Na Saúde e na Economia, o pior ainda está por vir

Tenho insistido aqui que os indicadores econômicos, neste momento, valem pouco ou nada.

Em matéria de economia, agora, só se tem uma certeza: a da devastação.

No país do trabalho informal, não há mais trabalho informal e haverá menos ainda com o inevitável fechamento das grandes cidades quando, afinal, os números da Saúde mostrarem a realidade de que temos várias centenas de milhares infectados e que o lockdown não é uma opção, mas uma imposição.

Os bilhões anunciados em crédito foram, mostra a Folha hoje, na sua grande maioria para as grandes empresas fazerem caixa e aliviarem suas perdas nos mercados financeiros. A “turma da marcha ao STF” ficou com mais da metade do dinheiro e só um quinto dele chegou às pequenas e médias empresas, que tentaram segurar empregos mas vão não só demitir a rodo quanto quebrar, junto com as micro, que não viram dinheiro algum.

O Índice Antecedente de Emprego, divulgado hoje pela FGV, mostra que os próprios empresários estimam uma queda inédita e monstruosa no emprego nos próximos meses.

A previsão de hoje do Boletim Focus, do Banco Central, de que o Produto Interno Bruto vá cair “apenas” 4,11% só pode ser vista como uma piada. “Dobre a meta” e ainda assim, será otimismo.

Ao contrário do que pensam os idiotas que pensam mesmo que “no tocante as esta questão do vírus, ele já está passando” e que tudo logo voltará a ser como antes – e antes já não era bom – esta situação de crise na economia – como na Saúde – está muito longe de alcançar o seu “pico” e seus efeitos irão perdurar por muitos meses, talvez vários anos.

Como observa, em excelente artigo, Vinícius Torres Freire, não há nenhum plano para a economia senão o de achar que ela se resolverá sozinha, com um genocídio de empresas ( e de setores inteiros) a partir do qual rebrotarão os “empreendedores”.

Os anúncios de bilhão para cá e bilhão para lá – além de se perderem na burocracia das condições de liberação e no fato de que sabemos que vão parar, em geral, na mão daqueles que menos precisam – denotam uma imensa falta de foco para impulsionar alguma recuperação após o ainda longínquo pior da crise.

Perdemos a chance de uma intervenção radical na expansão da doença e de seus danos econômicos e estamos fadados a enfrentá-los com subdosagem dos parcos remédios de que dispomos, à espera de uma “cloroquina da normalidade” que só existe na cabeça dos burros.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

    1. Sim, é hora de ressuscitar Keynes. Aliás, já passou da hora e não sei se haverá tempo para recuperar o imenso prejuízo produzido pelos seguidores de Milton Friedman.

  1. O objetivo era tirar Dilma e acabar com PT. O resultado: desemprego em massa, recessão, economia, saúde, educação e cultura devastadas. E como se não bastasse, agora mil mortos por dia com o desgoverno do demente genocida incompetente. PGR vai denunciar Bozonaro? Não. Maia vai dar entrada no processo de impeachment? Não. Mas o importante foi que tiraram o PT.

    1. O objetivo sempre foi o de destruir as condições de levar adiante um
      projeto de nação, com desenvolvimento autônomo e com política externa
      soberana, num ambiente democrático que propiciasse maior justiça social.
      Atacar o PT e Dilma (ainda que tenha-se que reconhecer erros cometidos), foi apenas o mote para arrebanhar a sustentação para o assalto imperialista ao Brasil, de braços dados com a elite econômica parasita que temos.

  2. O Brasil vai sucumbir ao coronavírus devido às suas inúmeras comorbidades.
    Bolsonarite, estado fraco, anêmico, sem vitaminas, doença auto-imune onde o sistema de defesa destrói o próprio organismo, mal da vaca louca, hidrofobia, depressão, ideias suicidas, e por aí vai.
    Nem precisava da “gripezinha”, já estava à beira da morte.

    1. Faltou falar povo extremamente burro.
      Este problema aí é pior que qualquer coronavírus e demora décadas para sarar.

      1. Sim, claro.
        Eu mencionei somente as doenças agudas, mas as doenças crônicas também terão papel relevante neste óbito.

    2. Aquele casal que ainda tiver sogra, poderá se acomodar com a esposa e filhos e viver com a aposentadoria do sogro ou a pensão deixada para a viúva. Será nestas hora que sogra vale muito. Aquele apartamento pelo minha casa minha vida esquece ! Carro a prestação foi um sonho. !.

  3. Vinicius Torre, o Vinit, foi corista e segunda voz do Mercado e ajudou com sua sabujice a produzir a devastação econômica e a destruição da política, preparatórias do Golpe de Estado de 2015/16.
    Agora que a vaca foi definitivamente para o brejo os tucanos arrependidinhos, mais falsos que o próprio tiranete que ajudaram a botar na presidência, fazem cara de nojinho para o próprio horror e destruição que produziram.
    Esquecer jamais.

    1. Exato. Do mesmo modo que Reinaldo Azevedo. Os blogs progressistas continuam dando ressonância aos golpistas de ontem e de hoje.

    2. Mas, não foram estes vagabundos picaretas que disseram: Se tirasse a Dilma que tudo iria melhorar (FHC, Aecin do pó e mais um bando de quadrilha) não melhorou e depois que se fizesse a reforma trabalhista, os empregos voltariam, não voltaram. Se fizesse a Reforma da Previdência (né mesmo seu Botafogo), que tudo iria ficar melhor pois, o Governo economizaria mais de um trilhão e poderia investir, ficou pior. Se elegesse o “Coiso” que acabaria a corrupção etc e etc.

      1. Não só disseram tudo isso como as transformaram em ciência, em verdades absolutas e auto evidentes com o auxilio luxuoso dos gênios do Mercado e o bumbo retransmissor da Grande Imprensa. Os meninos e meninas da Faria Lima e do Leblon são a in”consciência” não”científica” e o jornalismo especializado(sic) as cheeleaders do Golpismo. Menos cabeça com menos carater deu e só podia dar em destruição.

  4. A primeira que coisa que Guedes fez foi socorrer os Bancos um trilhão e la vai fumaça), e ainda os favoreceu-os comprando títulos podres (para quem não sabe, são dívidas sem garantias (impagáveis) mas pelo que se verá é que este dinheiro não terá tomadores. Os empréstimos bancários com estes juros que querem emprestar não haverá quem queira. Estamos numa GUERRA, mas, nos parece que esta turma do GUEDES ainda não caiu na real. Este dinheiro emprestado aos Bancos só servirá para comprarem dólares (especulação) Os empreendedores não irão toma-los emprestados, a não ser que o Guedes determine a Caixa e o Bco. do Brasil para emprestar a um por cento e seis meses de carência e 36 meses para pagar. É nestas horas que invejo o Barack Obama, quando teve a quebra do Banco Lemans (que ameaçou todo o sistema bancário dos EUA, ele ((Barack Obama) Chamou os empresários e disse: O governo está disponibilizando a vocês o que vocês quiserem a juros zero e prazo a perder de vista. Deu certo,como deu em 1929 e 2030. Mas, aqui no Brasil, parece-nos que querem ficar com o dinheiro guardado, mofando Bco. Central. Então que fiquem. Ninguém é maluco de tomar dinheiro a 7 ou 8% ao ano para empreender qualquer coisa. Este tipo de empréstimo só se for para pagar contas e fechar, mandando os empregados embora e eles encostarem no Seguro Desemprego.

    1. O Governo dos EUA quando houve o Crash da Bolsa 1929-1930, o povo americanos ficou em situação tão periclitante que o Governo teve que oferecer sopa para amainar a fome dos mesmos. Então bolou um plano: Foi o de emprestar dinheiro para os empreendedores com juros zero e prazo a perder de vista, deu certo!!
      Barack Obama na quando na quebra do Banco Lemans chamou os empresários e disse: O dinheiro que vocês precisarem está disposição de vocês a custo zero e prazo longo, mas, eu quero os empregos de volta, deu certo. Aqui não, esta turma preferem deixar o dinheiro mofando no Banco Central em vez de empresta-lo a juros de um por cento e com carência de seis meses Mas, deverá exigir como garantia (desde que não seja a casa própria) um imóvel hipotecado com valor do dobro do empréstimo como garantia da dívida. Desde que este imóvel, seja avaliado pelo dobro do valor do empréstimo. O dinheiro circulará, gerará empregos e impostos. Mas, do jeito que está não dá. Seu Guedes, a vaca já está quase no meio do Brejo.
      Se demorar muito, está tudo perdido.

  5. Num país com deflação, juros reais positivos (ex-post) em mais de 3%. Próxima reunião só daqui a 45 dias.

    BC e Focus, a “dupla sertaneja” do grande capital.

    1. No Reino Unido, Japão Alemanha, França etc e etc. (Países de primeiro mundo) o cidadão se quiser guardar o seu dinheiro no Banco terá de pagar uma taxa para guardá-lo. Vejam ai a diferença de país de terceiro mundo.

  6. Ontem ,vi uma propaganda veiculada na TV que o Banco do Brasil que está oferecendo juros de 3,75 ao ano para quitar a folha de pagamento.Até não está ruim, mas estes incompetentes da turma do Guedes, esquecem de um detalhe, toma-se dinheiro para pagar a folha hoje , mas e amanhã??? O que vai acontecer será: O pequeno e médio apanhará o dinheiro no Banco e pagará os seus salários e aproveitará para pagar seus direito e os demitirá (acredito que será em torno de 90% ou “mais”, é necessário que estes economistas de fancaria caiam na real. é em crise como estas que o governo precisam e muito de parceiros ou sejam sócios É hora de olhar para os EMPREENDEDORES como parceiros! Os Bancos são Mercenários e querem tudo para eles! Tomam dinheiro com Juros anuais de 1% ao ano a ainda os aliviam, comprando-lhes papeis podres (que nunca serão recebidos) isto é bom (pra eles) e eles querem emprestar-nos (Com garantias fiduciárias) com juros de 7,8 até 12% ao ano. Porque o Governo numa hora destas, não autoriza a Caixa e o Bco, do Brasil negociarem diretamente com os EMPREENDEDORES, se demorar e houver muita burocracias a economia que já está na UTI irá direto pro ralo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *