Governo perde no abono salarial e pede para adiar Previdência

Apenas 42 votos, quando o mínimo seriam 49 votos, foram insuficientes para que o Governo abolisse o pagamento de abono salarial a quem ganha menos de dois salários mínimos.

O resultado foi que o governo pediu a suspensão dos trabalhos na sessão e foi acompanhado pelos outros partidos da base governista.

Amanhã, porém, tem sessão do Congresso e, na pauta, a reforma eleitoral, que tem de ser votada pelo princípio da anterioridade de um ano na promulgação de regras para eleições.

Davi Alcolumbre convocou sessão para 11 horas da manhã, mas terá de votar seis destaques antes de 15 horas , quando começa a seção do Senado.

Objetivamente, complicou-se a votação da reforma da Previdência.

É quase impossível a promessa de votar o segundo turno no dia 10, como havia sido prometido.

A oposição está, mesmo em minoria, conseguindo retardar o golpe que fará o brasileiros trabalharem mais para ganhar menos.

O Governo sonhava em ganhar de lavada, com até 64 votos a favor de Paulo Guedes.

Foi caindo de 59 para 42 à medida em que a votação avançava.

E não foi por causa da hora.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

8 respostas

    1. Negocio vai pegar fogo
      Trump enrolado
      Eleiçao na Argentina
      Crise no Peru
      Lembrança de 1 ano da eleiçao deste e centenas de senadores e dePUTAdos putos
      Sinodo na Amazonia

      É demais pro 00

  1. Migalhas…..a idade mínima que ferra todos os trabalhadores passou……..e não se viu um pio contra, afinal,o problema desse país é o Lula……..

  2. Essa é a nova política…
    Agora o s milicianos no poder entregam mais algumas coisas e, como diz o narrador, segue o jogo..

  3. Os meninos e meninas da Faria Lima e, principalmente, seus chefes já esfregam as mãos. Não, não pensem que é “só” pelo que vão ganhar com a destruição do sistema previdenciário. Eles em geral não fazem a mais p. idéia dos efeitos e consequências econômicas e sociais do sucateamento da prestação dos serviços previdenciários e da precarização ainda maior da situação dos beneficiários do sistema. Na simplicidade do raciocínio binário e tosco dessa gente a “aprovação das reformas” tem um sinal positivo (aumento da “confiança”)
    e qualquer atraso ou risco de não aprovação um sinal negativo, e esses dois estímulos fazem com que percam ou ganhem no “playground” dos mercados futuros da BM&F. Como vivem e habitam um confortável mundo paralelo, podem ignorar durante muito tempo os estímulos da realidade que insistem em desmentir suas ideias lunáticas. E como os polpudos lucros bancários literalmente bancam toda essa irresponsabilidade os meninos e meninas podem continuar sendo regiamente pagos para continuae no “play” e com suas ideias. Um dia a Finança acaba matando a pobre galinha dos ovos de ouro que a sustenta: nós, o povo.

    1. Menos dinheiro na base, maior a recessão ! O Brasil se saiu muito bem na crise mundial , porque o Estadista LULA retirou impostos da linha branca, deu créditos a juros baixíssimos, e principalmente reajustando o Salário Mínimo sempre acima da inflação. O resto, a demanda reprimida sendo libertada fez o trabalho…e o PIB cresceu como jamais anteriormente.
      #LulaLivre já !!!! E sempre !!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.