Kennedy Alencar: quem mentiu, diretor da PF ou presidente do TRF-4?

Em seu blog, Kennedy Alencar, comentarista de política do SBT e da CBN, faz a pergunta que, a esta altura, deveria estar sendo feita pela imprensa, pelo Conselho nacional de Justiça e pelo Ministério Público: quem falseia a verdade no caso do “prende-solta” de Lula?

No que temos hoje, porém, em matéria de imprensa e de Judiciário, isso “não vem ao caso”…

Se diretor da PF falou a verdade, TRF-4 mentiu

Kennedy Alencar

Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, publicada no domingo, o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, disse que o presidente do TRF-4 (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região, Carlos Eduardo Thompson Flores, deu ordem via telefone para que a PF não libertasse o ex-presidente Lula no dia 8 de julho. “Estou determinando, não soltem”, teria dito Thompson Flores, de acordo com Galloro.

Em nota, o TRF-4 negou que o presidente da corte tenho dado tal determinação. Se o diretor da PF falou a verdade, o TRF-4 mentiu. E vice-versa. É grave.

A Justiça tem ritos que precisam ser cumpridos. Numa democracia, é inadmissível que um presidente de tribunal dê uma ordem por telefone. Há mandados e alvarás, o formalismo jurídico, para isso. Havia uma ordem do juiz plantonista Rogério Favretto para soltar o ex-presidente Lula. No relato do TRF-4, Thompson Flores disse que analisaria um conflito de competência entre os desembargadores Favretto e Gebran Neto, mas que não mandou Lula continuar trancado.

“Valeu o telefonema”, disse Gallloro, em referência à ligação de Thompson Flores. Se o TRF-4 estiver dizendo a verdade, já é suficientemente grave ter havido o telefonema. Não se age assim numa democracia.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, também telefonou para o diretor-geral da PF, dizendo que estava recorrendo ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) contra a prisão. Isso também não é papel do Ministério Público.

Para piorar o soneto, Galloro demonstrou visão autoritária quando questionado sobre protestos de professores contra policiais em Santa Catarina. Ele quis ensinar como manifestantes deveriam se opor a abusos de policiais. Ele defendia investigação contra um professor que protestou. A polícia agia assim na ditadura. Isso é inaceitável na democracia.

O reitor Luiz Cláudio Cancellier se suicidou por causa de uma investigação que se mostrou vazia, a “Ouvidos Moucos”. Ele foi submetido à humilhação da prisão e afastado do cargo com base em evidências frágeis. No caso concreto, houve abuso da Polícia Federal, do Ministério Público e do Judiciário. Abuso de poder deve ser criticado e punido. É com isso que Galloro deveria estar preocupado.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

20 respostas

  1. Continua chovendo mentiras entre Porto Alegre (TRF4) e Brasília (sede da polícia Federal ) e o telhado de ambas as instituições do Estado estão repletos de goteiras. Chão molhado, alguém vai de cair. Advinhem quem? O dôto delegado, que será o mordomo nessa história.
    Casa da Mãe Joana ou do Pinóquio?

    1. Sempre mentiram, mas agora há ingredientes novos: o descaramento e a alforria pra mentir.
      Temer mentiu que o avião de Joesley era da FAB. Pego, gaguejou, dedinhos esvoaçantes.

    2. Mesmo que esteja falando a verdade, não entendi a jogada de xadrez para o delegado ter dito isso agora – ainda mais para o PIG.

      1. Existe uma chance de ter sido pego no orgulho e na vaidade. Mas a ideia seria desmobilizar os esforços eleitorais no TSE, o foco do momento, retroagindo para a questão da prisão.

  2. Nessa hora, já que está tudo fora da lei, é uma pena que não tenha havido um áudio vazado.

    Se bem que – com tudo fora da lei – esse vazamento poderia terminar em pena de morte.

  3. Sr.Fernando.Durante a DITADURA DE 64,sempre que se tentava criticar qualquer ato de qualquer dos ditadores,o exército manda prender e torturar e matar.Agora,não é diferente pois estamos diante de uma DITADURA DO JUDICIÁRIO,que foi o cérebro do GOLPE.Ao invés das fardas verde oliva,agora AS TOGAS DITAM AS REGRAS.E quem não gostar,que se lixe.Ou seja,estamos sob uma DITADURA TOGADA.E de novo,mandam os SEM OUTORGA POPULAR.Milicos e Juízes,são semelhantes em tudo,pois nem OUTORGA TEM.

  4. QUE MORAL TEM UM FUNCIONÁRIO QUE COLABORA COM UM GOVERNO GOLPISTA ???ISTO VALE PARA O CHEFE DA POLÍCIA FASCISTA.
    JÁ NO CASO DOS TOGADOS SULISTAS QUE ATROPELAM A LEI A SUA VONTADE ,NADA A DIZER ALÉM DE QUE CONFIRMAM A SUA CANALHICE ,AMPLAMENTE DEMONSTRADA EM TODO O PROCESSO FARSA JATO.

  5. É incrível como está escancarado em nossa cara a podridão de nosso sistema judiciário. Eu repito, se o Brasil fosse um país sério, se as cortes respeitassem as leis e a Constituição Federal o Lula estaria fora do TRF4 há tempos e os juízes que o julgam, assim como os membros do MP que o acusam, sendo investigados pelo CNJ. É flagrante o abuso de Poder e a parcialidade e, eles sabem, que estão até cabeça atolados no mar de lama que criaram. O episódio do HC do Lula consagrou com chave de ouro a farsa que é lava-jato e a politização criminosa de parte do judiciário. O TRF4 é, sem dúvida, um tribunal de exceção.

  6. A pergunta é onde vamos parar com tudo isso, só quando não tiver mais nada a fazer????

    1. Quando a Zumbilândia (povo brasileiro) acordar já vai ser tarde, mas com certeza o bicho vai pegar pra turma de cima. E vamos ver se “a justiça tarda mas não falha”.

  7. Tem cada uma neste País. O Kid Brilhantina não se envergonha de mais nada. Não só ele mas todos os seus parceiros. Não há carregamento de óleo de peróba possível, que cubra as suas faces. O volume, além de alta concentração deve ser infinito.

  8. O caso-Cancelier se deu por meio de abusos de autoridades policiais e de magistrados, mas também, e com certeza, por omissão do STF, afinal tratava-se de uma humilhação, de atos impróprios a um regime democrático de direito, contra um homem respeitado pela sociedade, pelo menos até que a justiça ousasse fazer dele um lixo humano, como fez. O irmão de Cancelier disse que nem mesmo dentro do caixão ele foi repeitado, pois que uma mulher falou ao morto: “Agora o Senhor vai usar o dinheiro roubado no inferno”. Fiquei estarrecida com essa declaração, principalmente por sentir a que ponto foram malvados e selvagens os que mantiveram no imaginário coletivo uma mentira tamanha, com tanta força.

  9. Esses atos todos uma hora vão se diluir até cair no esquecimento, ou virem a servir como páginas de um livro, e quando Lula já tiver passado dessa pra uma melhor.
    Como é possível que um agente da PF descumpra uma ordem superior, e um desembargador fique desmoralizado perante os colegas e a sociedade, pelo fato da pessoa a receber um HC ter sido Lula. Pior ainda é esse PF decidir agora, depois de passado triste episódio, esclarecer como se deram os fatos até que Lula não saísse pra casa, como deve ter até se preparado pra isso. Por que essa demora em esclarecer os fatos? Por que esclareceu? Isso é uma coisa que eu não entendo.

  10. Em uma DEMOCRADURA de Direita como esta que aí está , nada importa, ou melhor têm alguém de peito que obrigue a saber a verdade? Se Quem têm o dedo no gatilho e ainda se diz que são os ””’guardiões da PROStituição e dos maus costumes”””’, não se importam , então têm alguém com coragem de ir contra??? O Caso da Sra. MARIELLE é o exemplo, pois a mesma foi mexer com os Donos do Poder, vejam bem, a mesma não mexeu com os Donos dU$$ ___braZiU$$$A___, e deu no que deu. Então o FBI_Tabajara e o $$$$TF não têm satisfações a dar a ninguém, basta um telefonema até para qq cabo corneteiro / sentinela / sargento de dia de qq quartel já está tudo esclarecido. Ah sim!!! Os 14P´s têm todo Direito de ficarem calados porque senão faremos um reforma trabalhista que aposentadoria seriam acima de 60 anos de trabalho ininterruptos. O ex-BRASIL é um mero detalhe que não vai ao caso. Melhor agora ___braZiU$$$A___!!!!!!

  11. A hora dos injustos prestarem contas ao povo, está chegando pois, a justiça de Deus não tarda. Caros cidadãos, escutem, a propósito da reverência respeitosa que todos nós, cidadãos comuns, temos por nossos juízes públicos e demais autoridades do judiciário, a qual, é plenamente merecida, quando essas autoridades jurídicas, são exemplos eticamente, no cumprimento correto de sua função sagrada, de guardião da Constituição, das leis, dos direitos dos cidadãos, da justiça imparcial e da paz social e, como árbitro imparcial na solução de conflitos de direitos de pessoas e instituições, etc.
    Fora disso, todos, seja cidadão-juiz, ministro, como qualquer cidadão-excluído, pobre, miserável, marginalizado, coxinha, mortadela, milionário, empresário, religioso, mulher, branco, negro, índio, nordestino, etc, são todos iguais perante a lei e a justiça. É fato que, cada um, tem apenas um voto na constituição do poder nacional, expressado pelo §Único do Artigo 1º da CF, que assim se expressa: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos diretamente ou nomeados, nos termos desta Constituição”.
    “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, etc”, conforme dispõe o caput do Artigo 5º da CF, que é a gênese dos direitos dos cidadãos, assim também, como o seu Inciso LVII, é a gênese da liberdade dos cidadãos, quando diz: “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”.
    Concluindo, como leigo, esse é o nosso entendimento, sobre o poder político natural do Ministro, do juiz, do desembargador, do procurador, defensor, etc, pertencentes ao judiciário, na hora de votarem, como cidadãos, eles são como os demais, são donos de apenas UM VOTO ( https://www.brasil247.com/pt/colunistas/carlosdincao/337148/Sobre-a-ignor%C3%A2ncia.htm ). Agora, o seu poder e autoridade institucional quando investido na função jurídica, não é mérito seu, como alguns chegam a fazer crê mas, da confiança, do respeito, da necessidade e da consideração do povo, que são outorgadores desse poder e dessa autoridade a ele, que é remunerado de forma justa, com subsídio adequado por lei à sua função pública, para ajudar no progresso integral da sociedade e fazer o bem e justiça imparcial para todos .
    Deve ser lembrado, no entanto, que quando um juiz desrespeita a Constituição, desrespeita a ética e as boas práticas jurídicas, desrespeita as leis e, a sua condição de árbitro do povo, imparcial, desrespeita os direitos dos cidadãos, desrespeita a justiça imparcial e igual para todos, não promove a paz social, perdem a credibilidade do povo, etc, esse cidadão, perde a confiança do povo que é seu patrão e, por isso, não merece e não é mais digno da função pública, de juiz de direito do povo.
    Tudo isso, que expusemos, serve de parâmetros para que o povo brasileiro, na atual conjuntura de dificuldades para o país, conclua por sua consciência e opinião própria, se é justo o Poder Judiciário pleitear e aprovar aumentos para si, uma vez que é sabido por todos que, por ser o subsídio do Presidente do STF, referência de teto salarial público, para a nação, essa atitude estimulará aos demais segmentos de poder do país, a exigirem o mesmo direito, desestabilizando ainda mais, o orçamento público. Eu, como cidadão, não acho justo e você?.
    Que os parlamentares e o Congresso Nacional que representam o povo e o Estado brasileiro, ajam com racionalidade, justiça e coerência com as dificuldades do momento do Brasil e com os anseios do povo que representam.
    Ao juíz injusto, considerando-se que, muitos se dizem cristão, és a advertência que que vem da Bíblia Sagrada: “Tu não queres nada com juízes desonestos, pois eles fazem a injustiça parecer justiça, ajuntam-se para prejudicar as pessoas honestas e condenam à morte os inocentes. Ele ( Deus ) castigará esses juízes por causa das injustiças que eles têm cometido; o Senhor, nosso Deus, os destruirá por causa dos seus atos de maldade.” (SALMOS 94 v. 20-21, 23).
    São esses, o nosso comentário, observação e contribuição. Paz e bem.
    Sebastião Farias
    Um brasileiro nordestinamazônida

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *