A Folha e os cotistas: desempenho igual, no mérito e nas deficiências

cota1

A Folha, hoje, publica extensa matéria em que foi averiguar o desempenho dos “cotistas” nas universidades públicas.

A rigor, a reportagem se justifica, porque ainda prevalece em muitos a ideia de que as cotas, sociais ou étnicas, são uma espécie de “caridade” que prejudica aqueles que, “por mérito”, conquistaram ou deixaram de conquistas as vagas.

Os números, além de mostrarem, como no gráfico, que o acesso à universidade vai, lentamente, se aproximando da mesma relação entre ensino público e privado, caminhando para o fim do “problema” mais mencionado quando se fala do ingresso na universidades federais: o de que a “maioria” dos que entram nelas ter alto po9der aquisitivo, vindo do ensino privado.

Provam também que méritos tanto ou mais o têm os que superam as deficiências de sua formação escolar – seja pelo pouco investimento no ensino público, seja pela falta de um ambiente familiar que forneça o suporte à educação.  A melhoria do desempenho durante o curso é evidenciada pelo fato de que qualquer diferença que remanesça ao final é imensamente inferior àquela que se registrava no ingresso da universidade.

Embora a ênfase seja no fato de que, na maioria dos cursos, foi igual  o desempenho dos que ingressaram na universidade com ou sem o sistema de cotas – e só até ali podem ser chamados de cotistas, e não depois, como fazem, caracterizando uma “marca” permanente, que os obrigue a serem sempre “merecedores” do “privilégio” ou “inferiores” que a ele não fizeram jus – sobra um “mas”.

Cotista tem nota boa na universidade, mas recua em cursos com matemática

Só lá no final do texto é que se registra o obvio: a dificuldade de desempenho nos cursos e cadeiras que envolvem física e matemática não é exclusiva dos que entraram pelo sistema de cotas.

“Especialmente os primeiros três semestres são puxados para qualquer aluno, porque exige muita matemática”, diz o presidente da Associação Brasileira de Educação em Engenharia, Vanderli Fava de Oliveira. “Para o cotista é ainda pior, porque ele chega com mais defasagem.”

É um problema crônico de nosso ensino – e não só o público – que sempre criou esta divisão absurda entre “humanas” e “exatas”, sem tratar o conhecimento como um todo. Vivi isso na passagem do ensino médio para a universidade, embora do lado oposto: fui para o jornalismo, mas meus colegas de Escola Técnica (pública e ótima) foram para o curso de Engenharia e foram quase os únicos a terem bom desempenho nas cadeiras de Cálculo, um “terror” para os que tinham recebido um ensino médio deficiente nisso.

Infelizmente, a atribuição de “valor de mercado” ao conhecimento, que leva a esta absurda separação de áreas gera essa anomalia, que custa caro à Universidade – porque dobra o custo, pela necessidade de suprir a tal “defasagem” – e desestimula o aluno, gerando forte evasão nos primeiros semestres, onde o professor Oliveira, que é da Federal de Juiz de Fora, “bate os 50%, para cotistas e não cotistas”.

O fato objetivo é que, apesar da renitência do pensamento elitista, a democratização do acesso à universidade pública não gera perda de qualidade – cujas razões não outras, materiais e filosóficas – porque a educação é o maior e mais rápido nivelador de competências e oportunidades de uma sociedade.

É por isso que a elite brasileira, que odeia a visão de pobres nos aeroportos, também se mantêm avessa à sua presença na universidade pública e, por isso, despeja neles os recalques de sua própria mediocridade.

Isso quando não lhes despeja, como faz agora,  esquadrões de policiais.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

13 respostas

    1. adevogado auxiliar da Janaina bolsista do mbl/rl. Vai pedir uma cota na facu do Gilmar, vai…
      tic tac tic tac

    2. Deixa de ser ridículo fascista….Vc é o primeiro a usar a Lei do Gerson…..A prova? O fato de vc tá faturando uns centavos falando merda nos posts deste Blog. Volta para o buraco porco fascista.

    3. Kawarinha/lula
      Você, sua mãe e a mulherzinha vão dar muito CU esse final de semana ? Sua mãe ou sua mulherzinha são adeptas do surubão ? Você e sua mãe têm vontade de foder com o Lulão?
      Se atente, filha da puta. Tô chegando perto de você. Se prepare.
      Tá avisado !
      Só vou lhe responder com esse texto.

  1. PT 12 anos x 21 anos golpistas de 1964.

    Nesta pequena resenha de hoje,naquele governo assassino,corrupto,elitista,fraudador de números como índices de inflação principalmente nos governos Medici/Geisel(a inflação no tempo dos golpistas de 64 foi bem maior do que os 60,5 anuais,com certeza),eles achavam uma glória terem colocado de 100 mil alunos matriculados em 1964 nas universidades para 1 milhão,segundo eles,só em 1981,e claro,alunos de classe média alta e elite classe A.

    Nos governos do PT,além de construir 13 Universidades Federais,400 escolas técnicas,um recorde,conseguiu Lula e Dilma aumentar a oferta de 3 milhões para 8 milhões de universitários,gente filho de pedreiro,cabeleireiro,porteiro,empregada doméstica,da baixada fluminense,Ibura da bala em Recife,periferia de SP,BH e afins,sem descriminar classes e também teve espaços para os racistas das classes dominantes e sem esquecer o grande sucesso das cotas raciais.

    Agora se muitos destes infelizes resolveram deixar o Jornal Nacional,Veja e Estadão pensarem por eles,lamentamos muito.

    O resultado está aí com Mishell Temer,Aécio Neves,Farsa Jato,Bolsonaro e o Nazifascismo batendo em nossas portas.

    Nesse pequeno comparativo dos 12 anos de progresso do PT x 21 de atraso do golpe,tem mais dados aí para mostrar como índice de Gini no tempo dos golpistas que pioraram significativamente de 1960 a 1980,etc,etc.Estes dados ficará para um próxima ocasião.

    Quem não se lembra da frase do herói de Alexandre Garcia,Médici:Que bom que os ricos fiquem mais ricos que é para os pobres ficarem menos pobre.

    Ou aquela outra infeliz :precisamos crescer para depois dividir o bolo.

    Tudo isso fracassou como a história comprovou.

    Por hora é só isso.

    Depois eu apareço por aí para encher o saco de novo.

        1. Veja a matilha que o senhor Fernando Brito tem alimentado nesse blog. O que é isso? Esse blog é um escândalo e um tapa na cara dos leitores. Aliás a grande maioria foi embora e no meu círculo de amigos o Tijolaço é considerado e blog mais incivilizado dos blogs sujos. Nao ha nenhum controle ou moderação digno das regras que o próprio blog pública mas não segue. Como se sentir no direito de dar lição de moral nos golpistas e na turma do ódio e do preconceito? Acorda articulista. Esse blog assim vai desaparecer.

        2. Kawarinha/lula
          Você, sua mãe e a mulherzinha vão dar muito CU esse final de semana ? Sua mãe ou sua mulherzinha são adeptas do surubão ? Você e sua mãe têm vontade de foder com o Lulão?
          Se atente, filha da puta. Tô chegando perto de você. Se prepare.
          Só vou lhe responder com esse texto.

  2. Esse país é um lixo. Será que a elite retrógrada ainda não percebeu que não tem cota em matéria de faculdade. Ou o cara passa por ter estudado igual todo mundo ou o professor da nota zero pra ele. Os professores não aliviam pra ninguém. Mas a elite xucra acha que cotista tem um bônus se tirar nota baixa numa matéria do curso e vai ser empurrado pra frente como na aprovação continuada do psdb.
    A verdade verdadeira é que a elite quer a benesse de estudar numa universidade pública boa e gratuita só para os filhos da elite. Querem os pobres e principalmente os negros bem longe da universidade pública.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *