O bolsonarismo levaria o terror além das redes

Imagine o generoso leitor e a otimista leitora que Jair Bolsonaro, eleito, vá respeitar as leis e os direitos do indivíduo e da sociedade.

Mantenha este senso crédulo e responda a si mesmo algumas perguntas.

As turmas de “bombados”, que já fazem sem poder, vão conter seu ímpeto de humilhar e até agredir quem eles acham “nocivos” socialmente? Ou seja, “esquerdopatas”, “viadinhos”, “sapatas”, “favelados”  e “crioulos”, termos que eles criaram ou fizeram decair de gíria para a ofensa?

Os policiais, para quem se proclama a liberdade de matar sem sequer serem processados por isso – a tal “excludente de ilicitude” – vão desperdiçar a chance de mais  poder sobre a vida ou a morte de quem quiserem?

As milícias paramilitares, que já atuam em diversos locais do país, idem?

Os milhares de armas que seriam compradas – e o capitão sinalizou que até pistolas e fuzis serão liberadas – vão ficar silenciosas ou só irão disparar em casos de grave ameaça à vida?

Você, que já evita hoje qualquer discussão por receio de que a outra pessoa seja violenta ou tenha uma arma, como se sentirá quando elas forem multiplicadas? Ou, por ter uma consigo, vai reagir quando um quarteto de assaltantes vier te roubar, de armas na mão?

Nada disso é sequer improvável, com a sinalização política de um presidente que se elege com os verbos “castrar”, “atirar”, “torturar” e “matar”.

Ele, em parte, talvez seja contido pela falta de apoio parlamentar ou pela legislação, ou pelo Judiciário, embora a tendência seja a de que, amenizando as palavras, seus absurdos, especialmente os de venda de patrimônio público e de retirada de direitos sociais sejam acolhidos.

Mas não haverá ninguém que possa recolher a matilha que se soltará com o “agora pode” espalhado por uma vitória sua, o que ainda é apenas remoto.

Indague isso das pessoas que acham que Bolsonaro é uma inofensiva “limpeza na política”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

32 respostas

  1. O candidato é só um testa de ferro. Ele não tem liderança sobre o grupo que compõe sua candidatura. Ele não terá comando sobre os pitbulls comuns e nem sobre o próprio governo. Capitão não manda em general, analfabeto em economia não manda em ministro da área economica. As ideias do homem são as mesmas de milhões de pessoas que repetem o que a mídia diz. Nunca foi líder de nada no congresso e nem fora dele. Sua eleição representaria o maior desastre, talvez até maior do que o desastre causado pelo “movimento” de 64. Os seguidores e os membros do governo fariam o que bem entendessem e se ele der palpite contrário, será ignorado. Ou deposto.

      1. O Brasil do golpismo para cá mergulhou a classe média na estupidez completa. Apenas um livro que narra fatos de 64 para que nunca mais aconteça!!

  2. Os bombadinhos vão se autodestruir, como os pitboys nas boates do Rio em fins dos anos 1990. Se ouvir estampido, jogue-se no chão.

    Ironias à parte, a intervenção militar no Rio não reduziu o número de assaltos a pedestres. Em muitos lugares, até aumentou. Isso é um “avant première” sobre as expectativas desmedidas dos trouxas que acreditam em super heróis e que vão se frustar rapidamente. Boçal nato vai derreter igual a um picolé numa ventania de verão.

    1. Um governo Bolsonaro seria a continuidade do governo Temer. Será que a população carioca está satisfeita com a intervenção militar “tiro, porrada e bomba”? Os militares também estão satisfeitos com esse papel desempenhado no Rio e topam continuar assim?

      1. Essas pessoas estão sempre à busca de uma terra prometida, do novo, “um maluco” que irá botar ordem contra tudo isso que está aí – sem nunca se perguntarem da viabilidade disso.

        Analfabetismo político puro.

  3. Agora há pouco eu ouvi um cara falando que vai começar a treinar o alvo pelos noiados. Receio que não seja o caso do Nazi ganhar ou perder que vai segurar esses lunaticos. As bestas já foram atiçadas. Tomara que eu esteja errado.

  4. O mptucano reitera a condenação do Lula nas véspera da eleição. Alguma novidade? Nenhuma !

  5. Temos que vencer o fascismo e salvar esse país que já está sofrido demais. A ultima coisa que o país precisa é de um fascista no poder. Essa luta extrapola a questão eleitoral. Apoio qualquer arma ética que for usada contra o capitão. Ele pensa que já ganhou mais não é bem assim não.

  6. Caso o Elenão vença as eleições, em menos de um ano ele cai. Mas não por um impixi, por meio de alguma ação na justiça eleitoral, ele e o vice. E convocarão eleições indiretas, embora não seja o que está na constituição. Eleito será algum cacique o PSDbosta ou MDBeis mentais. E terão a ousadia de conseguir fazer o que o Temeroso não conseguir levar a cabo. Depois disso, Elenão e sua trupe de palhaços Pittboys metidos a parrudos, serão pisoteados e jogados no esgoto da história, de onde não deveriam ter saído. Aguardem e verão.

    1. Entendi o que quis dizer Cristian…. mas prefiro não aguardar para ver… vamos a luta a vitória é nossa!

  7. Até hoje ele nem explicou como vai liberar todo esse acesso a armas que ele quer. Afinal, a arma mais barata que você pode achar por aí custa uns 3000 reais, menos munição. Os fabricantes de armas é que não vão diminuir os preços só porque “liberou geral”. O caos que ele irá trazer é do despreparo, que irá “terceirizar” suas responsabilidades para gente que sabe ser eficiente em demolir o estado.

  8. Dois mais dois não são 5. Primeiro, Elenão diz que tinha um apartamento funcional para comer gente (não especificou o gênero). Depois, a ex esposa diz que teria notícias picantes do Elenão. Só pode ser uma coisa: Elenão é bi.

  9. Eu juro que é mais forte do que eu: quando o Elenão fala “meus apoiadores”, eu só consigo imaginar um monte de caras parrudos, sem camisa e suados, enquanto o Elenão no centro faz a coreografia de “In the Navy” do Village People. Me desculpem.

  10. O que temos que fazer e entupir as redes de vídeos ridicularizando o Elenão. Pegar um clipe do Village People e colocar a cara dele, colocar a fuça do desgraçado em um vídeo pornô gay, essas coisas. Não me falem em ética nessa hora. Tem que jogar no tabuleiro onde as peças estão postas. O que está em jogo é a democracia.

  11. ” Ele, em parte, talvez seja contido pela falta de apoio parlamentar ou pela legislação, ou pelo Judiciário…”: Não me iludo o fechamento do Congresso é a pauta principal do plano de poder. Triste fim do Brasil com uma(toc,toc,toc) vitória do político que diz não ser político, quando se tem 27 anos de mandato e pensa ser ex-capitão quando ficou só 17 anos na ativa. Se não fosse pela ditadura não passaria de um soldadinho raso.

  12. Usando um português bem popular:
    O pobre ou classe média, que votar no Anticristo e AntiBrasil Bostonaro, estará literalmente FODIDO se ele ganhar, e seus filhos e netos viverão num país estéril,violento e sombrio,sem a menor chance de emprego e sobrevivência, por muitas e muitas décadas, pois a infraestrutura da Nação será esfarelada e solta ao vento.

  13. O FASCISTA NÃO VAI AO DEBATE DA GLOBO, MAS GRAVOU UMA ENTREVISTA PARA IR AO AR NA RECORD DO “ÍNCLITO” BISPO MACEDO, COM GRAVES ACUSAÇÕES CONTRA O HADDAD. DEEM UMA CHECADA NO BLOG DO ROVAI. SERÁ UM SINAL DE QUE ELE, O COISO, ESTÁ CAPTANDO ALGUM CRESCIMENTO DO HADDAD? É ESPERAR PARA VER. SINCERAMENTE, ACHO QUE ESTAMOS ENROLADOS…

  14. Essa classe média racista que aspira viver isolada dos pobres vai sofrer tanto quando na aposentadoria não tiver dinheiro pra pagar o condomínio e for expulsa pelos jovens vizinhos e perder a casa ou apartamento para pagar a dívida.

  15. Ele resolve todos problemas dos jovens na porrada dando “coro”. Se alguém surrar o filho de 11 anos por ser afeminaddo o vizinho denúncia pro Conselho tutelar. Aguenta essa no traseiro bolsonaro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.