Jornalismo que não reage aos canalhas é vítima deles

É inaceitável que, sob a cobertura do filho hamburgueiro do presidente, o que um ex-empregado de empresa de disparo de whatsapp, que atende pelo nome de Hans-River Rios do Nascimento, fez na CPI das Fake News, hoje, no Congresso.

A Folha transcreve:

“Quando eu cheguei na Folha de S.Paulo, quando ela [repórter] escutou a negativa, o destrato que eu dei e deixei claro que não fazia parte do meu interesse, a pessoa querer um determinado tipo de matéria a troco de sexo, que não era a minha intenção, que a minha intenção era ser ouvido a respeito do meu livro, entendeu?”, disse Hans.
O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, aproveitou a fala de Hans para fazer insinuações contra a repórter da Folha, tanto no Congresso como em suas redes sociais.
“Eu não duvido que a senhora Patrícia Campos Mello, jornalista da Folha, possa ter se insinuado sexualmente, como disse o senhor Hans, em troca de informações para tentar prejudicar a campanha do presidente Jair Bolsonaro”, afirmou Eduardo.

A ofensa aos profissionais de imprensa, como se vê, é característica familiar.

Que os órgãos de imprensa têm aceito sem sair, senão por declarações vazias, em defesa de seus profissionais.

Nada a ver com o enfrentamento político dos veículos de mídia, politizados e politiqueiros.

Mas tudo a ver com um presidente de “dá bananas” nas entrevistas – ou arremedo delas – que se faz diariamente à saída do Alvorada.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

27 respostas

  1. O amadorismo da oposição na CPMI é coisa do arco da velha…
    Deram palco para um picareta… sequer levantaram a ficha da figurinha!
    PLMDDS

    1. Esses imbecis não fazem lição de casa; não sei pra que servem.
      Cada vez que vejo o Rui Falcão abrir a boca, me dá vontade bater nele com uma pá. Palhaço!
      E, reconheço, ele não é o pior.

      1. Não fale mal de seu cavalo, mesmo que ele seja ruim. E nunca chame de imbecis os que estão a lutar a seu lado, a não ser interna corporis. Já basta o Safatle para infundir desânimo noite e dia nas hostes progressistas.

        1. safatle.
          o pondé da esquerda.
          ..
          esquerda burguesa fedeu.
          vai feder mais.
          ..
          o bom é que caiu a máscara.
          ..

    2. Todos são excelentes, os da oposição. Mas precisam entender que estão a atravessar um pântano cheio das mais variadas cobras e lacraias. É duro ter de enfrentar a canalhice e a total falta de escrúpulos apenas com indignação. Não dá. É preciso ter jogo de cintura e olhos de camelô para adivinhar e antecipar os movimentos da escumalha. Se bem que a indignação de pessoas como a Luizianne Lins, de tão furiosa, meta mêdo até na mais fria serpente, como de fato meteu. Depois de sua intervenção, foi preciso o Eduardinho intervir para tranquilizar seu correligionário, garantindo que ele não seria preso.

  2. Como assim “jornalismo vítima”? O jornalismo canalha da Folha, do Globo e que tais é antecessor, pai, mãe e sócio dos canalhas no poder. Os canalhas estão no poder exatamente pela canalhice do jornalismo escroto da Folha, do Globo e que tais.

    Solidariedade apenas para a jornalista ofendida, uma profissional correta. Nunca para os vermes da imprensa, seus donos e seus muitos jornalistas piores que os patrões.

    1. O Brito falou em seu desabafo: ”
      “Nada a ver com o enfrentamento político dos veículos de mídia, politizados e politiqueiros”. E o jornalismo em si tem sido, sim, a maior vítima desses tempos “bicudos”, como diz a Dilma.

  3. Para nunca esquecer. Em outubro de 2018, o secretário de redação da folha, Vinicius Mota, baixa um comunicado proibindo que se use o termo extrema direita para Bolsonaro. Essa forma da mídia de naturalizar o monstro Bolsonaro foi uma das responsáveis pela eleição dele.

    Comunicado.
    Para: todos os jornalistas

    Assunto: Extrema direita, extrema esquerda

    Lembro que o Manual da Redação, no verbete “Qualificação ideológica” (seção “Atuação jornalística”), reserva o uso dos termos “extrema direita” e “extrema esquerda” para designar “facções que praticam ou pregam a violência como método político”. Não há, na atual disputa eleitoral brasileira, nenhuma candidatura que se enquadre nessa categoria. Jair Bolsonaro, do PSL, deve ser tratado como candidato de direita. Guilherme Boulos, do PSOL, como candidato de esquerda. A determinação vale apenas para textos noticiosos, não se aplicando a artigos de opinião.

    Vinicius Mota

    Secretário de Redação

  4. Combatam os delinquentes fascistas com “republicanismo”,honor e honestidade.
    Façam o “jogo limpo” e morrerão puros ,é a escolha dos que não querem descer para acabar com os ratos.
    É uma escolha e tem seu preço.

    1. Infelizmente, o Ciro tem razão neste ponto. Quem participa da luta política deve estar disposto a sujar as mãos, se for necessário. Conservar-se puro por vezes é apenas genuíno egoísmo burguês.

      1. Fidalguia e bom mocismo nesse caso é desculpa para covardia.
        O fascismo ou se enfrenta ou se é trucidado por ele.
        É o modus operandi do fascismo recorrer à violência, verbal e física, à intimidação, à difamação, à pressões de todo o tipo.
        Não precisamos criar nosso lodaçal para enfrentá-los e transformar a luta numa “guerra de bugios”, mas não devemos ter medo de enfrentá-los no seu próprio lodaçal. Com altivez, mas com coragem e destemor. Não se pode fugir à luta contra o fascismo.
        Mesmo em situações em que são poucos, os fascistas são ruidosos e agressivos. Se não encontram resistência empoderam-se e a malta de ressentidos se junta a eles.
        Enfrentados, se recolhem aos seus guetos. Exemplo próximo foi a invasão da embaixada da Venezuela, patrocinada pelos serviçais do imperialismo, 03 e o beato salu da relações exteriores entre eles. O bando de marombados levou uma “coça” do pessoal do PCO e “mijaram prá trás”, sairam pela porta dos fundos escoltados pela PM.
        Muito antes, na praça de Sé, o movimento operário e popular, comandado pelo PCB, colocou as galinhas verdes de Plínjio Salgado para correr, no que foi o começo do fim daquele movimento.

  5. A folha foi atacada e caluniada através de uma jornalista; e ficou quietinha? Acovardou-se.
    Canalhas e covardes. Canalhas e covardes.
    Bem ao jeito de golpista que a folha é.
    Que desgraça! destroem o país.

    1. No youtube vao dizer q dudu da milicia lacrou o pt e tais
      Povao vai achar q e isso mesmo essas moças de hoje se oferecem
      Vida q segue

    2. A Folha não merece a mínima confiança, mas tudo indica que neste caso ela vai reagir. Apenas vai querer, com certeza, que sua reação não comprometa o andamento do projeto bolsonaro/guedes de desmonte do país, do qual é ainda entusiasta. Este affair vai servir para que a CPI tenha mais visibilidade, o que tarde verão que foi péssimo para o nórdico-saxão e seu time. .

  6. A tal grande imprensa diz como manchete do dia q depois de ter desafiado os governadores a darem isençao ou reduçao de icms ele reduziria tb obteve tregua dos governadores.
    Como e patriota a grande imprensa

  7. No meio de sem vergonhas não adianta achar. Jornalista hoje em dia está no fundo do poço, tal é a submissão ao $$$ e a pressão dos patrões.

  8. O Antagonista parece que já estava com matéria pronta, pois postou de imediato que o PT jogou um bumerangue que voltou e caiu em sua cabeça. Não foi assim, pois o bumerangue ainda está no ar. A Folha vai reagir, sim, com certeza. Esse limão aí ainda vai render muita excelente limonada para os progressistas, não apenas no âmbito da CPI, mas também da velha mídia, já que houve uma intolerável agressão a uma respeitável jornalista. Uma considerável parte do mundo vai ainda cair na cabeça do potoqueiro nórdico-saxão, e também de seus patrões.

  9. A grande imprensa, a de alcance massivo, em todo o mundo está nas mãos deles ,os poderosos,por qué ainda teimamos em pedirles que tenham outro comportamento???
    Isso é ingenuidade.
    Existem sim jornalistas corajosos ,sonhadores que nadam contra a corrente ,mas,são as exceções.
    É burrice ,sabendo como o jogo é jogado ,não procurar a verdade,porque ela hoje está disponível em outras fontes como a internet.
    A culpa é de quem?? dos mentirosos que defendem seus interesses ou do imbecil preguiçoso ,que gosta das “verdades prontas” para consumo ??

  10. Sakamoto: “Se por um lado, o episódio gerou demonstrações de indignação na parcela civilizada da sociedade, por outro, trouxe júbilo a hordas bárbaras que entenderam a mensagem de seus influenciadores como um sinal não apenas para quebrar a resiliência da repórter, mas também que ela sirva de exemplo para outras mulheres que tentem fazer jornalismo. Sim, isso não se resume a ódio político, mas é ódio de gênero. Muitas vezes levado a cabo por homens inseguros, impotentes, rancorosos, que não conseguem ser protagonistas de suas próprias vidas.
    O mais fascinante desse episódio é ver que uma única repórter causa tanto medo no clã que governa o país. O que demonstra a força do jornalismo e de alguns profissionais de imprensa, mas também a fraqueza de quem acha que vence pelo grito.” – Veja mais em
    https://noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2020/02/12/ataque-a-jornalista-mostra-medo-primal-que-o-bolsonarismo-tem-da-imprensa.htm?cmpid=copiaecola

  11. Se esse lixo que está no governo puxar um canivete, puxe uma faca. Se eles puxarem uma faca, puxem uma espada. Se puxarem uma espada, saquem um revolver. Se sacarem um revolver, saquem uma pistola. Se sacarem uma pistola, apontem uma espingarda. Se pontarem uma espingarda, saquem um rifle. Se apontarem um rifle. Use uma metralhadora de preferência .50. Se por fim apontarem uma .50, então meu amigo, não tem jeito, misseis nesses filhos de uma puta. Eles só respeitam aqueles que lhes enfrentam. E quando isso acontece, saem com o rabo no meio das pernas. Tudo covarde. Covarde safado. Safado e filhos de uma grande puta.

  12. Me parece que até agora a jornalista ficou “segurando o pincel”, enquanto a bolsonariada corre com a escada. Duvido que algo mais que uma “carta de repúdio” seja emitida pela imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *