MP pede inquerito contra Bolsonaro por “filha fantasma” de Queiroz

Carlos Henrique Martins Lima, da Procuradoria Geral da República enviou a Raquel Dodge representações para que Jair Bolsonaro seja investigado pelos  crime de desvio de dinheiro público (peculato) e de improbidade administrativa pelo fato de que a filha do ex-PM Fabrício Queiroz, Nathália,  que “trabalhou” como assessora parlamentar do ex-capitão entre durante dois anos, período em que era recepcionista e personal trainer no Rio de Janeiro.

Quando confrontado com a informação, ainda antes da posse, Bolsonaro não soube explicar o que ela fazia em seu gabinete: “sei lá, pergunta para o chefe de gabinte”, respondeu.

O procurador diz que, apesar de o Presidente não poder ser processado, durante o exercício do mandato por fatos anteriores a ele, “precedentes indicam que pode haver investigação, sem que uma ação penal seja aberta enquanto o presidente permanecer no cargo”.

O nome do precedente é Michel Temer e o caso é o do decreto dos portos.

Nathália é uma das fornecedoras de dinheiro para a conta de Fabrício Queiroz: R$ 84 mil.

A informação é de Mariana Oliveira, da TV Globo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email