Isolamento não funciona?

A patética trinca de dirigentes do Ministério da Saúde que apareceu ontem na entrevista coletiva disse que não há provas de que o distanciamento social possa ser eficiente para reduzir os efeitos da pandemia do coronavírus.

Os três deveriam olhar os números acima e descobrir que muito mais eficaz do que a palhaçada feita em torno da cloroquina é um Presidente da República que não hesita em decretar o “fique em casa” como política de governo, como fez Alberto Fernández na Argentina, quando o país tinha apenas 45 casos confirmados.

Vi um meme na internet e fui conferir os números.

Mesmo considerando que a população da Argentina é 4,7 vezes menor que a brasileira, se você multiplicar os dados daquele país, ainda assim ficaremos a milênios-luz dos hermanos portenhos.

O número de mortes, proporcionalmente, não chegaria a mil e o de infectados a 20 mil, menos de um terço dos nossos aqui.

Será que “Deus é argentino”, como o Papa? Será que é o clima quente do país? Será que o argentino toma mais “banho de esgoto” do que aqui?

Qual é a “explicação” do general Pazuello para o que disse ontem sobre o isolamento dá resultado em alguns lugares e em outros não, como disse ontem? Isolamento dá resultado na Argentina e não dá no Brasil porque lá não tem essa desculpa que vocês arranjaram da tal “não-lineraliedade” que é, no fundo, um “não podemos contrariar o capitão”.

Botem isso na conta de suas almas, senhores cúmplices de Jair Bolsonaro e de seus adoradores da morte.

E julguem todos, para se lembrar no voto, da diferença entre ter um presidente e um facínora no comando de um país.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

24 respostas

    1. Não só na direção. Milhões de brasileiros tomam o Bozo como verdadeiro messias e, entre a razão e a religião, ficam com suas crenças medievais.
      Tb pudera, são guiados por líderes religiosos (pastores, padres e outros) que pregam tudo, menos o amos ao próximo.

  1. Agora entendi porque chamam de governo do “mito”.

    É uma abreviação de mitômano, aquele que sofre da patologia de mentir sistematicamente.

    1. Guanabara, se fosse só isso estaria bom.
      O furo do “mito” é bem mais embaixo.
      Tal qual Mussolini era a trasmutação de uma horda fascista na figura do “Duce” e Hitler na figura do “Führer”, o projeto fascista no Brasil a comando da internacional fascista, com Steve Bannon à frente, e da CIA, com Mike Pompeo à frente, emulando o Duce e o Führer, do nada e sem nada real para funcionar como catalizador que ligasse ao bozo, fabricou o “mito”. E esta esfera de vácuo movida à muita propaganda (tanto nos canais convencionais – incluídos os jornalões, TVs, rádios e revistas – como o submundo midiático das redes sociais) e doutrinação, nas igrejas (principalmente evangélicas mas não só), na maçonaria, na burocracia estatal (terreno fertilizado pelo chorume olavista) e nos quartéis, criou o calde de cultura de onde surgiu a horda fascista que se transmutou no “mito”.

  2. Essa é a diferença entre um país que tem presidente é outro que tem palhaço no poder. Viva o Bolsonaro e seus generais sub-comandantes.

  3. O que os BRASILEIROS DEFENDEM SEMPRE,é o LUCRO DOS BURGUESES.Ou seja,sem lucro,não ha esperança.O lucro dos ricos,naturalmente.E o IGNARO ETERNO,O POVO BRASILEIRO,continua a apoiar o que os BURGUESES DIZEM.

  4. https://youtu.be/7kNtk60UO58

    Vejam este vídeo de um professor da FGV, pesquisador em epidemias da FIOCRUZ. A partir dos 6 min, ele mostra a estatística histórica de mortes por doenças respiratórias graves, em SP. Fora desta época é de 1 por semana! E nesta época do ano, em média, 5 !!! Em anos muito ruins, 14 !!!. Não é preciso ser matemático para ver que não somente há sub-notificação. Dá pra desconfiar de falsificação: No mínimo,proibiram de notificar sem testes.

    É preciso entrevistar este cidadão.

  5. Faz tempo que insisto com isso,olhamos para o norte esquecendo que temos muito mais familiaridade social,histórica,económica com os nossos vizinhos.
    Os argentinos estão fazendo quarentena rigorosa ,sendo um país saqueado e endividado até o pescoço por 4 años de ladroagem neo-liberal,mas,eles estão conseguindo reduzir seu número de mortos ,por qué???são superiores a nós,são alienígenas??alguém com culhões devería perguntar isso aos patetas genocidas que dão essas reuniões de imprensa para justificar a sua incapacidade e deleite pelo genocídio.
    É simples ,é a escolha pela VIDA.
    Que bobagem né? escolher a vida das maiorías em detrimento do lucro das minorías .PQP !!!!!!
    Comentava hoje almoçando com minha filha,” acho que acabarei morando en Argentina,lá existe algo importante –esperança—-“

    1. E infelizmente estamos numa curva acelerada ainda (vai piorar…)
      Todo o sacrifício inicial feito, foi jogado no lixo e num futuro muito próximo, estaremos pior que os isteites hoje … Acho que só o diabo é brasileiro !

      1. Duvido muito que o diabo, caso existisse, fosse brasileiro. Afinal, parafraseando o já dito há muito tempo, ele seria o diabo não por ser velho, mas por ser sábio. Por outro lado, não tenho a menor dúvida que seríamos seus brinquedinhos prediletos.

    2. até o paraguai ta fazendo uma quarentena melhor… que humilhação, o paraguai nem saúde pública tem…

  6. É um massacre mental de coronavírus. Enfim, vamos lá. E alguém explica porque a Bélgica está com mais de 7.000 mortos e a Índia com 900 ? Não deve ser por causa da quarentena indiana né. NÃO estou dizendo que não tenha de fazer ISOLAMENTO. TEM SIM, é o único recurso que temos até agora. Mas não mistura a questão do clima porque aí não tem cabimento, vira uma questão tipo cloroquina. Teria de ser explicada a diferença de mortes nos hemisférios Norte e Sul e mostrar que não tem a ver com o clima e a estação.

    1. A Bélgica resolveu informar todas as mortes e casos confirmados. Não há subnotificação lá.

  7. Na verdade o número de mortos, fosse a Argentina populosa como o Brasil seria de 850 mortos. 5 vezes menor.

  8. O que devemos considerar, no caso da Argentina, além da postura do governo (onde não há um louco+um aglomerado de débeis mentais),é que se trata de uma população muito mais escolarizada do que a brasileira, o que contribui para uma melhor percepção da gravidade da pandemia e consequentemente a obediência às normas.

  9. O tal general Pazuello disse que o Brasil é “inúmeras” vezes maior que a Europa! Daí pra se ter uma ideia da capacidade intelectual do sujeito!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.