Não se faz ‘lockdown’ com rodízio de veículos

Os bloqueios de tráfego e os rodízios de veículos, segundo suas placas, não são a resposta necessária para o chamado lockdown, o trancamento da circulação de pessoas nos grandes centros assolados pela pandemia do novo coronavírus.

O potencial de contaminação representado por um aumento de 15% no movimento do transporte coletivo – ônibus, metrô e trens – é muito maior do que o dos automóveis – em geral, com uma única pessoa – circulando.

A questão central é a cessação das atividades que levam as pessoas à rua.

Mas isso é o contrário do que fazem: travam o trânsito e liberam as atividades que levam as pessoas a circular.

Jair Bolsonaro assinou hoje decreto fixando que salões de cabeleireiros são “atividade essencial”, com seu óbvio ambiente contaminante.

Será que a economia brasileira depende de escovas progressivas, reflexos, luzes e tinturas?

Ah, sim, academias também são: salvaremos com supinos, puxando ferro ou fazendo modelagem de glúteos.

A gente vai tocando as coisas assim, fingindo que toma providências, enquanto os mortos se acumulam.

É incrível o cinismo nacional.

Parece não haver mais vida inteligente no Brasil.

Só há “lockdown” quando se interrompe a atividade econômica. o resto é fantasia.

O prejuízo que isso trouxer pode ser revertido com auxílio e assistência aos mais pobres, mas as mortes que a falta destas ações nos trouxerem jamais se recuperarão.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

    1. Pior que nem isso. Mortos, os cabelereiros e puxadores de ferros não irão ao shopping nem poderão pagar impostos. Economia é zero também.

  1. A vida inteligente que há no Brasil está acuada, escondida, retraída, deprimida, esgotada, horrorizada e pronta a abandonar o país. Eu estou pensando em me mudar para qualquer vizinho sulamericano pra respirar um ambiente menos tóxico do que o da monumental burrice nacional. De novela em novela, de ditadura em ditadura, de um general de pijama a outro, demos nisso: um país de imbecis irrecuperáveis.

    1. Tá um horror. Observando todo o lobby da morte, se tem a noção do poder destruidor do capital. O lucro a qualquer custo é uma selvageria que não serve mais ao planeta por ser completamente ameaçador à sobrevivência de todos. O Mercado tornou-se um elemento destruidor e aniquilador da sustentação necessária à continuidade dos ciclos vitais de todas as espécies.

    2. Tá um horror. Observando todo o lobby da morte, se tem a noção do poder destruidor do capital. O lucro a qualquer custo é uma selvageria que não serve mais ao planeta por ser completamente ameaçador à sobrevivência de todos. O Mercado tornou-se um elemento destruidor e aniquilador da sustentação necessária à continuidade dos ciclos vitais de todas as espécies.

    3. Quem disse que os imbecis são irrecuperáveis? Mesmo com pandemia à parte, por toda parte está muito ruim, mas o Brasil é muito grande. Se alguém quiser atravessar tranquilo pelos acontecidos que procure se esconder na Serra da Mantiqueira, que lá tudo isso vai passar sem que ninguém do lugar sequer desconfie de tudo o que aconteceu. E ninguém vai ter o direito de chamar aquela gente de imbecis irrecuperáveis. Por outro lado, se alguém quiser conselhos sobre o mundo e a vida, que procure um vaqueiro do Grande Sertão do norte de Minas. Guimarães Rosa afirma que qualquer um deles que tenha mais de setenta anos está apto a aconselhar sobre qualquer problema dessa e da outra vida.

  2. Florianópolis a quase 60 dias sem transporte coletivo. O transporte coletivo é um dos locais com a maior probabilidade de contaminação. Não sei como as pessoas estão fazendo para ir trabalhar nas atividades que foram liberadas.

  3. E se a procura for ínfima, continuarão abertos? Já está provado que a contaminação acontece qdo não se respeita o confinamento. Abrir um comércio que ninguém procura, uma academia, um bar, salão de beleza…A escolha é vida ou morte. Deixei de brigar sobre sair ou não. Apenas digo ” Quer morrer? Saia, pois buracos há, é só cavar.,” e complemento “o atual desgoverno quer sua morte para ganhar dinheiro. Será o culpado pois defende os ricos e não os trabalhadores como eu e vc”

  4. Tem mais uma atividade essencial que precisa ser urgentemente liberada: as viagens à Disney.
    Mas isso aí só quando o Trump mandar, tá oquei?

  5. São Paulo deveria estar com todos os carros recolhidos, e só circulando aqueles que estivessem dentro de uma lista de serviços essenciais e mobilização estritamente necessária, como levar gente doente ao hospital e coisas semelhantes. Levar gente ao hospital com carro emprestado do vizinho que está de bem com o rodízio, mas que pode ter também coronavirus, é patético. Como é patética também a ignorância de certos governantes.

  6. pelo menos nas grandes cidades multiplicam-se os serviços de cabeleireiros e manicures em domicílios. Com os devidos cuidados, essa prestação de serviços provou que é viável, segura e sustentável. Abrir salões e academias não faz sentido, é falta de massa cinzenta para pensar.

    1. O Bozo classificou essas atividades como esse essenciais para fazer de conta que está fazendo alguma coisa além de contaminar multidões, pensar em churrasco e jet ski enquanto as mortes pela Covid-19 se multiplicam, pressionar o STF e encher o saco de todo mundo.
      Ademais, isso ajuda a que se consagre como o único presidente do mundo a rotineiramente sabotar seu próprio Ministério da Saúde!

  7. O dono da smartfit, Edgard CORONA é bolsonarista de carteirinha, daí o motivo pra academias serem considerados serviços essenciais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *