Não é o shopping fechado, estúpidos

O dinheiro é mais forte que o coronavírus, mesmo no dia em que nosso país registra o maior número de mortes: 383 em um único dia.

Não ache que começam a fazer efeito as pressões para a reabertura do comércio – a indústria e a agrucultura jamais pararam senão pontualmente – nas cidades brasileiras.

Nem que é uma decisão baseada na análise de superação de picos epidêmicos, uma vez que os hospitais seguem se enchendo de gente e enterramos pessoas sem saber se, de fato, foi o Covid 19 que as matou.

Fala-se num “marketeste” do Ibope, totalmente sem propósito senão o de mostrar que o “eleitorado” macabro do coronavírus é “só” de zero vírgula um pouquinho da população, mesmo que isso represente centenas de milhares ou mesmo um milhão de pessoas.

Não, não é o balconista sem balcão para vender, o pequeno lojista – sem loja online, não é? – sem clientes, o bombeiro hidráulico que ninguém vai chamar para fazer uma reforma no banheiro.

São os grandes mercados mundiais, os grandes negócios que pararam e não podem parar.

Daí as pressões, desde Trump até Bolsonaro, para “soltarem os bichos”.

Imaginem o quanto de dinheiro vale, por exemplo, mesmo uma pequena recuperação dos preços do petróleo, hoje levado a zero ou negativo, com as empresas tendo de pagar para que alguém leve o óleo que já lota não só os tanques terrestres como também quase todos os petroleiros, transformados em cisternas flutuantes com mais de 160 milhões de barris acumulados em seus porões.

Idem para os mercados industriais e, pela sua baixa demanda, nos mercados de metais e minérios, assim como na demanda da indústria por energia elétrica.

É em nome disso que se pressiona para atirar as pessoas à rua, tornando inútil o tal “isolamento vertical” de idosos e doentes, que ou receberão o vírus delivery ou, arrastado pelo fluxo “normalizado”, aumentando seus deslocamentos e presença em ambientes de contaminação.

É por isso que arrisca-se jogar fora todo um mês de sacrifícios de isolamento praticado por todos nós, com graves consequências no emprego e renda e todos os sacrifícios pessoais a que nos submetemos.

O simples anúncio do plano de reabertura, a ser anunciado na quarta-feira, já vai fazer cair o isolamento.

O flerte com a morte está funcionando e muitos sentirão seu beijo frio.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email