“Minions” exigem de Maia que mande votar reforma

Como se disse mais cedo, Rodrigo Maia reagiu aos ataques do bolsonarismo dizendo ao governo um “toma que o filho é seu”.

Ao dizer à Folha de São Paulo que “”quando ele [Bolsonaro] tiver a maioria e achar que é a hora de votar a reforma, ele me avisa, eu pauto para votação e digo com quantos votos posso colaborar”, Maia evidentemente jogou com a falta de articulação com a Câmara que Bolsonaro revelou em seus quase 30 anos de mandato federal.

E com o fato de que se torna, assim, a grande esperança da maioria de insatisfeitos do bloco governista na Câmara, o que inclui boa parte da bancada do próprio PSL, como revela a atitude  do líder do partido, Delegado Waldir, de que a reforma dos militares é um “abacaxi”.

As falanges bolsonaristas, mais atentas ao confronto que à aprovação da reforma, exigem que Maia “ponha logo para votar” a reforma. Se fizer isso, ela será derrotada, e feio.

Hoje, Maia driblou mais uma patada do bolsonarismo ao responder à  deputada (estadual) Janaína Paschoal que foi às redes sociais perguntar se o Presidente da Câmara “pensava no Brasil”.

Foi gentil, reafirmou sua posição pró-reforma, mas fugiu de qualquer compromisso de articular sua aprovação.

Se Jair Bolsonaro não vier falando fino do Chile, que Paulo Guedes se prepare para a tempestade que haverá na terça-feira, quando estiver na Comissão de Constituição e Justiça.

Vai ouvir pelo chefe.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. a Jana sempre fofa, misericórdia
    agora deixar a população na miséria é pensar no Brasil
    que gênia!

  2. Quem pariu Mateus que o embale. Criaram vários monstros que estão perdidos, acuados e tentam reagir de qualquer forma às burrices e descompromissos que começaram em 2013 e se arrastam até hoje, agravados pelo golpe de 2016. Era de se esperar, mas a mídia e o pentecostalismo trataram de fazer a cabeça dos incautos. Eles agora têm que resolver a equação que a cada dia está mais complicada. Enquanto isso quem poderia unificar e pacificar o país está preso sem motivo e por inveja em Curitiba.

  3. penso que são poucos, embora barulhentos. Mas, se querem tanto a reforma, sugiro que ela seja gradativa e que esses ardorosos defensores se apresentem, mostrem a cara e se prontifiquem a serem os primeiros na fila da reforma. Podem também se alistar pra abrir mão de algum direito trabalhista que ainda tenham e, quem sabe, linha de frente na guerra contra a Venezuela

  4. A rigor, o Messias nunca defendeu a reforma da previdência com a ênfase necessária de quem realmente quer sua aprovação. Quem quer tal reforma é o Guedes, o boy dos bancos. E pela confusão em Brasília, ela não passa. Na campanha, o Jair e o gal Mourão disseram abertamente que se houvesse dificuldades, eles dariam um golpe. 31 de março está chegando. Esperemos.

  5. Se eu fosse o Maia mandaria colocar para votação imediatamente, sem mudar nada. Seria uma vergonhosa derrota. kkkkkk

  6. Do blog Balaio do Kotscho.

    Paulo Caruso disse:

    22 de março de 2019 às 12:22

    “Como disse o Luis Fernando Veríssimo em mais uma se suas brilhantes crônicas, com tantos milicos no planalto, quem está tomando
    conta dos quartéis?”.

  7. Pra quem gosta de cinema de todas as épocas, o governo do BoiSonóro parece o roteiro do filme RIFIFI ,de 1955.

  8. Janaína sempre Janaína…Uma mulher patética a serviço do $$$ e do não se pensar o Brasil, ou melhor, pensar o Brasil para os ricos (os senhores do mercado); não importa os métodos. A sua máxima é “os fins justificam os meios”. Se o Lula é um “jararaca”, como ela disse alucinada e possuída como uma apaixonada destrambelhada em seu discurso pré golpe, ela é uma sucuri da democracia e do estado de direito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.