Generais, não ajudem a tomarem a Amazônia dos nossos corações e mentes

O emprego das Forças Armadas no combate aos incêndios da floresta, especialmente na Amazônia, é absolutamente correto.

O que são falsas são as razões de “defesa da soberania” invocadas por Bolsonaro e, com imensa estultice, por diversos generais.

Não há ataque militar à Amazônia e o máximo que se tem de delírios deste tipo e o ongueiro-motoqueiro que o ex-capitão inventou ontem para culpar por queimadas criminosas.

O ataque que há e sempre houve à Amazônia é político, econômico e, por eles, ideológico.

Sempre esteve na mira dos interesses do capital, desde a Fordlândia, em 1927, passando pelo manganês da Bethlehem Steel Corporation, na Serra do Navio, no Amapá e, mais recentemente, quando Jair Bolsonaro manifestou seu interesse em mandar o filho trazer mineradoras norte-americanas para explorar terras indígenas.

Desde a derrota de franceses e norte-americanos no Sudeste Asiático, nos anos 60/70, nenhum estrategista sério tem qualquer ilusão sobre ocupar e controlar grandes áreas de floresta tropical densa, que é coisa muito diferente de despachar helicópteros e rolar tanques pelo deserto descampado.

Onde os militares deveriam estar é mesmo no combate ao desmate e ao garimpo criminosos, bem como na vigilância de fronteiras, porque isso lhes daria experiência e preparo para as missões de reconhecimento e intervenção sobre irregulares que, estes sim, poderiam ser ameaça real.

Com isso e com as ações de suporte às populações isoladas, na tradição magnífica que herdamos do Marechal Cândido Rondon, é que uma força armada dá sentimento nacional aos caboclos e índios amazônicos, que é a única forma de ter presença naquele imenso território.

Achar que a ocupação estrangeira da Amazônia se daria por tropas é, perdão, uma tolice completa.

Primeiro: os 5,5 milhões de quilômetros quadrados são inocupáveis. Se França, Alemanha e Reino Unido juntassem todas os seus exércitos, sem deixar um soldadinho em casa, ainda assim seus 300 mil homens não dariam senão um para cada 20 km quadrados de mata, o que impediria qualquer ação de concentração de tropas que desse eficiência à sua ação.

Atpé se fosse o imenso exército da China, daria um chinezinho para “ocupar” 140 campos de futebol.

Segundo, pela mesma razão que as queimadas estão escandalizando o mundo, é politicamente inviável repetir as fórmulas do Vietnã, com jatos e helicópteros desovando foguetes, bombas incendiárias e agentes químicos sobre a Floresta.

Portanto, é patética a sugestão feita ontem pelo general Eduardo Villas Boas de que o pronunciamento de do presidente francês, Emmanoel Macron incluia “objetivamente, ameaças de emprego do poder militar” contra o Brasil.

Faz muito tempo que a guerra não é só de armas, mas é híbrida e faz da opinião pública o seu principal campo de batalha.

Sabe como nos podem tomar a Amazônia, general? É tomando-a, já que falamos no Vietnã, de nossos corações e mentes, como quem quer algo somente para destruir, para queimar, para devastar.

E pior ainda, se prestando ao papel de serem uma “desculpa” de Bolsonaro diante da encrenca gratuita em que se meteu.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

28 respostas

  1. Esqueça essa farda Fernando,nunca valeram nada,de nada serviram ou servem,estão por de trás de todas as desgraças contra o Brasil e seu POVO ao longo da história.

    1. Concordo plenamente, são uns come quietos que nada produzem de útil para a nação, bem fez a Costa Rica de eliminar estes imprestáveis.

  2. Esqueça essa farda Fernando,nunca valeram nada,de nada serviram ou servem,estão por de trás de todas as desgraças contra o Brasil e seu POVO ao longo da história.

  3. GENERAIS CARA DE PAU,VOCÊS COM SUAS MEDALHINHAS DE LATA SEM JAMAIS TER ESTADO NA FRENTE DE BATALHA SE PREOCUPA COM SOBERANIA?
    ONDE ESTÁ O PRÉ SAL,A BASE DE ALCÂNTARA,A EMBRAER,NOSSAS TERRAS ONDE ESTÃO CAMBADA DE CUZÃO?!

    1. Uma coisa que me incomoda e, aparentemente, passa despercebida, é a pose desses ridículos agindo como donos das tropas: meu batalhão, minha divisão, etc, etc. A ÚNICA coisa que é de vcs seus pulhas é a cueca, o resto, uniforme, tropas, equipamentos, são do POVO BRASILEIRO. Entenderam? Isso não lhes pertence.

    1. Panelas na janelas só me remetem ao golpe. Devemos usar outra estratégia. Tipo gritar palavra de ordem

  4. Não estou lembrado de generais preocupados com nossa soberania quando se vendeu a Embraer ou quando o “mito” batia continência para a bandeira americana

  5. Já imaginaram se toda essa INCOMPETÊNCIA DE PIJAMAS, fosse em um Governo do PT?

    A Globo, a Febraban a CIA, os endinheirados e todos os CANALHAS fantasiados de verde-amarelo e de pijama, estariam depondo o Presidente.

  6. A guaerra da Europa com o Brasil, será uma guerra econõmica. basta boicotar a compra de produtos brasileiros, cuja população está indo para a miséria. Não terá mercado externo nem interno. Aí adeussssssssssssss agronegócio adeu comodites..

  7. O capetão está sentado no fogo do inferno ele diz que foi enviado por Deus e foi mesmo porque fica tomando se santo nome em vão e até ele já tá de saco cheio do Bozó.

  8. em geral eu concordo com o tijolaço mas irei divergir respeitosamente. Incêndio em bosques é coisa de aviões e helicópteros e dos bitelos. Minas Gerais na cidade do Serro exato meio do estado tem esquadrilhas daqueles aviões q parecem o Paulistinha do agrotóxico e todo ano pena pra apagar seus incêndios, em geral sempre no mesmos lugares. A Bolívia alugou um avião enorme. Portugal usa grandes helicópteros russos de duas hélices sobrepostas, aluga aviões especializados fabricados no Canadá e está comprando o avião militar de transporte da Embraer para entre outras coisas combater fogo em suas áreas florestais. E quem tem q ser enviado pra lá são os bombeiros de todo o país conforme ocorreu em Brumadinho. Eu se fosse filho de reservista jamais deixaria q ele entrasse nessa esparrela. Amazônia tem árvores altíssimas, é lugar inóspito, é muito fácil morrer ali numa situação extrema. Nossas ffaa fora engenharia e saúde não dão nem pro começo para aquilo q foram feito. Cairíamos em horas para um daqueles países asiáticos menos cotados. Imagine então botar essa gente q por default é despreparada e ainda pra fazer o q não aprendeu a fazer. Quando houve grandes tempestades no Rio Grande do Sul. Puseram soldados do exército pra ajudar mas as autoridades locais tinha medo de dar serras elétricas para eles com medo q se cortassem ou ferissem os colegas

  9. Ou nossos generais são imbecis, ou não entenderam a jogada. Bolsonaro consegue a proeza de fazer com que o país passe a desacreditar nas forças armadas, consegue fazer com que os ruralistas façam o jogo dos norte americanos, através do ataque as florestas e desta forma, nos colocar na linha de fogo para uma intervenção internacional na Amazônia. Nossas forças armadas estão tão bem preparadas que não suportariam um dia de guerra contra a Venezuela, por exemplo. Todas as cidades brasileiras estão indefesas contra um ataque aéreo, por exemplo.

  10. Invocar o Exército de Caxias para defender uma quadrilha de corruptos, milicianos e entreguistas foi um dos maiores delírios que já vi.

    1. Cês viram a imagem do General na TV onte? O cara tá todo remendado. É uma coisa hilária. Será quando estas múmias deixarão de tentarem mostrar uma grandeza que nunca tiveram. Só mesmo para uns cagões desta turma do supreminho de merda. Né mesmo, tofinho?????

  11. Já se sabe quem iria manusear os abafa fago , são os soldadinhos . Mais até onze horas porque não tem rango , os demais preferem os cursos , palestras , atualizações e comperações no exterior principalmente acompanhados de suas esposas . A maioria deles nem o ” fogo ” delas eles apagam .

  12. Vilas boas o “generalzinho” GOLPSTA E ANTI-NACIONAL ,SOFRE DE SENILIDADE.
    Para uma mente já não privilegiada submetida a décadas da EMBURRANTE CULTURA MILITAR ,o esforço do raciocínio é imenso.
    CALA BOCA VILAS BOAS ,ENTREGUISTA E ANTI-BRASILEIRO,VÁ CUIDAR DE VIVER BEM O QUE TE RESTA DE VIDA!!!!!!!!!

  13. O General deve estar arrependido da escolha pelo capitão mas não quer dar o braço a torcer e sai com uma bobagem dessas. Guerra o Brasil está travando consigo mesmo desde que deram o golpe em 2016 com o apoio de varios militares. Deu nisso que se vê hoje. Mais raciocínio e menos retórica barata.

  14. Exército tem é que garantir as fronteiras.
    O monitoramento do desmatamento e das queimadas é assunto técnico-científico, primeiramente.
    Depois existe a camada de leis que garantem a sua preservação, incluindo o aparato de fiscalização e policial.
    Bozo- e seu próprio ministro do ambiente ! – fez uma virulenta cruzada contra as próprias leis ambientais e contra quem fiscaliza e pune os crimes previstos nas leis.
    Leis que o Congresso aprovou!
    A verdade é que Bozo e sua turma vinham soprando essa brasinha desde muito antes de assumir.
    Até que o circo pegou fogo.
    Agora está aí o fogo do boicote ameaçando o agro e nos próprios agrominions.
    Não menor que o fogo armado por Weintrolha na Educação, cujo efeito é retardado e mais danoso ainda para a população.
    Tão ruim quanto a política econômica (?) ,promovida por Guedes na economia, para os trabalhadores e aposentados.
    Esse governúnculo já tinha o Bozo, mas tem um imenso circo, com ameaças de falta de pão para todos.
    Voltando ao assunto, esse negócio do exército ter que apagar fogo (no sentido literal e real) causado pelo Bozo é um desequilíbrio estatal insustentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.