Jornal Nacional confirma: Bolsonaro liberou até fuzis

O Jornal Nacional confirmou, ontem, o que já tinha sido noticiado aqui, há duas semanas: o decreto de liberação do porte de armas assinado por Jair Bolsonaro torna legal possuir e portar até mesmo fuzis semiautomáticos.

O telejornal usa como exemplo o modelo T4, da Taurus, que tem energia de disparo dentro dos 1.620 joules permitidos pelo decreto.

Não é o único: como o decreto libera a importação de armas de fabricação estrangeira, existem vários outros modelos de fuzis de assalto, calibre 5.56, que se enquadram dentro dos novos limites.

O tiro de fuzil, todos sabem, além de ter uma maior potencial destrutivo, tem maior alcance. O que quer dizer que alguém, a 600 metros de distância do atirador (seis campos de futebol) pode ser atingido com força letal pela bala.

Há de chegar a hora em que a imprensa vai chamar esta loucura pelo nome que ela merece ter: crime.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

13 respostas

    1. Não adianta, cara. O avião dessa gente não cai, o carro não bate e o câncer, quando vem, já os encontra com um pé na cova

  1. Aquela velha mania , se não sair no jornal nacional não é verdade ( todos caem nessa ) . Neste caso as explicações no jornal serviu como meio de divulgação . Já podem fazer seus pedidos as características técnicos do produto foi apresentadas ao grande público . Já podem fazer seus pedidos . Plim , Plim .

    1. No intervalo da novela, anúncios de pistolas automáticas para as donas de casa. No do futebol, fuzis, escopetas e carabinas para os cidadãos de bem, junto com muita bebida alcoólica, é claro.

  2. Esse cara é louco. Alguém no Congresso tem que exigir que ele se submeta a um exame mental. Não é possível uma coisa dessa.

  3. Fernando, uma pequena correção:
    São medidas características de velocidade e energia na boca do cano.
    Numa tabela de munição Remington em unidades americanas:
    (1620 Joules = 1194,88 libras.pé)
    Cal .223 (5,5mm Nato) – 1282 libras.pé, superior ao limite estabelecido.
    A polêmica sobre os fuzís obscureceu algo mais grave: qualquer calibre de arrna de mão (p.ex. 44 magnum) tem energia de boca inferior ao limite estabelecido.

  4. Já que é assim, vou comprar um também. Lembrando que um fuzil semi automático é chamado de rifle, embora trocando alguns dispositivos, vendido nos EUA, é possível torná-lo automático.

  5. Não é uma contradição um idiota comprar um fuzil de assalto “pra se defender”?
    E não me consta existir um “fuzil de defesa”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *