Não está passando. Pandemia está piorando

Ao contrário do discurso oficial, que justifica o relaxamento das medidas restritivas à circulação de pessoas com o argumento de que que está havendo uma estabilização do avanço da epidemia do Covid-19, o que está havendo do Brasil, sob a indiferença geral, é uma explosão apavorante do número e pessoas infectadas pela doença.

O número (relativamente) baixo de casos divulgados ontem (22.765) , por problemas no sistema de registro do Ministério da Saúde foi corrigido hoje com o registro de nada menos de 54.771 novos infectados.

Na média, portanto, 38.768 novos casos diários, disparado um recorde desde o início da pandemia e uma quantidade suficiente para nos levar a dobrar o atual um milhão de casos em menos de um mês.

Isso sem considerar que, ao expandir-se a pandemia, haja uma progressão geométrica e não aritmética no número de casos. Porque, nos últimos trinta dias, o que aconteceu foi quase quadruplicarem os casos. de 271 mil para 1,03 milhão.

Considere, agora, que estamos apenas no início dos efeitos da “flexibilização” do isolamento “meia-boca” adotado nas principais cidades brasileiras, o que está para acontecer só não será uma tragédia lancinante porque a morte foi banalizada e a dor deixada ao sofrimento das famílias.

Parece que não há importância alguma que morram mais de 1.200 brasileiros e brasileiras a cada dia.

Estamos na “normalidade”, tanto que houve ontem o importantíssimo Flamengo e Bangu no Maracanã, um marco na festa dos estúpidos negacionistas da pandemia que estão no comando deste país.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

22 respostas

        1. Pode ser apenas coincidência… mas desde que houve aquela tentativa de mudança na divulgação dos números óbitos confirmados nas ultimas 24 horas e o criminoso desaparecimento de dados no site do Ministério da Saúde… estranhamente ocorreu uma estabilização no numero de óbitos diários.
          Bolsonaro determina que Ministério só divulgue até mil mortes diárias por covid-19
          https://www.cartacapital.com.br/politica/bolsonaro-determina-que-ministerio-so-divulgue-ate-mil-mortes-diarias-por-covid-19/
          https://ourworldindata.org/coronavirus-data-explorer?zoomToSelection=true&deathsMetric=true&dailyFreq=true&aligned=true&perCapita=true&smoothing=7&country=BRA~USA
          https://uploads.disquscdn.com/images/afbd324f940852d57f7ae1e779f38cf8d2de91d5eb2d9cf11193ea6340500e07.png

  1. Como já foi dito que seriam divulgados só casos confirmados de mortes por COVID-19, parece que o limite de testes é entre 1200 e 1400. Assim sendo, vão achatar a curva de mortes por COVID-19 por “gargalo” de respostas dos testes. QUE HORROR.

    1. Também acho. Só que você tá olhando só as mortes. O gargalo dos testes deve ser perto de 40 ou 50 mil.

  2. Hoje batemos o recorde mundial de casos registrados num único dia, superamos em 16 mil casos a marca anterior atingida pelo EUA, foram mais de 55 mil novos casos aqui no Brasil até esta hora; foi quase tanto o que a Suécia registrou até hoje em meses de pandemia, mais do que já se verificou no Egito, no Equador, na Holanda, na Indonésia… O Brasil teve hoje mais de 30% dos casos registrados no mundo; de cada quatro óbitos verificados, praticamente um foi brasileiro.
    Mesmo que se faça a correção pela média dos dois últimos dias, esses casos são aproximadamente iguais ao que a Argentina registrou em três meses.

  3. Eu deveria ter proposto apostar. Em 05 de Junho, escrevi no comentário do post aonde o Sr. Brito escreveu que, em 15 dias, atingiríamos um milhão de casos, que na velocidade em que estávamos talvez nem precisássemos de tanto tempo. Hoje, 14 dias depois, voilà! Mas, obviamente, não me regozijo com isto, pois apenas mostra que no Brasil de hoje, apostar no descalabro é pule de dez. Juro que preferia estar errado, mas não se trata de vidência, pois não sou nem deputado federal para possuir tal dom; é a simples visão do que estamos enfrentando nas UTIs, que está mesmo piorando e vai piorar muito, pois estamos assistindo agora as infecções oriundas de um período onde o índice de isolamento social era bem melhor do que vemos hoje, daí que a estimativa para daqui a 12-15 dias, após este festival de cretinices para jogar pessoas nas ruas, é de uma tragédia. Malgrado o desejo de alguns, que preferem negar a realidade, não sei se por proveito próprio, desinformação ou como forma de sublimar seus medos. Mas, infelizmente, a realidade é o que é, independe de nossos desejos. Sinceramente, explosão pode vir a ser eufemismo.
    Até porque, ao invés de darmos nomes aos bois responsáveis pela imposição do retorno às ruas da maioria que lá está — o poder econômico e os senhores mercantes cujo risco de falência parece ser mais importante que vidas humanas — continuamos a comentar sobre a insensatez das pessoas e dos dirigentes, a discutir política como se os politicos que quisessem realmente pudessem se impor diante do devastador poderio da deusa pecúnia. Pouco vejo ser dito, nos grandes veículos de comunicação, a respeito da ausência criminosa de amparo social para propiciar o isolamento social aos que desejam e precisam fazê-lo. Enquanto isto não for alvo de uma maciça campanha de denúncia, tanto faz xingar A, B ou C. Será uivar para a lua. E veremos pilhas de caixões até dispomos de uma vacina, o que deverá demorar pelo menos mais seis meses. Mas, dentro deles, não estará nenhum dos que importam, não é? Porque estes se isolam, enquanto mandam seus desavisados ou desesperados funcionários ocuparem transportes públicos e ruas…

  4. Explosão apavorante ? Eu que tanto admiro o Tijolaço, no que diz respeito à pandemia divirjo visceralmente porque acho que previsões “apavorantes” só servem para levar pânico e pessimismo, pois não mudam nada. A verdade é que cada vez mais vejo pessoas decididas a voltar às atividades pela simples impossibilidade de continuar a vida em casa, sem trabalhar, sem ganhar. A ONU já está prevendo que a grande tragédia pode ser a fome na Al. É fato que o Brasil fez quase TUDO errado até agora, por isto está e vai continuar pagando um preço alto pela insanidade, insensatez, incompetência dos governantes. Um novo isolamento, um lockdown, só vai ocorrer se o número de mortos aumentar muito, a ponto de abalar esse governo de bandidos. Mas como ninguém torce para que isso aconteça, acho mais sadio nutrir esperanças de que as coisas melhorem.

    1. 1,2 trilhão para os bancos… Equivale a $600 para cada brasileiro (todos, não alguns) por 10 meses.

  5. Estão morrendo os pobres agora… os governadores estão pouco se lixando! O Dória só quis fazer o isolamento no começo porque achou que ia ganhar politicamente indo contra o Bozo e a “favor da ciência” só que ele deve ter esquecido que quase perdeu pro Marcio França e ganhou apenas porque apelou pro “BolsoDoria”, ou seja, ganhou com os eleitores do Bozo. Agora que ele percebeu a merda eleitoral que se meteu e vendo que é mais fácil sair o impeachment dele do que do Bozo, ele recuou e liberou o comércio assassino. Por essas e outras que nem vai dar pra comemorar a queda do Bozo porque vem coisa pior aí.

  6. Eis o que diz o governador do DF sobre a volta à “normalidade” em Brasília: De acordo com o chefe do Buriti, a cidade vai voltando à normalidade. “E ela vai voltar à normalidade em um tempo muito mais rápido do que se imaginava lá no início da pandemia”, assegurou o governador.

  7. Seu Rodrigo Maia, que se mantem inerte com os pedidos de impeachment, cuidado para não ficar com as mãos sujas de sangue.

  8. Os jogadores não correm riscos!!!!

    Quem corre risco é o povo, que acreditando estar tudo voltando ao normal, a pandemia acabou!!!

    Quem corre risco é o pobre que se vê obrigado a trabalhar em atividade não essencial, usando transporte público lotado!!!

    O Brasil não merece a elite e os políticos do Brazil zil zil!!!

  9. Li num comentário do Facebook:
    “A gente não precisa se preocupar com uma segunda onda, se não sairmos nunca da primeira. #Stonks”.

  10. Brasil, 20 de Junho de 2020

    Concidadãos,

    Quando estamos já com 1,0 MILHÃO de infectados e quase 50 MIL mortes pela Covid-19 (TODOS subnotificados !), obtidos em pouco mais de 100 dias, não podemos continuar a assistir impassíveis ao desfile de horror infindável, pela ação ou omissão criminosa de nossos governantes.

    TODOS, sem exceção: Presidente, Governadores, Ministros, Militares, Religiosos (ou que dizem cristãos) e todos os membros dos poderes Executivos, Legislativo e Judiciário, vocês SÃO ASSASSINOS !!!

    Deus acima de tudo, como foi definido como lema desta “administração”, nos dá autoridade pela Sua Palavra a declará-los CULPADOS, pela morte da esmagadora maioria das pessoas afetadas por esta terrível pandemia.

    NÃO MATARÁS como quinto mandamento (Deuteronômio 5.17 e Mateus 5.21), expressa claramente bem a lei do Senhor. É um mandamento direto: Tudo aquilo que por ações ou omissões levar a MORTE de um SER HUMANO semelhante é considerado passível de JUÍZO, como afirmado por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO !

    Martinho Lutero em seu Catecismo Maior, define com propriedade a abrangência:
    “…, transgride este mandamento não só quem pratica o mal, mas também quem pode fazer o bem ao próximo – antecipando-se, impedindo, protegendo e intervindo para que não sofra dano físico – e deixa de fazê-lo. Quando você manda embora uma pessoa que não tem o que vestir, quando poderia vesti-la, você a deixou passar frio. Se você vê alguém passar fome e não o alimenta, você o deixa morrer de fome. Se você vê uma pessoa condenada à morte ou em dificuldade semelhante e você não abrir a boca, quando conhece meios e formas para intervir, você a matou. E não adianta alegar que você não teve como ajudar, nem recurso nem meio disponível, porque você a privou do amor e do benefício pelo qual ela teria continuado a viver.
    Por isso também é cabível que Deus chame de assassinos todos aqueles que não ajudam na necessidade e no risco para a saúde e a vida. Ele proferirá uma sentença terrível sobre tais pessoas no dia do juízo final,…”(1)

    Que dizer então de autoridades e pessoas, que negam a importância da calamidade promovendo desrespeito as medidas de contenção, promovendo passeatas e aglomerações, procrastinando ou negando o auxílio emergencial aprovado para as pessoas em condições vulneráveis ?
    Que dizer então dos funcionários e subalternos civis e militares, que covarde e sorrateiramente falseiam a verdade e escamoteiam números para continuarem a usufruir de seus postos e estipêndios ?
    Que dizer dos responsáveis pelas esferas legais, jurídica e policiais, que com sua omissão, inação e desídia, negam ou procrastinam as medidas de combate ao descalabro criminoso das ditas “autoridades” ?
    Que dizer dos que defendem a abertura e funcionamento de todas as atividades da economia, para saciar aos ávidos discípulos de MAMOM ?
    Que dizer dos que defendem e perpetram a agressão aos médicos e enfermeiros, a invasão de hospitais sob pretexto desses interesses escusos ?
    Que dizer dos que se dizem religiosos e cristãos e que apoiam tudo isso e aos interesses políticos e financeiros que estão por trás destas ações. Que fazem “orações” e proselitismo diante de seus seguidores, em troca de migalhas e vantagens para manter também eles seus “empreendimentos” ? VENDILHÕES !!!

    A PALAVRA DE DEUS, do mesmo Deus invocado no lema deste governo, que comanda este país, e ao qual todos deveriam servir condena: ASSASSINOS !!!

    Carlos Guilherme Pfau Lenz
    RG 372.039 SSP/SC

    (1) Lutero, Martim, Catecismo Maior, tradução de Walter O. Schlupp, Editoras Sinodal e Concórdia, 2016, pag.55

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *