Lula quer acesso a novo acordo EUA-MPF, agora com a Odebrecht

No  site jurídico Conjur, hoje, uma extensa e documentada reportagem de Pedro Canário mostra que, no acordo feito pela Odebrecht com o Departamento de Justiça do governo norte-americano, o DoJ,  que obrigou a empreiteira a pagar R$ 8,5 bilhões  como multa por suas fraudes e atos de corrupção, nada menos que R$ 6,63  bilhões ficam para a Força Tarefa da Lava Jato em Curitipa decidir se e a quem pagará indenizações.

Os critérios estão numa parte do documento – chamada Apêndice 5 – que está sendo mantida sob sigilo.

A defesa de Lula pediu acesso ao documento, pois faz toda a diferença a definição de quem foi lesado pelos atos da Odebrecht. No acordo semelhante feito pela Petrobras, onde ela se declara culpada pelos caos de corrupção, ela não aponta nenhum ato relacionado a Lula, embora faça menção a Eduardo campos e a Sérgio Cabral.

Como a Petrobras apresentou-se como assistente de acusação no caso do triplex do Guarujá, alegando ter sido lesada, criou-se uma contradição entre a sua posição de autora dos desvios – perante os Estados Unidos – e de vítima, no processo contra Lula.

Hoje, a procuradora Raquel Dodge reconheceu o direito do pedido de Lula para pedir a suspensão do julgamento do caso no STJ até que se esclareça de que lado a Petrobras está.

No caso da Odebrecht, porém, o ministro Luís Edson Fachin negou o acesso da defesa de Lula ao acordo  na íntegra, aceitando os argumentos de que parte dele estaria sob sigilo. Lula recorreu.

Na verdade, a necessidade de abrir esta caixa-preta vai além do justo interesse dos defensores de Lula. É preciso que o país saiba o que, afinal, está colocando sob a gestão dos rapazes de Curitiba uma bolada em fundos que, somados os dois casos, passa de R$ 9 bilhões.

Sim, bilhões.

PS. Veja no Conjur a reportagem na íntegra e a reprodução dos documentos tornados públicos até agora, inclusive a petição da defesa do ex-presidente.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

    1. … E se houver acordo para acobertar os outros acordos? A ORCRIM FarsaJato é bem capaz e o restante ou tá com medo ou comendo…
      Boa noite.

  1. Significado de QUADRILHA :
    Grupo de ladrões, assaltantes ou malfeitores. = BANDO, CAMBADA, CATERVA, CORJA, MALTA, SÚCIA

    TEM UMA DEFINIÇÃO MAIS ADEQUADA PARA OS DELINQUENTES DA FARSA-JATO???????????

  2. Eita Porra!
    Essa engrenagem de corrupção e golpes não para nunca?
    Se o STF não é contra, então é cúmplice.

  3. O mesmo modus operandus da turma da lava-jato, é manifesto crime na cara de todos que quiserem ver. Tivéssemos uma justiça minimamente decente, Dartanhan, MORON e a gang de concurseiros curitibense estariam enjaulados por crime lesa pátria. Enquanto isso, o STF pensa em enxugar a constituição e acabar com nossa aposentadoria. Triste fim do Brazil.

  4. Tem muitos interessados nessa grana é o poder do dinheiro nas mãos dessa cambada . Será se tem ministro do STF fazendo parte desse rachid ?.

  5. Quantos empregos e obras paradas custaram esses 9 bilhões ao Brasil?Nossa crise foi comprada, caros compatriotas.

  6. E pq não falam do TACLA…ESSE TEM TODOS NÃO MÃO…Mas a thurma não querem saber dele..ném por vídeo conferência…

  7. Tem razão Lula e sua defesa pedirem acesso aos acordos entre o MPF, Odebrecht e EUA, já que as delações da empreiteira aqui no Brasil acusam Lula e junto ao Departamento de Justiça nos EUA não fazem nenhuma acusação contra ele, nem de que ele foi beneficiado com as maracutaias dela junto a Petrobrás. É por isso que “Sejumoro” negou o acesso da defesa de Lula aos documentos desses acordos, porque os mesmos evidenciam as contradições da atuação da Odebrecht em relação à Lula. E Fachin também indeferiu o pedido de acesso da defesa de Lula. Tudo para corroborar com as decisões do “Sejumoro”. Mas eles sabem que estão errados e fazem isso só para manter Lula preso. Incrível o descaramento desse nosso judiciário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *