Intercept volta a ter a iniciativa do jogo

O silêncio da Globo , até este momento em que escrevo, sobre a declaração do hacker de Araraquara de que não recebeu dinheiro e repassou os arquivos de diálogos de Deltan Dallagnol, Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato, é eloquente sobre sua tristeza.

Nos últimos dois dias, o morismo tinha tomado a iniciativa do jogo político na “Vaza Jato” e deixando o jornalismo que revelou as promiscuidades e ilegalidades praticadas em Curitiba diante da desagradável situação de ver-se associado a estelionatários, cheios de passagens na polícia e na Justiça.

Embora isso nada tivesse a ver com o conteúdo das informações reveladas, claro que era uma fragilização, muito embora a história da invasão de celulares estivesse – e ainda está – cheia de incongruências.

Não ter havido pagamento e identificação – seja o personagem de Araraquara ou não a fonte – tudo isso vem abaixo. O que resta ali, sendo ou não os hackeadores, é um grupo de estelionatários, que não tem ligação com o conteúdo dos arquivos, obtidos por eles ou não.

Apesar do silêncio global, está claro que Greenwald escapou de seu principal perigo: o de ficar isolado, por medo dos veículos que se associarem à divulgação das mensagens recuarem diante da história dos “hackers” pilantras.

Prevaleceu o óbvio: o que importa é a veracidade da informação, o fato, não o caráter do informante primário.

A Folha acaba de divulgar uma nota dizendo que “não comete ato ilícito para obter informações, nem pede que ato ilícito seja cometido neste sentido” mas que pode “publicar informações que foram fruto de ato ilícito se houver interesse público no material apurado”.

E há, é evidente.

Não sei se hoje ou se amanhã, o The Intercept moverá uma nova pedra no tabuleiro.

 

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

25 respostas

  1. Eu tenho a impressão de que mesmo sabendo tudo de ilegal que carrega no currículo, mr. Moro acredita que tem proteção da Globo (e que quem lhe nega proteção esteja corrompido pela avidez por fofocas e audiência) porque de fato prestou um serviço precioso ao país. Falta ter certeza de qual país ele está falando.

  2. Mais uma vez ,estamos a teorizar sobre a narrativa criada por eles.Assim como no GOLPE ,todo o processo e os tempos do mesmo estavam nas mãos deles ,assim pretendem faze-lo novamente.
    E estão conseguindo neste momento.
    PASADO UM TEMPO ,FICARÁ CLARO QUE TODA ESTA HISTÓRIA DE HACKERS É UMA _____FARSA____,MAIS UMA DO DELINQUENTE MORO.
    HISTÓRIA MUITO MAL CONTADA E DESTINADA A GANHAR TEMPO E DILUIR O FOCO REAL DA QUESTÃO,OS CRÍMES COMETIDOS PELA QUADRILHA DA LAVA JATO CHEFIADA PELO MARRECO CRIMINOSO .

  3. A sordidez da matriz originária do golpe – estacionada nos EUA – é suficiente para contratar mercenários para atuarem em favor de seus propósitos. Quero dizer que é possível a esses mercenários – contratados para essa versão estapafúrdia dos hackers de Araraquara – terem sido instruídos a dizerem que o encaminhamento do material vazado foi “…de forma anônima, voluntária e sem cobrança financeira.”. Embora pareça contraditório (porque pode livrar Glenn de outras ações persecutórias, neste momento), essa versão dá tempo de reação aos golpistas, retoma a iniciativa do jogo, deixa o conteúdo vazado por Glenn em segundo plano, credita uma certa “competência” à Polícia Federal, permitindo adiante as variantes necessárias para uma narrativa em que os crimes cometidos não sejam investigados e seus autores – eventualmente – punidos, fazendo com que, como diz o filósofo popular: “mudar tudo que for possível para manter tudo exatamente como estava antes (do vazamento).

  4. Como se dizia antigamente, está uma briga de foice no escuro. Só que, neste caso, os contendores enxergam com óculos especiais que nós não temos. Rssss

  5. A Globo deve ter se tocado que nao da mais pra defender o Mofo sem jogar os proprios funcionarios aos leoes, porque se podem prender o Greenwald afora, por que nao prender outros depois? Afinal, onde passa bo passa boiada.

  6. Ele não ficaria isolado por não contar a grande mídia nacional . O que for publicado no THE INTERCEPT BRASIL , seria replicado em toda a blogsfera e parte da mídia dominante . Teria sim a repercussão e efeitos desejados .

  7. Globo equilibrando-se no fio da navalha…tem tudo para acabar sangrando. A maioria da população vai entender essa questão: The Intercept não teve envolvimento com bandidos, apenas transmitiu informações, se é que os documentos tiveram origem nesses russos (kkkkkk) de Araraquara.

