Indústria cai de novo. E não chegou o “efeito Argentina”

O IBGE divulgou agora cedo o resultado de sua pesquisa sobre a produção industrial.

Menos 0,3 sobre junho e 2,5% em relação a julho de 2018, o que deixa o acumulado em 12 meses no negativo de 1,3%.

Não entrou na conta, claro, o efeito desastroso da crise argentina sobre nossas exportações industriais.

Os hermanos nos compravam sete entre cada dez automóveis exportados por nossas fábricas.

Em todos os setores, em agosto de 2018, exportamos US$ 1,33 bilhão para a Argentina. Mês passado, só US$ 793 milhões.

E a derrota eleitoral de Macri foi apenas no dia 9.

Portanto, o que está ruim, vai piorar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

33 respostas

  1. Que caia mais e mais, até ficar enterrada debaixo da terra.
    Quem sabe assim aprendem a respeitar presidentes que governam para o Brasil e não para os EUA e/ou para a plutocracia mundial.

  2. O objetivo deles e por pura competência de fazer merda, é provocar o caos para justificar entregar tudo para o EUA. Inclusive a Petrobras.
    Êh, ô, ô, vida de gado
    Povo marcado
    Êh, povo feliz! …

  3. A saída é instalar um poderoso complexo industrial para fabricar bijuterias de nióbio. Como já sugeriu o imbecil presidente…

    1. esquecemos dessa maravilhosa fonte de renda! biju de nióbio, nos melhores camelôs do mundo (empreendedores, viram?)

  4. E o genial ministro da economia diz que o Brasil não precisa da Argentina para crescer. O pessoal da nossa indústria automobilística deve ter arrancado os cabelos de raiva.

  5. esqueceram de incluir as 3 carretas de abacate? Faria uma grande diferença. Mas como é produção industrial, não deve ter entrado. Brito podia fazer uma comparação entre a queda da produção industrial e os ganhos do rentismo dos “industriais”. Nem sei sei se é possível

    1. Impossível, sra. Freitas. O rentismo brasileiro não está ao alcance de nenhuma lei da transparência, poucas coisas são mais opacas no País que seus ganhos reais.

      1. pode ser bem difícil mesmo, mas impossível não é. Só não adianta pegar os dados da farsa jato, pq não existem

        1. Verdade….se existe coisa escondida a sete chaves são os ganhos desse pessoal…..Por isso que só o pobre assalariado é taxado (não pode esconder o que ganha).

    2. Boa ideia! Os “industriais” têm a atividade principal como fachada para um rentismo desenfreado. Na hora em que veio o crash de 2008, a General Motors dos EUA correu pra debaixo da saia do Estado, senão iria falir.

  6. Brasil não tem presidente, tem um FANTOCHE, e o resultado ta aí, tudo parado e acabando nossa indústria o comércio já era.

  7. Nossa grande e orgulhosa indústria vai inteirinha para o vinagre, porque o gestor colonial não quer concorrências com a matriz. A indústria automobilística vai ficar reduzida a oficinas de lanternagem de fundo de quintal, para recuperar mil vezes seguidas veículos usados por décadas, já que ninguém vai poder comprar mais carro zero. Como em Cuba. Só que lá isso acontece por causa de um bloqueio econômico, e aqui, vai acontecer por causa de um bloqueio mental.

    1. Da mesma forma, nossos digníssimos usineiros podem já se preparar para exportar ou mesmo, vender ao mercado interno, tão somente açúcar a partir da cana.

      Porque o Etanol sofrerá um aumento absurdo da cota de importação, sem qualquer sobretaxação que vem dos EUA, após o encontro entre o filho-embaixador e o Departamento de Estado.

      Dada a cada vez maior privatização da Petrobras, não pense que, na hora de escolher qual será o biocombustível prioritário a ser demandado, ela irá pelo Etanol brasileiro em situação menos competitiva.

    2. Falou tudo em poucas linhas….Vai ter gente remendando carro até cair de velho……E a industria da pirataria vai prosperar como nunca dantes visto…..Será que os EUA (nossos grandes amigos e aliados) vão dar visto para os filhos da classe média trabalharem lá fritando hamburguer??

  8. Temos que pressionar o Macri para aumentar a importação do abacate brasileiro. Bolsonaro deve ir à Antártida e Ártico fechar contratos para exportação de refrigeradores e freezers brasileiros. E falar com os Emirados Árabes e Arábia Saudita para que comprem gasolina brasileira. Pega fogo, cabaré.

  9. Mas vai melhorar. Kkkkkkk sempre para o futuro, kkkkkkk nunca chega. É como aquele burro andando atrás da cenoura amarrada. Kkkkk esse é o mito. Kkkkk

  10. Tenho quase certeza que os industriais que “quebrarem” ainda poderão curtir a vida, até fora do país. Mas, os trabalhadores… vamos pastar muito…

    1. Verdade….essa turma vai pegar a grana, investir no mercado financeiro e ser feliz em Paris (terra do odiado Macron…). Já os pobres de direita e a classe média vão se afogar na recessão economica….

  11. Os coxinhas (Comerciantes) estão putos da vida, pois apoiaram de maneira encarniçada o Bolsomerda e hoje nem vendem nem recebem. Mas, é assim mesmo: O castigo anda a cavalo!
    Aqui no meu bairro fecha umas cinco lojas por dia. Mas, isto não é nem o começo da desgraça.
    O dor!
    Que dó né!

  12. Aqui no DF o jornal da Rede Esgoto fez reportagem hoje mostrando o fechamento record de Lojas, empresários falidos, pedindo concordata, recuperação judicial etc. votaram em peso no Cabeça Oca e agora estão colhendo os frutos infelizmente!!!

    1. Pois é….aqui na região onde moro, sobram pontos comerciais para alugar….E quem tem o ponto alugado até baixa o aluguel, com medo do inquilino se mandar e o imóvel ficar às moscas. E aqui também, boa parte dessa gente votou no 17….Outro dia fui num grande shopping da cidade vizinha, e tirando a praça de alimentação, o resto estava vazio…só havia alguns gatos pingados passeando nos corredores e olhando as vitrines…Uma conhecida (que aluga uma loja nesse shopping) disse que vários comerciantes estão pensando em sair de lá devido à queda das vendas e o alto custo da locação. Resumindo: como era previsto, as águas da recessão começam a chegar aos camarotes da classe média.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.