Visita de Guaidó a Bolsonaro é outra mancada diplomática

Já que não adotou a correta posição de neutralidade e negociação, o Governo Brasileiro bem que poderia cultivar uma postura discreta, agora que houve uma nítida demonstração de que o autoproclamado “presidente encarregado”, Juan Guaidó, não tem controle de coisa alguma em território venezuelano.

O fiasco do sábado da ajuda humanitária, embora com desgaste para todos, provou isso e, a muito custo, a intervenção do General Hamílton Mourão, com as expressões duras necessárias a maquiar o recuo, fez o Brasil refluir daescalada belicista a que nos levou o Itamaraty.

Posição, aliás, que foi tomada pelo Grupo de Lima, deixando “a pé” o desejo americano de que servíssemos, com a Clômbia, como ponta-de-lança de aventuras bélicas em território venezuelano.

Parece óbvio que, mesmo para os que desejam o afastamento voluntário de Nicolas Maduro e soluções político-eleitorais que dêem saída aos problemas do vizinho, o mínimo que isso exigirá será tambem o afastamento de Guaidó, a não ser que insistam na fracassada tentativa de depor o presidente da Venezuela ou de fazê-lo renunciar.

Guaidó é bananeira que deu cacho, não tem mais serventia no cenário político, desfeita sua ilusão de ascender meteorica e ilegitimamente ao poder.

Por isso, qual a serventia de levá-lo a este encontro com Bolsonaro, tirar umas quantas fotografias e, quem sabe, provocar alguma declaração canhestra de Sua Excelência, o ex-capitão?

Vai que ele queira dar seus gritos de guerra, louco que anda depois de ter sido obrigado a falar fino por conta das pressões parlamentares em torno da reforma da Previdência?

A diplomacia profissional brasileira jamais incorreria no erro deste encontro, agora, do qual Guaidó – que anda na base do cachorro que cai de caminhão de mudança, sem rumo – tira muito e Bolsonaro, com sorte, tira nada.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

17 respostas

  1. Guaidó, é mesmo, um pé frio, entrou na clandestinidade e não pode voltar legalmente para a Venezuela, como um “homeless” Juan Guaidó, procura abrigo no Brasil, com Bolsonaro que já tem problemas demais, com seu laranjal, com seu filho pitbul, descoberto no “armário”, e agora tendo que enfrentar o Auto Proclamado Presidente do Brasil, o popular e queridíssimo José de Abreu. Podemos dizer que Trump é o Grande Cafetão desse puteiro ?

  2. Esse demente inventou a arminha, ganhou eleição fazendo arminha e agora a tal da arminha só serve para dar tiro no pé. O médico das tripas até recomendou que ele vá revezando os pés, que acabam sofrendo muito com tanto tiro.O médico só não sabe ainda o que fazer com os tiros desferidos pelos Três Patetas, que também atingem os pés enormes do bobalhão.

  3. O aecinho venezuelano quer mostrar que tem o apoio do Brasil. Acontece que o capitão não é o Brasil. Aliás, o mauricinho tinha que combinar mesmo é com o Zé de Abreu, o recém proclamado presidente do Brasil. Mas o Zé não vai querer. Ele não dá mole para Mané não.

  4. O cara Guaidó subiu no caixote e se declarou presidente KKKKK e se deixarem, ele faz a mesma coisa aqui. É só dar corda KKKKK.

  5. Guaidó declarou que vai voltar esta semana para Venezuela. Acho que essa passagem pelo Brasil (se é verdade que vai voltar mesmo) é para tentar atravessar pelo lado brasileiro

  6. O Palhaço do Planalto, queiramos ou não chefe de estado, vai receber um pária, um zé-ninguém?
    Entendo o impulso irresistível do animal presidente em lamber botas de qualquer sátrapa que apareça, mas disso aí?
    Dessa nulidade? A troco de quê?

  7. Guaidó está a bater na porta errada. Ele tinha mesmo era que visitar o Mourão, para ver se o faria mudar de ideia (não faria nunca!). Se fosse pela cabeça da família Bolsonaro, o Brasil já estava em guerra com a Venezuela. Que é que o Bolso vai dizer para ele? “Sinto muito, Guaidó. Eu queria, minha família toda queria, meu filho queria demais, mas eles lá na caserna não querem, o que é que eu posso fazer? Nem demitir o Mourão eu posso, o homem foi eleito, não é ministro.”

  8. Um energúmeno eleito fraudulentamente torna-se anfitri?o do Guaidoido, aquele autoproclamado que não consegue ser presidente nem de si mesmo.

  9. que estamos num alto patamar de ridículo não é novidade. Mas um chefe de Estado receber um pateta desses, é demais até pros nossos atuais padrões de (in)decência. Será que o patrão mandou? Só pode.

  10. Fica aquí a sugestão para o Zé de Abreu, o autoproclamado daquí, receba o Guaidó, o autoproclamado de lá. Seria um encontro e tanto.

  11. Para os que gostam de dados reais (não fictícios) As últimas eleições venezuelanas com observadores internacionais que teve inclusive a participação do ex primeiro-ministro espanhol Sr. zapateiro, que e de direita, e considerada legítima pela comunidade internacional, teve a vitória de Maduro com +- 67% do total dos votos e ….Adivinhem:

    o Sr. Guaido foi eleito parlamentar por uma cidade do interior com uma porcentagem de votos de 0,29% do total de votos , nem mesmo 0.5% dos votos, além de ter perdido a eleição inicial a líder do parlamento substituindo o líder mais votado em situação não muito clara.

    Independente das preferências políticas ou ideologias de qualquer pessoa,

    a pergunta que fica e : será mesmo que existe legitimidade na auto-proclamação a presidente do Sr. Guaido ?

    Há tantos países mais necessitados de ajuda humanitária, tais como Haiti ????????, Guatemala ????????, Nicarágua ????????, entre outros, (esses só nas Américas)

    Que a Venezuela consiga se recuperar e resolver seus problemas internamente
    E que o Brasil siga sendo um país que promova a paz e o diálogo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.