendo, confira o áudio da entrevista:

Em entrevista à Rádio Trianon, de São Paulo (AM 740), o jornalista Eucimar Oliveira, um dos nomes mais respeitados da imprensa carioca, criticou a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, decretada por Michel Temer. Para ele, os verdadeiros motivos para uma intervenção existiram há 30 anos, quando o atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, governava o Estado do Rio de Janeiro.

Naquela época, lembrou Eucimar, Moreira era visto em confraternizações com representantes da cúpula da contravenção, como os bicheiros Carlinhos Maracanã e Anízio Abraão David. O jornalista lembrou que o sequestro do empresário Roberto Medina, ocorrido em 1990, teria sido tramado dentro do Palácio Guanabara pelo personal trainer de Moreira, Nazareno Barbosa Tavares, um dos condenados pelo crime.

Nazareno – que foi líder do Comando Vermelho – chegou a ser nomeado por Moreira para o Tribunal de Contas. Quando foi detido pelo sequestro de Medina, seu advogado, Wilson Siston, tentou convocar Moreira Franco, o irmão e um ladrão de carros chamado José Carlos de Carvalho, o “Carlinhos Gordo”, para depor. A juíza Denise Rolins Faria indeferiu o pedido, alegando que se tratava de “pura especulação”. Segundo o Jornal do Brasil, Wilson sustentava que o depoimento de Carlinhos iria explicar “as ligações com Nazareno e mostrar que ambos frequentavam o Palácio Guanabara, tendo o ladrão de carros conseguido entrar na folha de pagamento do estado”.Nazareno estava em liberdade condicional quando foi executado com um tiro na nuca em 1997, em um posto de gasolina, depois de abordado por dois homens que estavam em uma moto. Pouco antes havia prometido, numa entrevista, escrever um livro sobre o envolvimento de políticos e empresários em negócios ilícitos. A polícia nunca encontrou os assassinos.(…)

Que beleza, não é?

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

10 respostas

  1. A Intervenção Militar Golpista mal começou e já repariu um “capa preta do crime”: Moreira “Angorá”, chefe do crime organizado estatal. Ontem no Palácio Guanabara,no Rio de Janeiro, rodeado por amigos bicheiros e sequestradores, hoje em Brasília na garagemn do Palácio do Jaburu, entre malas e contas piratas no exterior. Sobre Moreira Angorá, FHC é preciso, “não pode deixar próximo a um cofre estatal”. Olhem bem quem afirma , FHC, autoridade quando o tema é rapina.

    Moreira Angorá, democrático no mundo do crime, abriu espaço até pro Comando Vermelho no seu staff. O Povo do Rio conhece bem essa história. Quando se perguntava: quem era o chefe da quadrilha que atuava no Palácio Guanabara, o Povo uníssono respondia: “O nome dele é Moreira, Moreira…”.

    Ainda teremos saudades da insegurança do Rio de Janeiro, pois sairão os franqueados amadores das “bocas de fumo” e entrarão os PROFISSIONAIS.

  2. Do 247 comentário pertinente de Leonardo esttopa, se querem combater o crime no Rio, porque não prenderam o dono do helicóptero com 450 kg de pura cocaína cujo o dono é o filho do senador José Perrela, cujo o caso jamais foi explicado, e a justiça não se manifesta e Miguel é intimado. Que combate ao tráfico é esse?

  3. Ciro Gomes se pronunciou contra a intervenção no Rio !!!! Toda a bancada do PDT, seu partido, votou a favor. Incrível isso !!

  4. A propósito, convém lembrar que a PGR Raquel Dogde (aquela que concede encarcerar o Lula após 2a instância mesmo sem conseguir lhe provar a culpa) acaba de liberar o Angorá de um processo.

    Na sua galeria particular de golpistas liberados já constam o Serra e o Jucá.

    Palmas pra PGR!

    Em sua pauta elogiável, a PGR cogitava rever a Anistia. Duvido que tenha coragem para prosseguir – e mais ainda agora!

  5. O PT sabia quem era esse ANGORÁ, mesmo assim lhe confiou à secretaria de assuntos estratégicos. Foi ou NÃO foi? Se é passado se transformou em história.

  6. Falsos dilemas:

    Quem é a favor da luta contra a corrupção deve apoiar a Lava Jato.

    Quem é a favor da luta contra a criminalidade deve apoiar a intervenção militar no Rio.

    Nem um nem outro.

    O que precisamos é aprofundar a democracia e a intervenção social.

    Retomar o país para o conjunto da sociedade e tirá-lo das mãos da plutocracia.

  7. Carlinhos Marcanã,Romário de camisa branca,David Abraão Filho que está indignado com a corrupção no Brasil segundo a Beija Flor,Maninho,Castor de Andrade,Marcinho VP,Meio Quilo,Irineu,Boni,Jô Soares que homenageava Moreira Franco no Viva o Gordo,Mishell Temer e cia,estavam nesta festa mas não deu para todo mundo sair na foto da festa de encerramento do infame desgoverno Moreira Franco/Plano Cruzado 1986.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *