Muito pouco para um “deus”

A interminável pesquisa Datafolha – está “rendendo”, a conta-gotas, há um mês – só pode surpreender pelo inverso do que diz a sua chamada: Brasileiro confia mais em Moro do que em Lula e Bolsonaro.

Porque os índices de Sergio Moro, há cinco, quase seis anos, glorificado como santo no altar, mostram que o ex-juiz, sem estar exposto senão nos últimos meses, à política, já conseguiu alcançar um índice de rejeição (42%) que, embora mais baixo, habita o mesmo patamar que os demais possíveis candidatos.

Inclusive, e sobretudo, os do homem que ele perseguiu, condenou e encarcerou durante quase dois anos, Lula.

O grau de aprovação de Moro não resolve seu problema eleitoral justamente por isso: não tem gordura para queimar num eventual embate com Bolsonaro que, como se sabe – e sabem bem os deputados do PSL – tem um exército de fanáticos que incinera qualquer dissidência.

Está, por isso, destinado a ser “cozido” entro da panela do chefe, porque não tem gás para ir para a solidão, sem o poder persecutório que tinha antes de agarrar o Ministério da Justiça com a vã esperança de ser todo-poderoso. Pode até ter mais prestígio popular que Bolsonaro, mas se lhe retirar-se este “naco”, não teria vida própria, ao contrário do “Mito”.

Deste, o que se pode falar que não seja o fato de que, em um ano, não apenas perdeu a confiança da maioria que o acompanhou no voto como só a conserva robusta em pouco mais de um quinto (22%) da população? E que a confiança parcial de outro tanto, com as dificuldades em frente, rápido pode escorregar para a rejeição.

Luciano Huck, a esta altura decaído para a condição de “novidade velha” tem desconfiança de mais e apoio de menos, sobretudo porque, apenas com a simpatia que tem do povão – onde Lula segue absoluto – não vai a lugar nenhum.

Lula continua a ser o “perigo” a ser vencido pela direita e qualquer outra articulação pretensamente de direita vai se desmanchar como espuma do mar no rochedo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

20 respostas

  1. Para uma Matrix de imbecilidade, que é no que se tornou o Brasil, LULA continua impressionando pela solidez, soberano na resistência às trevas. É um fenômeno que resiste ao massacre permanente. Os demais, sinceramente tenho dúvidas de que alguns estarão fora da cadeia em 2022.

    1. Uai, abrandou, foi? Porque até pouco tempo a ritmo das acusações contra Lula eram diárias.

  2. Os números em relação ao Lula, francamente, não justificam estes comentários adocicados… ou então não são estes os resultados da pesquisa e não foram apresentados aqui. Estamos diante de torcida e não de fatos. Outra pesquisa, mais recente que a da Datafolha, mostra que Lula está empatado com bozo (cerca de 46/47%) entre os que “não votariam de forma alguma em nomes indicados por eles”! já que Lula não pode ele mesmo ser candidato. Claro, pesquisa mostra tendência e não é confiável por si só. Mas esta tendência vem desde há mais de dois anos, se verificou por dezenas de pesquisas de opinião realizadas por vários institutos durante período eleitoral. Ou seja, o eleitor, em sua maioria e de forma reiterada, não quer pt ou Lula e tampouco candidatos deles. Foi o resultado das últimas eleições, ora bolas! Preocupante é que esta percepção dos eleitores se arraste por mais de dois anos e tendo debaixo dos narizes da população esta tragédia que é o governo bozista no último ano. Fato: não temos lideranças políticas dignas deste nome e viáveis para as próximas eleições.

    1. Ora bolas! se o Lula de acordo com pesquisa fajuta da Folha uma disputa eleitoral entre Lula Moro e Bolsonaro, serão os dois os votos vencidos. O Moro e o Bolsonaro é o abraço de afogados
      Precisamos de acabar com esta Imprensa vil.
      O que há, é o medo do acerto de contas do Lula apoiado pelo povo sofrem a vingança destes picaretas.

    2. Certemaento em 2014 voce votou no Aecio, o que tem de observar e que depois das eleiçoes ja rolaram muitas agua, e ate as proximas eleiçoes muitar aguas vao rolar , tudo que aconteceu no verao passado estar vindo a tona

      1. Certamente você sabe em quem eu votei em 2014? Não seja ridículo, Nilson. Seu tolo, você não sabe coisa denhuma, eu sempre votei em Lula. E ao Rogério lá encima: as prévias das últimas eleições mostravam que cerca de 50% de eleitores não votavam no pt ou em Lula. Faça as contas. Será mesmo que dava para ganhar no 1o turno? Não se iluda com as histórios que o “diretório” conta. O pt mente.

    3. A maioria não que PT ou Lula? Você lembra quem iderava, folgadamente, todas as pesquisas para a presidência, antes de ser tirado ilegalmente e indecentemente da disputa?

  3. mesmo considerando o viès de confirmação da folha, sua torcida, sua preferência pelo mundo cheiroso, é assustador o número que alcança esses picaretas (moro, huck e congêneres). voz do povo, voz de deus? não, voz dos imbecis autoenganosos infelizes e incapazes de pensar por si mesmos. balões de ensaio, se colar, colou.

  4. Acho que essa pesquisa foi manipulada de alguma forma. Moro já não tem mais a credibilidade que tinha. Basta se lembrar das manifestações a favor da lava jato, que foram um fracasso.

  5. Basta reparar as fotos escolhidas para ver quem terá apoio da Folha…rsrsrsrs…pensam que todos somos imbecis…Lula e BOZO com semblantes fechados, MORO FARINELLI, o inculto e Huck sorrindo…

  6. Basta uma pequena observação das fotos colocadas pela FOLHA para verificar quais candidatos eles apoiarão: LULA E BOZO com caras de MAUS e Moro Farinelli e Huck sorridentes…pensam que somos idiotas…

  7. Bolsonaro acabou com o Moro, quando fez passar a lei que institui o juiz de garantias. Toda a estratégia do lavajatista repousava na ausência deste mecanismo jurídico.

  8. Hora de falar de banestado e seu juiz e mpf, não? Senador Requião, que relatou a cpi assassinada, vamos denunciar o atlanticista SFM?

  9. A pior análise e o mau conselheiro são aqueles que subestimam o cenário configurado no domínio inimigo.
    Por essas e outras a suposta oposição não consegue dar um passo adiante desde a fragorosa tática eleitoral que levou a extrema-direita ao poder e o ex-operário que virou suco ao cárcere.
    O cenário atual permanece reproduzindo as mesmas condições objetivas que permitiram à direita consorciado à extrema-direita nadarem de braçada a caminho de se perpetuarem no Poder.
    Sobretudo se forem os mesmos personagens, à esquerda e pelo centro-esquerda, os protagonistas de 2018 varridos do mapa eleitoral pelo anti-petismo generalizado pelos quatro cantos do País.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *