General “porta-voz” acha que comunicação é “batalha nas redes sociais”

Confirmado, no início de noite, como porta-voz do Governo, o general Otávio Santana do Rego Barros acha que a juventude estava sendo ” introjetada nas faculdades e nos colégios de ensino médio por professores”  ressentidos pelo regime militar, que “passavam a colocar a narrativas deles contrária à gente para essa garotada”.

Segundo ele, é preciso fazer um “combate de domínio da narrativa” e o “campo de batalha” desta guerra é o da mídia social.” Cujo objetivo é o de influenciar a juventude que será ” advogado da instituição [o Exército] daqui há  (sic) cinco, dez, 20 anos. O advogado não que você necessariamente comprou ou pagou, mas que está capturado pela percepção e te defende. ”

Os conceitos do general, explanados  em entrevista dada à Folha de Pernambuco em junho passado, vão, portanto, muito além do simples dever governamental de informar, com clareza, sobre atos e projetos da administração.

E ficam bem próximos da frase que define a verdade como a primeira vítima das guerras.

Jair Bolsonaro vai completando, assim, o que pode ser o maior dano às Forças Armadas desde o desprestígio colhido pelo regime militar.

E consagrando o governo tuiteiro, cujo tamanho das mensagens é tão limitado e o teor tão bélico que, de fato, corresponde aos atuais governantes.

O problema é que, ao contrário do que se faz no Twitter, é mais complicado “apagar” o que disser o general.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

41 respostas

  1. tão enrolado quanto o chefe. se isso vai ser o porta voz, estamos mal arrumados. e haja general!

  2. Esses caras de pau que já destruíram o Brasil uma vez, voltaram agora pra tentar ressuscitar a ditadura, a tortura, a miséria que implantaram no passado. Eles serão derrotados novamente, mas temo que desta vez de forma mais trágica. Talvez precisemos uma “guerra das Malvinas” para varrer essa corja para sempre. O futuro dirá.

    1. Isso não leva a nada. Perseguição por “delito de opinião” hoje em dia é considerado uma espécie de tara medieval.

    2. É meus amigos…a se confirmar essa informação acima postada…é fato muito grave..vendem o património na bacia da Almas à preço vil….e combatem um inimigo interno que não existe….são traidores..

  3. Esse exército, desses comezinhos…acabou-se. Ele está com medo do julgamento da história? Quer orientar a narrativa? Por que o medo? Quem não deve, deixa a história naturalmente formar a sua própria narrativa….Novamente pergunto, por que o medo?

    1. medo porque sabem que deitaram e rolaram nas arbitrariedades e cometeram crimesm medonhos que não são aceitos em lugar algum no planeta

    2. Alguém acha que aquela ausência de obrigatoriedade de referências bibliográficas no edital do MEC foi acidente, no meio de temas mais polêmicos de questões identitárias? Quase que passa despercebido hein?! Se deixar, eles reescrevem a história do jeito deles, sem pesquisas documentais, sem precisar ser historiador ou geógrafo pra publicar livros. Bastaria apenas numa nova interpretação de geopolítica do Brasil e mundial baseada no achismo contemporâneo do whatsapp para um zé mané qualquer vender livros “do bem” para as escolas.

    3. Há algo na comunicação dessa gente, não apenas desse general, algo que vai de Bozo a Damares, de Araújo aos Três Patetas, em todas as direções, ficando de fora os que ali têm objetivos mais específicos, como o Guedes, que fala língua de especulador. O núcleo desse chamado governo fala as mesmas frases, cuja construção é igual, deixando claro que provêm da mesma fonte; provavelmente, a fonte do hemisfério norte, onde se originou toda a conspiração para obter o poder no Brasil. É normal que pessoas com interesses e objetivos semelhantes falem um certo jargão, como aficionados por corrida de cavalo, velejadores, criadores de gado, estivadores no porto, por exemplo, o que, contudo, não lhes tira as características pessoais ao se expressarem. O que causa estranheza nessa gente é o modo absolutamente enquadrado a uma fórmula como se expressam. É como se tivessem sido condicionados, como cães, para darem sempre a mesma resposta. Isto é muito mais marcante nesse grupo de generais. Ali, parece que a inteligência foi suprimida para dar lugar a uma fórmula. Cada vez que ouço ou leio uma manifestação de uma dessas pessoas, tenho a impressão de assistir àqueles filmes do período da Guerra Fria, onde uma força vinda do espaço se apossava das pessoas, eliminando sua vontade e inteligência, estabelecendo um comportamento de autômato.

      1. Tuche…
        Isso é mais escancarado nesses que apontou pelo nivel intelectual, mas de forma mais suave, sofisticada tvz, vc capta em outros tbm. muda o canal, muda a linguagem, mas é a mesma mensagem…

  4. Quem controla o presente, controla o passado
    Quem controla presente e passado molda o futuro.
    — Não lembro o autor

    * Oficialmente, não há mais golpe, e sim “movimento”, quem sabe logo, “revolução libertadora” de 64. O resto, bobeiras como tortura e corrupção, é discurso da esquerda.

    #LulaLivre

    1. “O passado é um intrometido, está sempre presente” (Mário Quintana).E eu digo; pra fustigar
      as consciências dos golpistas de 64.Vejam a primeira palavra desse general otávio: guerra!

  5. Estamos num governo militar e a sociedade civil assisti a tudo isso sem o menor medo de retrocessos em todos os campos.
    Por onde andam as mentes inteligentes desse país? Sucumbiram ao facista militar da reserva que agora nomeia para tudo quanto é cargo um militar, principalmente do EB?

    A omissão é um crime e uma vergonha.

  6. São esses mesmo militares que daqui há uns 10 anos afirmarão que o Mourão – com apenas 7 dias de governo – nunca promoveu o próprio filho.
    Que nunca houve caixa 2 assumidamente de um ministro de bolsonaro, que a história de uma ministra e o seu pé de goiaba era toda coisa de “comunista” mentiroso.

    Enfim, acho que esses caras precisam ir para uma guerra de verdade urgente. É muito tempo ocioso em quartéis fazendo absolutamente nada.

  7. desde quando a midia começou falar do Mensalão, sempre tive a impressão de que tudo era só um pretexto pra incriminar e prender os que lutaram contra a Ditadura, e essa impressão só se faz confirmar a cada movimento desses trasstes – passando, óbvio, pelo fuá que fizeram na época da implantação da Comissão da Verdade e dempois se negando dar as informações, mentindo e escondendo os documentos.

  8. Esqueceram de dizer ao general que as próprias redes sociais se encarregarão de desmentir ou dissolver essa tentativa de cooptação da direita. Quando perceberem que essa perseguição aos “comunistas” (sic) é inócua, o que farão? Proibir o acesso às redes sociais? Infelizmente nossas forças armadas ainda estão com o olhar para os anos 60.

    1. Você está supondo um uso normal, mas não se esqueça que na última campanha eles usaram intensivamente o whatsapp e conseguiram comandar a narrativa da campanha. Eles devem estar usando os mesmos grupos para legimar as maiores barbaridades.

      1. desculpem-me ,mas,essa ingenuidade a respeito das ffaa ,é um dos motivos dessa turma ainda ter poder neste país.
        A história está ali,é só pesquisar e entender o papel dessa organização.

  9. É um fela da pAuta, como todo militar… Freud, o genial fundador da Psicanálise, estudou (em sua obra “Psicologia das massas”, capítulo V – DOIS GRUPOS ARTIFICIAIS: A IGREJA E O EXÉRCITO) estudou a relação entre religião e militarismo, segundo ele, duas faces da mesma moeda ou seja aspectos comuns de uma patologia social em que, nas palavras do mesmo Freud, há intensificação exacerbada d”o principal fenômeno da psicologia de grupo: a falta de liberdade do indivíduo num grupo. Se cada indivíduo está preso em duas direções por um laço emocional TÃO INTENSO, não encontraremos dificuldade em atribuir a essa circunstância a alteração [patologia] e a limitação que foram observadas em sua personalidade.”. Sempre em nome desse Deus, “curinga para justificar todas as opressões e com o qual o poder mercadeja”. Como no poema concreto que diz que Cri$to é a solução, tudo nas tradições cri$tã$-judaica$ sempre termina em Deu$… ou DeU$.

  10. General Mourão e o Presidente Capitão falaram em entregar a Amazônia. Diante disso não vejo razão nenhuma para termos Forças Armadas.
    No Colégio, Faculdade nem tocam em assuntos de ditadura militar, o que é um gravíssimo erro não denunciar o entreguismo, o roubo.

  11. Entao o Sr. general quer aplauso pelo Rio Centro, pelas bombas na OAB, por Rubens Paiva e tantos outros ?
    Sinto lhe informar, mas vai perder DE NOVO !

  12. O General está errado. Quem bota estas ideias estapafúrdias na cabeça destes militares? Impressionante.

    1. da Folha de Pernambuco, de onde copiei e colei o texto. Vou corrigir, perdão pela “mosca” comida…

      1. Vc honra todos nós. Te desejo pronta recuperação, de coração. Fique à vontade pra usar minhas charges (veja no Facebook, em “Cartoonist Ralfo”) se achar pertinente. Sem ônus. Aceito encomendas suas também, como colaborador.

  13. ESSE SUJEITO DEVERIA EXPLICAR POR QUE SOCIEDADES COMO A ITALIANA ,ESPANHOLA,INGLESA,ALEMÂ,CONSEGUIRAM SE CONTRAPÔR A EVENTUAIS DISSIDENTES POLÍTICOS SEM TORTURA-LOS OU MATA-LOS (SEM PROCESSO JUDICIAL NENHUM) COMO FIZERAM AS “PATRIÓTICAS” FFAA BRASILEIRAS.
    ATÉ LÁ ESSES GENOCIDAS DEVERIAM,( SE TIVESSEM VERGONHA NA CARA),SE ESCONDER DENTRO DOS QUARTÉIS.

  14. os religiosos q estão governo do bozo e os militares vivem em mundos paralelos. foi surrealista o q disse o ex-chefe do exercito na sua saída. Infelizmente, mesmo estando aqui e pagando o pato junto, teremos q torcer para q o governo dê 100% errado e daqui uns meses ou anos nenhum jovem brasileiro queira ver um milico no governo, quanto mais defendê-los…

  15. Pau nos cus de milicus é pouco… essas desgraças merecem mesmo é a morte, duas ou mais mortes, porque só uma morte para militar é pouco, militar merece morrer duas, tres ou mais vezes pra ver se melhora ou despiora um bilionésimo

  16. Estes milicos tupiniquins nunca lutaram uma guerra, a não ser contra o seu próprio povo. Patéticos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.