Nova finalista do “Troféu Maria Antonieta” na Folha

A Folha de hoje traz artigo de uma senhora, Solange Srour Chachamovitz, economista chefe da ARX Investimentos, empresa do grupo financeiro BNY Mellon, que vai disputar o “Troféu Maria Antonieta e seus Brioches “com a frase do ministro Paulo Guedes dizendo que “rico poupa, mas pobre não sabe poupar”.

Dona Solange combate a ideia de a vinculação dos gastos sociais aos reajustes do salário mínimo com um argumento que ela não ousaria repetir na saída dos peões de uma obra de construção civil: “Quem ganha salário mínimo hoje no país não é pobre. Essa é a realidade, infelizmente.”

Quem ganha R$ 998 por mês para viver e sustentar os filhos, o que é, Dona Solange?

E a senhora, que ganha isso, o dobro ou o triplo por dia, o que é?

A D. Solange diz que ” o sistema político não aceita que benefícios sociais sejam corrigidos apenas pela inflação” porque lhe “falta conhecimento da distribuição de renda do Brasil”.

Então vamos conhecer a distribuição de renda no Brasil, minha senhora, com os números da Pnad do IBGE, fresquinhos:

A metade mais pobre da população, quase 104 milhões de brasileiros, vivia com apenas R$ 413 mensais, considerando todas as fontes de renda.

Isto, Dona Solange, não é nem pobreza, é miséria e é o que uma família de trabalhador de salário mínimo, com filhos, tem para viver por 30 dias: a conta per capita do restaurante de uma roda de “gestores de investimentos”, mas que algum deles, generoso, pega rapidamente e diz: “essa é minha”.A esclarecida articulista,, porém, que desenvolvimento urgente. Por quê?

“Os acontecimentos recentes aumentam a urgência do crescimento. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva saiu da prisão atacando fortemente o modelo econômico liberal, no momento em que este começa a mostrar que pode dar certo. Bolsonaro, que até agora nadava de braçada sem oposição organizada (em contraponto à sua falta de habilidade política), poderá enfrentar um ambiente mais hostil.”

Dona Solange, o “modelo liberal começa a dar certo”, como se viu no Chile, só se for como a história do cavalo do inglês, aquela em que, para economizar, o súdito de Sua Majestade deixa de alimentar, para que aprender a viver sem comer. E logo quando estava “quase aprendendo”, morreu.

O crescimento é urgente, sim, mas para as pessoas, porque o Brasil está se enchendo de miseráveis, dormindo pelas calçadas, com uma caixa de papelão por cama. Porque metade das crianças brasileiras – é o Fantástico, não é a esquerda quem diz – tem seus direitos elementares violados, em alimentação, saúde, educação, saneamento…

O que faz mal ao Brasil, Dona Solange, não é um micro-reajuste nos benefícios sociais além da inflação. É o lucro gigantesco de bancos e financeiras, um dos quais a senhora serve, e que ganha em um segundo o que esta pobre gente – sim, pobre, pobre mas tão humana quanto a senhora – não ganha em toda a vida.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

29 respostas

  1. E se os peões de obra lhe dessem uma boa surra com corrente de bicicleta, minhas simpatias não estariam com essa vagabunda.

    1. Eles estão, consciente ou inconscientemente, aumentando a pressão ao extremo. Talvez demore, mas vai estourar e nesse dia, “o dia em que o morro descer e não for carnaval” eles poderão desejar que fosse apenas uma surra com corrente de bicicleta.

    2. Tudo bem, Talleyrand, mas por que esta sua ferocidade reativa manifesta-se justamente contra “essa vagabunda”? Não lembro de ter lido nada semelhante referente aos “vagabundos” que a precederam…

  2. Muito venal esta dona Solange. Ela deveria fazer uma terapia de choque, ou seja, viver com $ 450,00 por mês para deixar de ser hipócrita, mentirosa, indecente.

  3. a pocos dias escrevi aqui mesmo nesse espaço sobre os meninos e meninas da Faria Lima, seus chefes e patrões, e mais sobre seu pensamento hermeticamente fechado a qualquer tipo de prudência ou dúvida. Fanatismo, mistificação, picaretagem, ignorância, tudo batido em generosas proporções. Sempre me preocupei mais com a força tarefa do Mercado, que a dos meninos e mínimas das araucárias e mesmo até que a dos milicianos e milicianos de Rio das Pedras.

    1. Lembro do comentário seu sobre os operadores do “Mercado”, que você citou. Foi uma análise boa, você expôs a esqualidez intelectual deles, gente que, como você reiterou agora, só tem certezas, dogmas e é incapaz de análise, de buscar iformação. Eles sabem tudi. Como o Guedes Causa espanto a superficialidade, a incapacidade crítica e a desinformação dessas pessoas. Não sabem nem se interessam em saber de geopolítica do império, economia (apesar de tantos dentre eles ostentarem diplomas de economia), história, sociologia (que desqualificam como desligada do “Mercado”). Em um nível mais básico, nada entendem (e não querem aprender, por considerarem inútil) de lógica, e demonstram incapacidade de reflexão e de análise. Como você apontou.

