Não é a Folha gostar de apanhar que me fará apoiar espancador de imprensa

Apesar de não me mover qualquer solidariedade política ao papel que a Folha desempenhou de ajudar a cevar Jair Bolsonaro, tratando como um candidato diante do qual se deveria portar com neutralidade, enquanto a seus adversários nunca se cansou de pedir sessões de autoflagelação públicas, codinome “autocrítica”, creio que é grave para todos a nova ofensiva do presidente contra o jornal, ameaçando ir além de cancelar as assinaturas do jornal paulista pela administração pública. Isso, embora revelador da estupidez do “não li e não gostei”, tem pouco impacto.

Agora, ameaçar os anunciantes do jornal, ao dizer que boicotará seus produtos e – óbvio – estimulando seus subordinados a fazerem o mesmo – a atitude de Bolsonaro vai além de atacar um jornal que, sob muitos aspectos, assume o papel que os antigos chamavam de “mulher de malandro”, destinado a quem continuava, como a Folha continua, a apoiar as políticas deste governo nefasto.

Bolsonaro parte para o caminho da chantagem expressa sobre empresas e tenho poucas dúvidas de que elas passarão a adotar os “conselhos” presidenciais em outros campos, em especial com seus trabalhadores.

Quem quiser que diga o “bem-feito” que o jornal mereceria por, ainda outro dia, entoar loas a Paulo Guedes, a quem, dias depois, pareceria normal o AI-5.

Por isso e por muito mais, por agredir que a respeitou com várias passagens de jornalismo de esgoto, como a ficha falsa do Dops sobre Dilma Rousseff. Ou por chamar de “ditabranda” a ditadura que apoiou.

Porque as ditaduras acabam sempre em conflito com a imprensa, mesmo com a que lhe foi, um dia, cúmplice ou amiga.

Eu prefiro que os próprios leitores puxem o rabo preso do jornal com o mercado financeiro, expondo a vergonha de apoiar seu próprio algoz.

Apenas porque este algoz é mais que algoz da Folha, é algoz das liberdades democráticas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

26 respostas

  1. Eu acho que tem quea falha de sp tem que apanhar e acho que a esquerda tem que aprender a bater. Ou se liquida com este arremedo de imprensa que serve de porta voz e arma da elite do atraso e dos quintas colunas, ou a América Latina nunca será verdadeiramente soberana.

    1. Brincou o tempo todo com fogo. Agora se queimou!! Por que eu a defenderia? A folha está provando do tipo de regime que ela gosta!! Se nós a defendermos, ela continuará apoiando!!

  2. Eu acho que não se trata de gostar de apanhar, é que os interesses que a Folha defende, são mais importantes do que ela própria.

  3. Pois eu tenho curiosidade de saber,COMO O ILUSTRE JORNALISTA CONSEGUE VER,ENTRE OS BÓSTA-NARO DAS NOSSAS VIDAS E A IMPRENSA PRIVADA,EM GERAL,ALGUMA COISA DESSEMELHANTES.

    1. Folha e irrelevante o q estraga e o povo pobre q diz q o pobre ta so ha um ano e leva toda culpa
      E a classe media q odeia Lula e nem sabia q Lula implantou 18 universidades e mais de 300 escolas tecnicas pelo pais dando vaga pros filhos deles e emprego de professor ou pesquisador
      Nao sabem nada
      Culpa dessa imprensa maldita

      1. E o que bolsominion sabe, além de motes como “vai prá Cuba” e “o PT quebrou o Brasil”? Eu, quando um bolsobosta puxa papo sobre política, digo na cara que só falo de política com quem tem argumentos. Lula quebrou o Brasil? Tem números? Então não enche o saco. Não dou chance para eles dizerem as mesmas asneiras de sempre.

  4. Com certeza atrás da folha existe um grande grupo financeiro que também apoia tudo isto que flagela o povão. Tudo cheira a um acordo de bastidores do Grupo Bozo com um dos grupos que financiaram sua campanha e de parlamentares apoiadores do ultraliberalismo. Claro, estou fazendo ilações com base em minha convicção pois de Joaquim Barbosa e Moro pra cá convicção é tudo.

  5. Depois de apanhar a Folha volta a agradar seu espancador e tece loas ao julgamento rastaquara do TRF4.

  6. Quero que Folha que se FÔDA. Assim como se foderam os Frias (pai e filho)
    CANALHAS SUJOS E HIPÓCRITAS !

  7. Globo já arriou, depois da briga, a próxima será a folha.
    Torço para que a briga.
    Também me deixaria feliz, ver a folha publicar os dossiês que eles tem, sobre o Bolso, família, comparsas e por ai afora.
    Dos dois lados, é jogo de interesse.

  8. Não precisamos apoiar a medida do bozo, mas que devemos gritar “EU AVISEI! Foram vocês que cavaram esse buraco!” sem parar para a folha, ah, devemos!

  9. Gostaria muito de não ter chegado a este ponto, mas eu não consigo deixar de dizer a planos pulmões: BEM FEITO!!

  10. Concordo com suas ponderações a respeito da liberdade imprensa e ameaças. Mas eis uma pergunta: a Folha faz jornalismo sério ou é um folhetim partidário e sectário que promove anúncios?

  11. Jornais e revistas estão mortos…..são zumbis que existem apenas para vender manchetes…..são testas de ferro de grupos antinacionais e antipovo sabujos do rentismo….quem os financia?

  12. Nas minhas contas, a guerrilha do Bozo reabilitou a folha, fiadora do fascismo de Curitiba e içada a campeã da democracia, sem ser. Em um ano, Guedes termina de amassar o povo e o Bozo será um pária. Isso já começou. A curto prazo, Bozo não dará golpe porque ninguém confia nele, agora do círculo de lunáticos. A folha ganhou marketing gratuito e, no futuro, cantará em verso e prosa seu heroísmo.

  13. Se Bolsonaro é o algoz das liberdades democráticas o que são a Folha e correlatos?
    Atentar contra a liberdade de imprensa é um crime quando ela efetivamente existe. Não é o caso. Para um povo que aplaude uma família de fascistas no poder e uma equipe de assessores fascistas nos altos escalões do governo bater ou não na grande mídia não fará a menor diferença, menos ainda para um estado democrático que não existe. O Brasil democrático é uma ficção. Vivemos no Bolsonistão e aqui é a guerra der todos contra todos.

  14. Estamos vivendo claramente, aqui e lá fora, o que o o cientista estadunidense, Sheldon Wolin chama de totalitarismo invertido, quando a economia passa a comandar a política. O capital financeiro aliado às grandes corporações já domina a maioria dos países através da dívida pública e é o “mercado” que domina tudo. Não é de hoje, mas com a globalização está cada vez mais evidente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.