Jair, sai do cercado e fale na frente do supermercado

Pelo terceiro mês consecutivo a inflação fica acima de 1% em um mês, o que não acontecia desde janeiro a março de 2015, marcando o pior maio desde 1996.

Completamos 8 meses com inflação na casa dos dois dígitos.

E, com uma imensa cara-de-pau, Jair Bolsonaro declarou hoje que “o Brasil foi um dos países que menos subiu o preço das coisas” e que “no Canadá a picanha está muito mais cara”, isso no país que preside, onde milhões estão, quando muito, comendo carcaças e pés de frango.

E se vangloriou de que o corte para churrasco custa aos canadenses o dobro do que se cobra no Brasil.

Claro que Jair “esqueceu” de dizer que o salário mínimo no Canadá é “apenas” dez vezes maior que o brasileiro: de 54 a 63 reais por hora de trabalho, contra R$ 5.50 aqui.

Claro que a inflação, com a guerra na Ucrânia subiu no mundo inteiro, mas isso não resolve os nossos problemas aqui não há nenhuma ação para que os preços dos alimentos que exportamos tenha a proteção de tarifas, para que os preços internos não explodam – do dólar, que andou “manso”, anda rugindo outra vez) e a pressão dos juros externos pode colocar isso a perigo.

Um governante que se porta com este grau de deboches sobre as dificuldades de seu povo não pode reclamar de ser chamado de “Maria Antonieta”: se não tem pão, porque não comem picanha?

Devia ir dizer isso na porta de um supermercado…

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.