  4. Rico é especialista em jogar a própria culpa nas costas do pobre. Consumo caiu? Culpa do pobre que economiza demais. Pobreza aumenta? Culpa do pobre que não sabe economizar. Governo gastando muito? Culpa dos pobres que ficam vivendo às custas do governo. Empresas falindo? Culpa do trabalhador pobre que era um gasto muito grande pro dono.

  5. Gente como essa cafajeste precisa DE VERDADE, não de forma metafórica, de guilhotina; essa é a realidade.

  6. Enquanto isso Bolsonaro tenta dar seu AI5: o novo projeto de garantia da lei e da ordem. O presidente, ao seu bel prazer, pode mandar as forças armadas matar quem ele quiser, quando ele quiser, pelo motivo que ele quiser, e ninguém será responsabilizado! tudo em nome da lei e da ordem. Ou seja, os deputados não aprovaram uma lei de bolsonaro? manda o exército ir lá e “garantir a lei e a ordem” a base da bala! O STF deferiu decisão contra o governo? manda os militares irem lá garantir a “lei e a ordem”. Estudantes fazem passeata? Manda garantir lei e ordem a base de tiro! trabalhadores nas ruas? soltem os tanques… Está MAIS do que na hora da oposição acordar…

  7. Quando falo que a burrice é infinita tem gente que ainda duvida.
    O Brasil está perdido. A estupidez tomou conta da mídia.
    Mas pode ser safadeza. Esta senhora não deve acreditar no que escreveu mas alguém pagou para ela escrever.

  8. Que esse pessoal é hipócrita e cinico, já sabia….agora o deboche é tão escancarado que acredito estarem abusando da sorte…..

  9. Essa é a “realidade” que a elite brasileira enxerga,mas,por qué havería de ser diferente? por humanismo? decência? honestidade?
    Palavras vazías de qualquer significado para quem gasta 3,4 salários mínimos numa peça de roupa.E eles estão certos.
    “Por qué deveríamos nos preocupar com o infeliz que ganha uma miséria para sobreviver,se quando precisamos que ele nos dê seu apoio ,ELE NOS APOIA !”
    É óbvio que a culpa não é deles,a culpa está com a maioría ,os deste lado.Chega de nos compadecer do imbecil que ainda que sua vida seja uma desgraça por causa deles,na hora do vamos ver,viram “CLASSE MÉDIA”,ou então teremos que criar mecanismos que impeçam que esses individuos se suicidem.
    Não tenho pena,se vc não consegue entender a lógica mais primária ,então vc não pode votar,porque com certeza vc fará merda.
    E se ainda assim ,prevalecer a idéia dos “coitadinhos” ,”ignorantes” quero é que se fodam,porque a vida deste país está uma merda por causa dos ignorantes que continúam a escolher o que os sodomizam.

    1. Bravo, Label. É isso mesmo. Nutro o mesmo sentimento de revolta principalmente porque esses “pobres de direita”, como dizia Nelson Rodrigues, são em grandes hordas, evangélicos, se dizem cristãos sem ter a menor noção do que significa isto e seguem cegamente às ordens dessa pilantragem institucionalizada que são os milionários pastores evangélicos.

  10. O que os moradores do pináculo da pirâmide esquecem é a história. Não adiante repressão, tortura. Um dia, a panela de pressão sem válvula explode. Aí as Marias Antonietas serão cobradas por sua própria inconseqüência, seu egocentrismo, sua indignidade secular. Haja brioches!

  11. Será que, a exemplo da Miriam Leitão essa senhora teve seu amansamento nos porões da ditadura para, hoje, defender o fascismo. Pergunto porque, no Brasil, isso parece ser sintomático.

    1. Rapaz, isso está parecendo A Síndrome de Estocolmo. Quanto mais são degradados, mais se apaixonam por esse sistema falido que só traz miséria para o mundo e enriquece uma minoria.

  12. Ao ler o texto, me lembrei da frase popular “quanto mais rezo, mais assombração aparece”. Não bastassem os “comentaristas” e “especialistas” da Rede Esgoto de Televisão e sua visão única de política e economia, surge agora esta criatura disforme e vazia espargindo estupidez e desconhecimento. E o pior de tudo: há quem dê palanque (a Folha) para este show de idiotices.

  13. Impressiona como a elite brasileira não conhece ou finge não conhecer a pobreza brasileira, Dona solange deveria morar alguns meses em algum canto distante de Japeri, por exemplo, para experimentar o quê significa ser pobre neste país aviltado pelo Bolsonarismo, do qual ela é uma das vozes mais extremadas e ordinárias, abençoada dentro de uma sala climatizada, maior que milhares de barracos da periferia, a cagar regras sobre os mais destituídos da nação. Deve ser uma senhora podre, de alma sebosa, pobre de espírito,mesmo dentro de vestidos de boutiques da alta burguesia. O Brasil está mesmo fodido com essa gente.

  14. A vaga… digo, a tal Solange, apenas exteriorizou o que a elite brasileira entende por pobreza ou miséria. Ou seja: NADA. Gente, esse tipo de pessoa só olha para o próprio umbigo. São egoístas ao extremo (aliás, falar que a direita é egoísta é pleonasmo). Essa “gente de bem” jamais olhará para os mais necessitados, pois vivem numa redoma onde tudo se limita ao dinheiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.