Meirelles é “ponte para o abismo”, por onde o MDB não vai passar

maldi

Michel Temer, o homem que dizia que uniria o país está produzindo um esfacelamento completo no (P)MDB, que nunca foi, aliás, mais que uma federação de grupos.

A candidatura de Henrique Meirelles, que não é levada a sério por nenhuma força política – e muito menos pelo eleitorado – empurra os candidatos do partido ao Legislativo para, praticamente, toda a fauna microbiana de candidatos e agrava o nó nordestino do partido, que ajudou a derrubar Dilma mas que, na eleição, sonha em apoiar Lula e tirar disso vantagens eleitorais.

Os dois maiores caciques do partido na região, Renan Calheiros (AL), sempre, e Eunício de Oliveira (CE), hoje no Estadão, deixam isso bem claro, mas o estrago é maior, bem maior.

Não a ponto de, ao menos por enquanto, colocar em risco a confirmação de seu nome na convenção do partido.

Por enquanto, porque a precariedade da situação do atual presidente da República é tamanha que não se pode garantir que, até lá, algum tipo de rebelião surja e Roberto Requião é candidato declarado a propô-la e já chamou de “bobagem” a candidatura Meirelles.

Afinal, não é difícil definir, para os emedebistas, a candidatura de Meirelles como “uma ponte para o abismo” eleitoral.

Como os tucanos vão mal das pernas, perdem a chance de serem, senão em situações locais, “carona” para os órfãos de Temer.

O mais provável é que as estruturas políticas do PMDB desaguem em vários riachos – porque as candidaturas postas não são, afinal, estuários e apontem, felizmente, para um quadro onde o poder da sigla sobre o novo governo mingue significativamente.

 

Mas também que o PSDB perca, como teve desde que Serra foi derrotado, em 2002, a hegemonia do campo da direita, onde novos atores – a extrema-direita de Jair Bolsonaro, a ressurreição do DEM e o “mercadão” PR-PP-PSD e outros – ocupam lugar não apenas no fundo do palco, nas áreas menos iluminadas.

Quanto a Meirelles, deveria ler e reler a fábula da galinha dos ovos de ouro.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

7 respostas

  1. Pois é. Queriam destruir o PT e deram um tiro no pé, nos rins, no fígado, no baço, no pâncreas, nos pulmões e no coração. Só não deram no cérebro porque eles não o tem.

  2. – A Globo tem que falar mal dos governos do PT todos os dias, para que os manifestoches esqueçam de ver o que os golpistas estão fazendo hoje com o país. Se o PT construiu uma nave espacial, ela não presta porque não há estacionamento para bicicletas na rampa de lançamento. Tudo o que estiver em foco é motivo para falar mal dos grandes governos do PT, e agora o motivo é a Copa do Mundo de Futebol. No Bom Dia de hoje, a Globo alardeou que das doze cidades do Brasil que foram sede da copa de 2014, as obras previstas em onze delas ficaram inacabadas. Não foram terminadas. Um escândalo. Um escárnio, um desperdício de dinheiro. Em Recife, faltou colocarem um meio-fio no desvio de uma rua. Em Fortaleza, as obras de ampliação do aeroporto pararam, e inclusive nem se sabe serão mais necessárias, já que o próprio movimento de passageiros foi reduzido para quase nada.

  3. PSDB é privataria, prioridade para os especuladores e darwinismo social. Honrosa menção também para conluios com o judiciário.

    O (des)governo do vampiro é tucaníssimo.

  4. Esta cambada pode ficar brincando de candidatura o quanto quiser. Na hora em que o PIG, liderado pela globo, “escolher o escolhido que escolheram”, a brincadeira acaba.

  5. Muita opinião sem a sustentação de argumentos robustos trona-se inócuo o discurso. Uma oposição séria e com o mínimo de objetivo prático, não pode limitar-se a palavras de ordem, tais como, fora temer, imprensa golpista, é golpe. Desde 2014, após a reeleição da Dilma e como vice o Temer, a retórica petista e de seus aliados foi à insistência em argumentos para satisfazer o ego de seus dirigentes. A incompreensão das necessidades de uma nova demanda da sociedade e a falta de uma autocrítica dos seus erros perpetuaram os fracassos obtidos. Não vai haver impeachment, Dilma foi deposta, golpistas não passarão, passaram. A reforma trabalhista não vai passar, passou. Lula não vai ser condenado, está preso e vai continuar preso, outras condenações virão. Ao apoiar a candidatura de Boulos e Manuela, Lula deixa claro sua estratégia de dividir e até mesmo impedir uma frente das esquerdas e progressistas, que possam ter um mínimo de chance para chegar ao 2º turno. Seu maior medo é ser esquecido e abandonado pela militância, e ter que cumprir a sua pena pelos ilícitos cometidos em sua integralidade. Do pedestal de grande líder político, igualado ou talvez superado somente por Getúlio Vargas, Lula transformou-se em uma caricatura vulgar da grandeza que já ostentou. O objetivo é claro, a estratégia é simples, ao insistir em Lula, o PT desce ao mar de lamas em que ele se encontra.

    1. E o que o Sr. propõe…………………., Ciro ou Boulos………………????!!!!! Já que a Manuela ao que parece já sinalizou com um previsível e oportunista……………”” forfeit””………………!!!!!

  6. SUV a diesel

    Trouxinhas classe mérdia e classe mérdia baixa, que não tem $ pra ter um SUV a diesel, vai andar de bicicleta, ônibus ou metrô (aproveitando pra contribuir pro meio ambiente), ou pagar a gasolina a R$ 5,00, para remunerar dividendos aos acionistas da Petrobrás.

    Parabéns! Protestaram em nome dos ricos kkkkk…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.