  8. Soube pelo UOL que Moro disse que as mensagens serão destruídas, sob as ordens dele, é claro. O que ele quer é impedir que se compare as conversas publicadas pelo Intercep com os arquivos originais para refutar a veracidade delas. Se ele fosse bem intencionado iria fazer questão de preservar os arquivos para se defender de qualquer alteração. O ex-juizeco pensa que somos idiotas. É por causa deste tipo de coisa que sendo ele objeto das denúncias não poderia estar a frente das investigações. Está aí a prova.
    Então, ALÔ STF, Moro quer destruir o arquivo encontrado com os hackers e que norteia as publicações do Intercep para impedir que se faça comparações e que seja confirmado todo o teor das denúncias.Eu espero que vocês analisem a argumentação do ministro Gilmar Mendes de que a prova ilícita pode ser usada para absolver um condenado injustamente. Neste sentido, se vocês puderem, por favor o impeçam de destruir as provas, e se não puderem, simplesmente acatem as denúncias do Gleen, pois, se Moro, mesmo sabendo que a prova ilícita não poderá ser usada contra ele, ainda assim quer destruí-la é porque ela contém atos escusos, e talvez até crimes, que ele não quer que sejam confirmados.
    .

    1. Ou não existe arquivo nenhum e por isso ele fala em destruir, aí tudo fica por conta da palavra dele. E não é à toa que ele está falando que deus e todo mundo foi hackeado, quer tocar o terror.

  9. Estelionatários ou não, se esses hackers realmente foram os responsáveis pelo vazamento das informações, merecem uma medalha. A maioria da esquerda vive andando num fio, receosa de escancarar a ditadura enrustida que estamos vivendo e duvido que tentaria entrar nos celulares desses cretinos da lava jato. Fizeram mais pelo Lula do que a maioria da esquerda brasileira.

  10. Como é esse troço de destruir provas de um inquérito policial em curso e que teriam necessariamente que serem usadas no processo penal para condenar os hackers? E essa coisa de problema psiquiátrico do acusado? Isso ‘dai’ é para poder aplicar nele uma medida de segurança e não ser necessário os arquivos como prova para condena-lo? Pois mesmo que o STF não possa fazer nada, eu espero que os ministros estejam atentos a essas manobras criminosas para quando forem julgar a suspeição de Moro.

  11. Moro, Bozo e Globo não estão nem aí com com a veracidade dos fatos. Estão e vão criar novas versões para calar o Intercept e manipular os devotos e ateus. Estamos em uma DITADURA miliciana. A grande imprensa apoia o governo e está procurando uma justificativa para não divulgar mais nada. Somente o povo organizado e na rua (com muitos riscos) é que será capaz de derrubar esse governo criminoso. Com Mourão continuaremos numa ditadura menos ruidosa e estúpida na forma, não na essência.

  12. Destruir provas não eh obstrução de justiça? O que falta para o STF mandar prendê-lo? Quando o pais acordar sera tarde demais.

  13. Moro e Ali Kamel irão tentar novas cartadas nos próximos dias.
    Fernando, acabei de ler no Globo uma notinha falando sobre esse fato. Não mencionam o básico que o “Hacker” falou que se apresentou como anônimo ao Glenn. (mas não, não acredito que ele seja a fonte)

  14. Já publiquei nesta caixa de comentários, há cerca de um mês, artigo de
    Glenn Greenwald escrito em 2005, quando ele anda era um falcão
    anti-socialista e detrator dos governos de esquerda e centro-esquerda
    latino-americanos. Apresentei não só o link para o artigo original, como
    também uma tradução para o português. Mencionei também o fato de que
    TRÊS das fontes de Glenn e o Intercept foram entregues ao FBI, estando
    duas já presas. Edward Snowden – esse personagem ambíguo que os russos
    exigiram que fique calado, caso pretenda continuar asilado político
    nesse país – só não caiu nas mãos do FBI porque os russos, informados
    por Pepe Escobar de que os chineses de Hong Kong o entregariam às
    autoridades estadunidenses, trataram de retirá-lo desse estado/província
    da China, mas que guarda estritos laços com os colonizadores
    estadunidenses e ingleses. Portanto esse papo de que Glenn Greenwald não
    “revela a fonte” por ética profissional só convence mesmo as velhinhas
    de Taubaté e os “hackers de Araraquara” e bozomínions. Na verdade todo
    esse teatro bufo do “interceptador”, dos seus editores e de quem o
    controla – o bilionário franco-estadunidense Pierre Omidyar, ligadíssimo
    ao Deep State estadunidense – não passa de uma operação controlada. A
    fonte dos traques interceptianos anunciados como “bombas atômicas” são
    os próprios lavajateiros ou os chefes destes. Enquanto a patuléia se
    distrai com esse circo, o desmonte eo entreguismo seguem a pleno vapor,
    como vimos ontem com a BR Distribuidora.

    1. Acabou o cartela de tecretol de 20mg ou o psiquiatra teve que aumentar a dose? Cara, na boa, não viaja…essa tese maluca tem nome e endereço, vem de lá dos aloprados do D.E!

    2. Isso é IRRELEVANTE! O que vale é o contexto das MENSAGENS, ou seja, o conteúdo comprometedor dos diálogos travados pelos integrantes da república de Curitiba via telegram…se quem financia o The Intercept é um Alien, um russo, um iraniano ou um habitante de Saturno isso é completamente trivial.

    3. Meeeenos…bem menos….QQ que seja a intenção, já trouxe luz a muitas das trevas em que jogaram o país…

  15. A Globo grita “Goooooooooooooooool” quando o time dela marca.
    O silêncio da Globo indica que seu time, com seu juiz ladrão e tudo, até pênalti roubado está mandando para o fundo de sua própria rede.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.