O cérebro tarado de Jair Bolsonaro

Confesso que me sinto tentado a ouvir um psicólogo – ou mesmo um psiquiatra – para entender a estranha dinâmica daquilo que ocupa a caixa craniana do sr. Jair Bolsonaro.

Francamente, nem em Freud descobre-se tamanha obsessão por sexualizar as relações humanas que a política expressa.

Dos “namoros” e “noivados” em que se declarou com Rodrigo Maia, Dias Toffoli e outras autoridades da República até a grosseiríssima “brincadeira” de perguntar a Sergio Moro se faria um “troca-troca” com Ricardo Salles, o infeliz do meio ambiente, tudo é sexo no universo bolsonariano.

O do “comer gente”, como ele próprio declarou sobre o apartamento funcional, quando deputado.

Agora, diante dos áudios de ex-amigo Fabrício Queiroz, com décadas de intimidade, ao ponto de fazer empréstimos de R$ 40 mil e de aceitar cheques na conta de sua mulher, diz que “não é casado” com ele.

E fala que afastou-se dele para não ser acusado de “obstrução” à Justiça.

Francamente, alguém pode acreditar que, quase 11 meses depois do escândalo das “rachadinhas” protagonizado por Queiroz não tenha havido sequer um depoimento presencial do ex-PM sem que cordéis tenham sido puxados para isso?

Pela disposição de combate que Fabrício Queiroz demonstra nos áudios, é de se supor que seu estado de saúde não seja obstáculo a isso.

Mas a súbita lembrança do presidente do STF , depois de anos de abuso, de que sigilos bancários não poderiam ser quebrados administrativamente pelo Coaf, essa é.

Como diz o “ex-amigo”, numa das gravações, “o cara lá tá superprotegido”.

Alguém deveria avisar a Bolsonaro que associação para delinquir não envolve sexo, mas dinheiro ou interesses espúrios.

Ninguém quer saber se ele é casado, ex-casado, amasiado ou que o seu “soldado de infantaria”, como chama Queiroz, era seu efebo, como o dos generais gregos.

Quer apenas saber, como diz Joice Hasselmann, o que vocês fizeram nos verões passados. Pode poupar os detalhes mais picantes, senão alguém acaba tuitando.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

22 respostas

  1. E o que dizer,de SEUS CÚMPLICES?Na real,esse verme,foi eleito,por uma maioria de VERMES,que alguns ou muitos,chamam de ELEITORES.O que dizer-se,deles?

  2. Este bravateiro neofascista só pensa em C*, M* e por ai vai…Uma mente danosa com um linguajar de dar inveja aos bêbados de botequim de péssima categoria.

  3. Este bravateiro neofascista só pensa em C*, M* e por ai vai…Uma mente danosa com um linguajar de dar inveja aos bêbados de botequim de péssima categoria.

  4. O que eles não faziam nas pescarias ” sem peixe “?., mas o verdadeiro tesão é por dinheiro .

  5. Quando a gente pensa em comentar as falas desse verme se sente despreparado, não dá pra descer tão baixo.
    O conteúdo sexual para exacerbar uma virilidade de fachada e esconder as falcatruas da familícia é uma prática que não cola mais nem para seus colegas no partido de laranjas.
    Não é por tática, não é por ato falho, esse sujeitinho é o que sempre foi > um merda.

  6. E o que dizer,de SEUS CÚMPLICES?Na real,esse verme,foi eleito,por uma maioria de VERMES,que alguns ou muitos,chamam de ELEITORES.O que dizer-se,deles?

    1. Que dizer de seus cúmplices, canalhinhas e canalhinhos, e pior ainda, que dizer dos mandantes, o tripé do Golpe: Donos do Dinheiro, Donos dos Meios de Comunicação mais a corte do poder com seus príncipes, cardeais, obispado e baixo clero. Apesar dos diferentes ingredientes, como diria Mino Carta, é tudo a mesma sopa.

  7. Freud e Lacan afirmam que o sujeito histérico tende a sexualizar tudo fora dele. E isso ocorre devido ao fato de que o corpo do histérico é frígido. Agora, se o dito presidente é ou não histérico, isso eu não sei.

  8. O que deveria preocupar esse fascista é que a perspectiva sexual dessa história é a prevista por Queiróz: “Uma P*** do tamanho de um asteroide”.
    Quem sabe Carlucho possa ajudar o Papi a acalmar a dita cuja, (ou “dita dura”)?

  9. Baixarias, grosserias, manifestações explícitas de má educação, ignorância absoluta sobre qualquer área em que um ser humano deva ter ao menos conhecimentos básicos, estupidez total sobre relações internacionais e zero informação sobre economia, meio ambiente, educação, direitos sociais, diversidade, cultura ou mesmo noções mínimas de boa educação com os países vizinhos. Nunca imaginei sentir tamanha vergonha ao ser “representada” por esse troglodita. Não há país civilizado, na história recente da humanidade, que tenha escolhido ser governado por uma besta desse calibre.

  10. Não dentro do “tema” mas dentro do “assunto boçalnaro”, não estranhem se de repente a famigerada globo começar a defender esses escroque. Motivo, ele esta”ameaçando” não renovar a concessão da mesma. Duas merdas-(êpa, isso é contagiante)- que deveriam se explodir.

  11. A obsessão sexual é uma tara da familícia. Está explícita no linguajar do laranja que fala em “pica do tamanho de um cometa”, a que o Reinaldo Azevedo se refere hoje com o neologismo “astrofalo”; literalmente a “pica das galáxias” da gíria da molecada.

    1. Queria falar nada não, mas Azevedo é outro com obsessão sexual, vide as barbaridades que escrevia na veja…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *