Não é para cortar, é para desorganizar a Universidade

O Globo publica hoje o que há de real nos cortes de “21 mil cargos” no Governo Federal, que vem sendo festejado há duas semanas.

Cortes , mesmo, apenas 159:

A medida está entre as 35 metas dos primeiros cem dias de governo apresentadas em janeiro pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Embora tenha falado da importância de enxugar a máquina pública, o governo cortará apenas 159 cargos. O resto estará focado em funções (17.349) e gratificações (3.492).
Esses adicionais são pagos a servidores efetivos do governo federal por desempenharem algum papel além do qual ele foi aprovado em concurso público. É, por exemplo, um cargo de coordenação de curso em uma universidade federal.

Não é “por exemplo”. Dois terços dos cargos cortados são nas universidades e institutos federais de educação tecnológica. Em escolas, portanto.

São pequenas gratificações que ajudam a estruturar seu funcionamento.

Na média, R$ 500 mensais, que é o resultado dos R$ 91 milhões anuais por 13 meses e quase 14 mil cargos.

Não paga a conta do restaurante do Paulo Guedes.

Mas transforma universidades e IFT’s numa baderna administrativa, onde ninguém ganha para mandar nem ser responsável.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

18 respostas

  1. Não é mais admissível que os militares não entendam que este governo veio para frear o progresso do Brasil, quiçá de uma maneira irreversível. É impossível que eles sejam tão ingênuos que não entendam isso.

    1. Desculpe, mas eles são parte interessada nisso. Veja quantos cargos de direção estão ocupando nas empresas públicas, sem terem a minima formação para isso. Hoje, na agência dos Correios, o atendente me informou que o novo presidente da empresa é um capitão. Eu respondi: o que esse cara aprendeu a fazer a vida inteira foi só a obedecer.

    2. Há muito tempo os militares brasileiros não estão nem aí para a defesa da nação brasileira, eles querem é manter ou ampliar os seus privilégios. Se os militares defendessem a soberania nacional, eles impediriam que bandidos tomassem o controle do Estado e destruísse as bases do mesmo. A desindustrialização do Brasil aumenta a insegurança da nação brasileira, tornando o país submisso a interesses estrangeiros, mas e aí? Cadê as nossas “forcinhas” armadas? Estão mancomunadas com a destruição do Brasil.

  2. Fui coordenador de curso na minha IFES durante 4 anos. A FG (função gratificada) não chegava a 500 bozos. Nada é mais difícil do que encontrar professores dispostos a assumir esse cargo, poiso trabalho não acaba nunca e o reconhecimento de colegas e discentes é quase nulo. Agora, então…

  3. Esses milicianos ligados ao Bozo querem mesmo é destruir as estruturas do Estado, tornando-o mínimo e a mercê do Mercado. Quem perde com isto é o povo e a soberania do Brasil.

  4. mas eu acho que o objetivo é esse mesmo
    acabar com as Unifversidades Federais
    o resto é lucro

  5. O objetivo é destruir as universidades e todo sistema federal de ensino superior; isso está claro mesmo antes do clã Bozo-miliciano ser empoderado por meio de uma eleição farsesca e fraudulenta. Ou o editor deste blog e os leitores se esqueceram do seqüestro judicial de dois reitores (o da UFSC, Luiz Carlos Cancellier de Olivo, e o da UFMG, Jaime Ramirez), levados a termo pela ORCRIM Fraude a Jato, levando o catarinense ao suicídio? Dezessete universidades foram invadidas por meganhas da PF, por ocasião da campanha eleitoral e mesmo antes.

    Mas é bom observar que a Academia (englobando as instituições públicas e particulares de ensino superior) se portou como Pilatos, desde as primeiras manobras golpistas, em junho de 2013. Instituições públicas de ensino superior, fortalecidas e ampliadas durante os governos dos Presidentes Lula e Dilma, assistiram de camarote aos golpe, ao desmonte e ao entreguismo, sendo que muitos professores e estudantes – dessa classe média imbecil, vira-lata e escravocrata – apoiaram o moralismo canalha e os preconceitos e ódio de classe contra o PT, os petistas e principalmente contra os dois Ex-Presidentes da República. Se o mundo acadêmico tivesse cumprido papel que dele esperávamos, o golpe, o desmonte e o entreguismo teriam bem mais dificuldade em se impor.

    1. verdade, é isso mesmo
      eles odeiam universidades e tudo que possa ser bom para o povo

    2. Você está sendo injusto com a comunidade universitária. Dizer que apoiaram o golpe de 2016 é um absurdo.

  6. Fica muito mais fácil formar hordas bolsonazis sem educação. É um dos poucos caso onde a educação atrapalha.

  7. INTERESSANTE… BOSOSSÁURIOS CONSEGUIRAM, GASTANDO UMA MERRECA DO ERÁRIO, POR UMA MERRECA ARREGIMENTAR UM MILHÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS CONCURSADOS CONTRA ELES PRÓPRIOS!
    CURIOSO, É QUE ISSO VAI SE ESPRAIAR COMO FOGO DE MORRO ACIMA E ÁGUA DE MORRO ABAIXO!
    BYE, BYE, BOSÓS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *