Matilha de Moro e Bolsonaro usa Wyllys para tentar atingir Greenwald

O site que serve de porta-voz do governo Bolsonaro e de Sérgio Moro diz que o pedido da Polícia Federal para investigar as contas pessoais do jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept, destina-se a tentar encontrar lá elementos que possam dar sustentação à calúnia de que ele teria comprado a renúncia de Jean Wyllys para que seu companheiro, Davi Miranda, assumisse o mandato de deputado federal.

A ofensiva policial já se tornou um escândalo internacional, com manifestações de integrantes da Relatoria Especial para a Liberdade de Expressão da OEA e da ONU.

As provas de que Wyllys sofreu, durante anos, as mais bárbaras ameaças de violência estão todas com a PF. O próprio Moro admitiu, em nota emitida este ano que “ao longo de 2017 e 2018, foram instaurados diversos inquéritos pela Policia Federal para apurar ofensas e ameaças contra o deputado federal Jean Wyllys.”

Se Moro compactua ou promove ofensivas deste gênero contra um jornalista reconhecido internacionalmente, é que está realmente em um grau de desespero e sabe que tem razões para temer.

Parece que as palavras do deputado Gláuber Braga foram até suaves.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email