O corneteiro de Hamelin

Não é, como na fábula recolhida pelos Irmãos Grimm, e que todos conhecem, um flautista, porque seu toque nada tem de harmônico e melodioso.

Mas, igual, é alguém que conseguiu levar tolos e crianças a segui-lo, na esperança de livrar a Vila de Hamelin dos ratos.

E, agora, não são todos os que percebem, escancara-se o destino: a morte e a desgraça para a pobre e tola cidade.

Já há meses, Jair Bolsonaro só nos arrasta neste caminho.

Malgrado a resistência de boa parte dos quadros do Ministério da Saúde, o próprio ministro está enfiado na fila macabra que acompanha o líder.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, à exceção daquela monstruosidade da qual teve de recuar com o “erro de redação” não foi, passados tantos dias, capaz de oferecer algo seguro e aceitável para pequenas e micro empresas ou aos trabalhadores, que ficarão sem receita, empregos e renda que, fracos antes, morrem agora e morrerão aos montes em abril.

Estamos em guerra e na guerra é que se conhecem os maus militares. Os que não sabem como lutar, não sabem como recuar e tornar fortes a defesa, a logística, otimizando recursos, que dividem a tropa, que desarmonizam comandos, que não hesitam em sacrificar seus comandados com sua cegueira obcecada.

As semelhanças do nosso corneteiro com certo cabo da Baviera param aí, exceto pelas valentias de botequim e pela cegueira histérica que a ambos é comum.

A Folha, hoje, gentilmente, convida-o a “retirar-se” e deixar nas mãos de outra maldita “força-tarefa que reúna as equipes técnicas da Saúde e da área econômica e dialogue com Congresso e governadores”.

É inútil, depois de ser tolo.

Tolo, porque equipes técnicas não têm autoridade e legitimidade política para assumir comando algum, embora sejam indispensáveis.

Inútil, porque o inepto e genocida – com fartos sinais disso que não impediram mídia, capital e militares de pavimentarem seu caminho ao poder – já deixou claro que é um psicopata descontrolado, que segue tocando sua corneta da morte para o que resta de inebriados a segui-lo.

Não é preciso que eles se afastem, apenas.

Tem-se-lhe de tirar a corneta.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

32 respostas

  1. Bolsonaro joga pra plateia. Nunca se deve subestimar. Os governadores e os prefeitos, estão fazendo a parte deles. Obtendo êxito, ele vai dizer que a pandemia não houve no Brasil, sendo que foi a contenção desses executivos, que impediram o avanço do vírus. Aí, dirá que houve aumento do desemprego, por culpa desses governantes irresponsáveis… É o mesmo que ele faz em se tratando de acordos de emendas.

    1. NÃO EXISTE ÊXITO POSSÍVEL CONTRA O CORONA-19…
      DESDE QUE TEMER ASSUMIU, O QUE FIZERAM FOI TRANSFERIR RECURSOS DA SAÚDE PARA OS PARCEIROS TERCEIRIZADOS E DEPENAR A ESTRUTURA DO SUS… 20 MIL AGENTES DE SAÚDE SUMIRAM DESDE ENTÃO, POIS SEUS CONTRATOS NÃO FORAM MAIS RENOVADOS. O “MAIS MÉDICOS” DERAM BAIXA DE 15 MIL ESPECIALISTAS E EPIDEMIOLOGISTAS DO SETOR PRIMÁRIO DE ATENÇÃO À SAÚDE. ENFIM, DESTRUÍRAM O QUE PUDERAM.
      AGORA, MANDETTINHA, COM HÁBEIS PALAVRAS VAI ENROLANDO O POVARÉU, COMO UM DEUS ANTES DA CATÁSTROFE!
      MAS, QUANDO A PESTE CHEGAR, NÃO SOBRARÁ NADA EM PÉ, E O SISTEMA Á VILIPENDIADO VAI IMPLODIR
      NEM SUPRESSÃO NEM MITIGAÇÃO, A DUBIEDADE É A TÔNICA DA ESTRATÉGIA DE ENFRENTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DO MANDETTA! ENQUANTO ISSO, DÊ-LHE DISCURSOS CHEIOS DE VENTO E MUITA POLÍTICA ADOCICADA!
      QUEM SOBREVIVER, VERÁ! INCLUDING ME!
      Cabreira.
      Cirurgião Dentista UFPEL, Especialista em Saúde Coletiva UFSM, Esp. Administração Hospitalar Unicruz,
      Mestre e Doutor em Ciências UFRGS.

  2. a questão é quem vai colocar o guizo no gato ou, no caso, tirar a corneta do aloprado. Com não sei quantos pedidos de afastamento/impedimento/contenção protocolados na CD, Rodrigo Mais diz que não prossegue pq dá azar. Toma um banho de sal grosso, segura um galho de arruda e vai. Então talvez a saída, mais uma vez será um acordo por cima, como sugere Maria Cristina Fernandes: anistia ampla, geral e irrestrita pros pimpolhos e a sujeira pra baixo do tapete. De novo

    1. Sem essa de anistia.

      Chega de premiar criminosos.
      Houve uma ruptura provocada pelos inimigos do país e pelos inimigos do povo.
      Acerto é apenas sobre a forma de acabar com a loucura no comando. O resto não pode ter acerto. Tem que pagar pelos crimes que cometeram.

    2. Discordo dessa anistia. Seria consolidar de vez na cabeça dos brasileiros a maldita lei da vantagem, que leva tantos brasileiros a admirarem canalhas e desprezarem pessoas realmente de bem. De tanto verem esses canalhas triunfarem acabam por acreditar que gente esperta dá chapéu nos outros e que quem não faz isso é porque é burro e/ou otário. Prefiro uma guerra civil.

  3. ….” otimizando recursos, que dividem a tropa . …”
    Otimizando como sempre para os 1 % , os que realmente podem retirar a corneta . E neste 1% esta querendo chegar Rodrigo Maia , ” o botafogo . Imaginem o “caminhão” de dinheiro que lhes estão oferecendo para não dar início o impeachment de Bolsonaro .
    A oposição mais a turma do Maia , se chegaria a 2/3 facilmente .

  4. os médicos conseguiram convencer metade da população a ficar em casa, agora cabe aos veterinários convencer a outra metade.

  5. O primeiro passo pra restabelecer um mínimo de normalidade democrática é acabar com a família Bolsonaro politicamente. Caminhos pra isso não faltam.

  6. Está havendo uma guerra global entre o Dinheiro e a Vida. Nas crises, o capitalismo neoliberal aciona uma hierarquia de privilégios. Primeiro, que se salve a riqueza dos ricos através de resgates. Segundo, que se garanta os direitos das empresas de lucrar com uma catástrofe. Por fim, que se deixe as pessoas morrerem em um ritmo politicamente aceitável.

    Mas a força de uma pandemia gigante traz reflexões recalcadas e até proibidas, e puxa para primeiro plano a questão da morte das pessoas. E as pessoas começam a morrer sob holofotes que não podem ser apagados, e dentro de um ritmo politicamente inaceitável.

    E é assim. Diante da fúria da pandemia, todos os governos do mundo estão optando pela vida e não pelo dinheiro. Quebram sem titubear a norma hierárquica fundada desde o nascimento do capitalismo, e reforçada pelo neoliberalismo.

    Nessa lógica, de guerra entre o Dinheiro e a Vida, é que deve ser entendida a desesperada tentativa de reduzir a importância da pandemia pelo governo Bolsonaro, um defensor radical do dinheiro e não da vida

    1. Em tempo, aqui no Brasil, os mesmos que minimizam dizendo que não há pagamento de juros, mas só rolagem da dívida (quando confrontados com o gráfico em pizza que mostra a parcela destinada aos juros) são os mesmos que anunciam caos econômico.

      Se tudo é só “rolagem”, qual o problema de um programa temporário de renda básica? Aumento de dívida não é desculpa.

    2. Ontem, Lula deu “entrevista” a Haddad igualmente inútil. Pareceu
      que, apesar da loucura reinante, tudo será resolvido com pouco esforço.

      1. O Brasil não merece alguém da lucidez e caráter de Lula, merece sim um maníaco psicopata como Bolsonaro. Lula ficou preso 580 dias, sem cometimento de crime algum. Com exceção de nossa bolha, mais de setenta por da população aplaudiu sua prisão, esqueceu o que foi seu governo e os benefícios que todos tiveram. Muitos, nem ao menos procuraram ver se as acusações eram verdadeiras e do alto da covardia e hipocrisia que os vestem, o condenaram também.

    3. Mesmo após já terem acabado com muitas vidas antes mesmo da pandemia (via extinção da clt, aposentadoria, redução do salário mínimo, cortes na saúde e educação, …), o mercado ainda quer mais sangue…

    4. Bozo e o mercado não se deram conta que precisa salvar vidas e essas vidas é que salvam a economia. Falidos até podemos ficar, muitas vezes já ficamos, falecidos, nada importa.

      1. Na cabeça do liberal, somente os empregados serão demitidos, contudo os clientes continuarão empregados.

    5. Em tempo, aqui no Brasil, os mesmos que minimizam dizendo que não há pagamento de juros, mas só rolagem da dívida (quando confrontados com o gráfico em pizza que mostra a parcela destinada aos juros) são os mesmos que anunciam caos econômico.

      Se tudo é só “rolagem”, qual o problema de um programa temporário de renda básica? Aumento de dívida não é desculpa.

  7. Hoje se noticia que estaria sendo negociado um pedido de anistia pra familícia.
    Convenhamos, com tantos crimes que envolvem essa turma, desde rachadinhas, emprego de funcionários e familiares fantasmas, lavagem de dinheiro, nepotismo, advocacia administrativa, abuso de Poder, associação com milícias (crime fundiário, drogas, jogatinas, assassinatos etc), falta de decoro, ofensa a lei 7.170, chega a ser incrível que nossas Instituições não encontrem instrumentos pra fazer valer as leis e enjaular todos duma vez.
    Reitero que foi pela omissão e permissividade da nossa democracia que Bolsonaro e família chegaram ao Poder. Penso que não podemos cometer novamente o mesmo erro que poderá ter sérias consequências pras futuras gerações de brasileiros.

    1. Negociar anistia a criminosos cujos crimes sequer foram ainda completamente desvendados, é mais uma facada no regime jurídico e outra no Estado de Direito, além de uma rasgação inaceitável da Constituição. Não será assim que um dia teremos uma democracia estável e um estado forte, como queremos todos nós e quer o presidente Maia do Congresso.

  8. VIU O GUEDES TEM QE APLICAR UMA POLITICA ECONOMICA ANTONIMO A QUE VEIO REALIZAR! NAO TEM CAPACIDADE PARA ISTO COMO CHICAGO BOY…..LEMBRA DA PEC DO CONGELAMENTO DE GASTOS POR 20 ANOS????!!!!! QUEM APROVOU NAO PENSOU EM EPIDEMIAS,TORMENTAS ETC….QUE PODERIAM OCORRER!!!!! A RECEITA VEM DO GOVERNO LULA EM 2008!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  9. O problema de falta de lideranças e coordenação é grave.
    POR EXEMPLO: Há falta embalagens para produzir e comercializar álcool 70%.
    Ocorre porque os funcionários do fabricante de garrafas não podem trabalhar.
    – Indústrias tem cadeias de produção. É claro que muitas tem que funcionar, neste instante.
    Tudo isso exige coordenação e controle sanitário. Nos estados, municípios e no governo federal.
    Ao invés disto, temos uma disputa sem fim. Principalmente porque nosso presidente prefere
    manter seu estilo para se proteger e não demonstrar sua inépcia.

  10. Flautista de Hamelin? Essa veio do fundo do baú da Saxônia. Mas, foi inspirada. A imagem é perfeita, só não faz jus ao flautista do conto. Mas, o bando de ratos correndo em direção ao rio para a morte por afogamento é de uma precisão esmagadora.

    Falando em ratos, não nos iludamos. Todos, como a Folha, que ora execram diariamente o Capitão em manchetes e editoriais foram os que o puserem onde está. Têm total, completa e absoluta culpa e por essa culpa deveriam ser apontados sistemática e diuturnamente. Não devemos permitir que mudem a pele, como as víboras morais que são. Não podemos esquecer-nos de quem são e o que fizeram para que, desta vez, não escapem impunes. Se buscarmos na história como essas víboras comportaram-se em outros momentos os veremos agindo de forma similar. Quando sua posição torna-se insustentável, ante seus próprios interesses e perante a opinião pública, trocam de pele e seguem, até a próxima iniquidade. É o que ora estão fazendo.

    Além do mais, não são contra o conteúdo, o projeto de exclusão social e de concentração de riquezas, este eles permanecem apoiando. São apenas contra a forma, contra Bolsonaro, por tosco e mentecapto. O que buscam é uma forma aceitável aos padrões de convivência dos salões, só!

  11. Muitas vezes cito esta fábula, mas sempre troco a flauta pelo berrante, e os ratos pelo gado.

  12. Hoje, liberou da quarenta, templos e loterias, segundo a besta, são serviços essenciais. Pqp!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.