MEC: o pecado mortal foi a foto na Bíblia

De quinta-feira, quando prometeu “por a cara toda no fogo” pelo Ministro da Educação, Milton Ribeiro, o que mudou para Jair Bolsonaro para “aceitar” sua demissão e estar preocupado em que o pastor-ministro desapareça o mais rápido possível?

A meu ver, como já escrevi aqui ontem cedo, foi o aparecimento da “Bíblia Promocional”, estampando as fotos sorridentes do próprio, do pastor Gilmar e do prefeito que bancou a edição, segundo se informa, de 70 mil exemplares para distribuição farta.

A promoção de figuras políticas na Bíblia, para muitos evangélicos, é uma profanação.

E é destas que nem precisam de explicação para mostrarem a promiscuidade entre política e fé.

É por isso que Silas Malafaia e Marco Feliciano partiram para cima de Ribeiro quando foram publicas as “fotos bíblicas”

“VERGONHA TOTAL ! Ministro da educação em foto como a esposa em Bíblia de pastor lobista do MEC . TEM QUE SER DEMITIDO PARA NUNCA MAIS VOLTAR !”, escreveu Malafaia, seguido por Marco Feliciano: “É de um amadorismo sem tamanho um ministro de Estado, permitir sua foto nas páginas de uma Bíblia, e pior, saber que será distribuída em evento político! ”

É a preocupação que a história se espalhe entre o rebanho.

Conhecendo os personagens, não pode deixar de vir à mente o que está escrito em Mateus, 7 (3-5): “E por que reparas tu no argueiro (cisco) que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? / Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? / Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.”

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email