Maioria rejeita as armas. O presidente é selvagem; o povo, não

Estranhamente inédita, até que o colunista Lauro Jardim, de O Globo, a divulgasse, uma pesquisa do Ibope feita em meados de março – antes, portanto, do “liberou geral” do porte de armas decretado por Jair Bolsonaro- mostra que a maioria dos brasileiros não quer a permissão nem para ter armas e menos ainda para portá-las em via publica.

A noite O Globo publicou os números detalhados e o gráfico que resumo acima.

Como seria de se esperar, o grupo mais vulnerado pela violência, as mulheres, apresenta taxas de  rejeição tanto à posse quanto ao porte de armas.

Entre as regiões, só no Sul o direito de possuir arma de fogo aproxima-se da maioria, com 48% a favor. Aproxima-se, apenas, porque 51% são contra.

Nas periferias das grandes cidades, areas com maior índice de violência no país, 70% dos entrevistados da periferia são contrários à posse de armas e 75% rejeitam o porte. Nas capitais, a rejeição e de 62% e 72%, respectivamente. No interior,  58% e 72% rejeitam posse e porte de arma.

Resta agora saber quantos dias mais o Supremo dormirá sobre o pedido de anulação do decreto “bangue-bangue” de Jair Bolsonaro.

Ah, a propósito, será que o Ibope vai explicar porque escondeu esta pesquisa durante dois meses e meio e “limpou a barra” para Bolsonaro liberar o armamento dizendo que fazia “a vontade do povo”?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. À pergunta feita no final da nota acrescento outra: por que o mesmo IBOPE manteve engavetada por várias décadas uma pesquisa que mostrava apoio de 2/3 da população às reformas de base propostas por Jango?

    A explicação, provavelmente, será como a dos maridos traidores em relação às manchas de batom encontradas em suas cuecas pelas esposas traídas.

    1. O presidente Obrador do México acaba de colocar a primeira pedra do inicio das obras de uma refinaria no estado de Tabasco. Numa consulta internacional, construtoras americanas botaram mil exigências para realizar a obra e pediram prazos absurdos para a construção. Obrador então as descartou e convocou a velha Pemex, que estava desenganada no leito de morte depois de ser vítima de sucessivos ataques privatistas (assim como a Petrobras) restando afogada por dívidas. Obrador a encarregou de construir a obra. Todos os neoliberais do país arrancaram os cabelos e gritaram que a Pemex não poderia sequer cavar um buraco para se enterrar. Mas o Obrador deu então seu célebre grito de guerra: “¡Me cansó ganso!”, que quer dizer que ele está seguríssimo do que está fazendo. Na ocasião, ele também declarou: “Queremos ser um país forte, soberano, independente. O México não quer ser colônia de nenhum país estrangeiro. E essa independência só se consegue quando se tem autonomia energética!”. O México conta hoje com seis refinarias, que só operam com 30% da capacidade. Elas foram deliberadamente emperradas e parcialmente sucateadas pelos sucessivos governos neoliberais, que fizeram com que o país seja dependente do combustível comprado aos americanos (como estão fazendo aqui com o Brasil), embora seja um grande produtor de petróleo. Esta refinaria do estado de Tabasco é revolucionária também porque é a primeira a ser construída na região sul, a mais pobre do país. E vai alavancar seu desenvolvimento.

      1. Pelo menos, lá eles não conseguiram vender as refinarias. Sucatearam, mas não venderam. O Obrador agora irá recuperar todas elas. Aqui, “eles” não querem cometer novamente este erro. Querem mesmo vender tudo e distribuir o apurado pelos acionistas, como se fosse lucro.

  2. Não se deve aceitar uma “solução Rodrigo Maia” em hipótese nenhuma, sob nenhuma pretexto. Maia? De jeito nenhum! Seria mil vezes melhor continuar com o Bolsonaro. Com Maia se veria o entreguismo fascista se aprofundar com uma face sorrateira e dissimulada.

  3. Não é difícil imaginar porque . Se a economia estivesse bem , a reforma da previdência bem encaminhada para aprovação , e o BV funcionando a todo favor do grupo globo , tal pesquisa jamais apareceria .

    1. bem isso. Globo sendo globo.
      Esconderam a pesquisa para proteger o seu amiguinho Moro e também para não provocar animosidade para a outra reforma sonhada pela Globo: a reforma da previdência.
      A estratégia parece clara: derrubar Bozo, subir o Mourão, e aprovar a reforma da previdência com o novo governo.
      Não sei o que farão com o Paulo Guedes e com o Moro.

    2. Agora, onze ex-ministros da justiça lançam manifesto contra o decreto das armas. Metade do globo terrestre discutindo sobre este decreto imbecil enquanto o país vai sendo dilapidado por piratas e sua economia vai afundando no depósito de lixo. Esta sim, é a verdadeira catástrofe.

  4. esse traste vagabundo tem que adequar à vontade da maioria – ele mesmo disse isso

  5. Há poucas surpresas , o sul como sempre se mostrando como é, um reduto de fascistas reacionários “brancos europeios” ,com saudade da metrópole que deixaram para trás.
    Ainda verei muitos “machões” (homens medrosos e covardes) sangrando,morrendo, por procurar no porte das armas a hombridade que lhes falta.

    1. Só que as metrópoles que deixaram para trás – Alemanha, Itália, Espanha, Portugal etc. – são todas absolutamente contrárias à liberação do porte de armas pelos cidadãos.
      Os fascistas sulistas copiam os machos norte-americanos.

  6. O BOLSOBOSTA não sabe de NADA.
    É um imbecil desqualificado, assim como TODOS os seus “ministrecos”.
    PQP !

  7. Como assim o povo não é selvagem??
    Ele foi eleito falando que iria fazer isso.
    Uma parcela do povo é selvagem sim, e muito selvagem.
    Adotaram a ideologia da selvageria e prepotência da classe dominante.

  8. Para o Bozo existem habitantes demais no país. É bom deixar claro que, para ele, os habitantes “a mais” são os pobres. Como ele não pode (ainda bem que não pode, ainda) mandar matar essa população, ele vem facilitando esse objetivo. Suas decisões, até aqui, são no sentido de provocar mortes. Liberou a compra de armas, facilitou o porte das mesmas, retirou a fiscalização eletrônica das estradas, nenhuma medida salutar contra o reingresso do país no mapa mundial da fome e outras. Não é sem razão que já o consideram um desequilibrado mental. No popular: Maluco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.