O Enem do “la garantía soy yo”

Apesar da cobertura pífia da imprensa, este governo desferiu um golpe fatal na credibilidade do Enem.

Nem pelo erro na atribuição de notas, nas pela forma com que está sendo tratado.

Desde o dia em que a notícia surgiu, ficou evidente que não tinham a menor ideia de sua extensão e foi uma enorme imprudência manter inalterada a data do Sisu, o sistema de seleção unificado para as universidades públicas, com base nas notas obtidas no exame.

Agora noticia-se que a “investigação” atinge também a correção da primeira prova, a partir de queixas dos estudantes.

Não há a menor transparência: não se sabe quantas localidades registraram erros, além dos notórios ocorridos em Viçosa, quantas provas estão sendo submetidas à conferência, como é feita a designação da cor da prova, se pela gráfica ou pela organização do concurso, como e onde se faz a conferência…

Às dez e meia da noite avisaram que termina às dez da manhã de hoje o prazo para reclamações, mas como a correção não é linear, pela variedade de peso entre as questões, só os candidatos que foram muito bem e registraram notas baixas, apesar disso, têm base para reclamar. Quem teve desempenho não tão bom, mas que foi prejudicado em dez ou vinte pontos – que podem ser fatais para a nota de corte e para a classificação – corre o risco de passar um ano a “ver navios”, injustamente.

A providência, obvia, seria paralisar o processo, fazer o “batimento” entre todos os inscritos e a cor de suas provas (e dos gabaritos, portanto) e “rodar” a correção ajustada.

Mas não, o compromisso é manter o cronograma para continuar a dizer que este é “o melhor Enem da história”.

Está tudo na base do que dizem o presidente do Inep e o ministro da Educação. Como naquele velho comercial, “la garantía soy yo“…

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. O judiciario se for acionado dara razao ao governo.
    O mp nada fara. Nada.
    So se a globo na novelinha malhaçao mostrar alunos prejudicados com a cagada do ministerio poderemos ter alguma esperança de q o governo se mexa
    Digo governo pq se depender do bozo esse ministerio sera extinto em breve ou virar secretaria do ministerio da defesa

  2. De uma coisa eu não tenho dúvida: os cidadãos de Troia contrários a que se levasse o cavalo para dentro da cidade se uniram aos soldados gregos para matar os troianos que resolveram colocar o cavalão para dentro.

  3. Produtos falsificados cujos vendedores pronunciam essa frase tem mais credibilidade que a quadrilha que a pronuncia neste “gobierno” …

  4. Quando se sabe que o plano que se está a executar inclui acabar com uma certa coisa, não se gasta com ela nem verba, nem verbo, e nem qualquer cuidado. Eles vão acabar com o Enem, sabem disso, e por isso não têm por ele qualquer respeito ou apreço. O Enem já deve estar no cronograma da destruição geral do país, capítulo “destruição do ensino”, talvez no fatídico ano de 2021.

    1. E como a grande maioria desses professores de cursinhos votaram no bozo… Faculdade particular nao precisa de enem precisa e q o estudante pague em dia.
      E… Fala Haddad…

  5. Não há construção somente DESTRUIÇÃO.
    Estamos na era da destruição nacional!
    Assim exigiram 57milhões de desavisados somados aos IRRESPONSÁVEIS e OPORTUNISTAS de RAPINAGEM!

  6. O débil mental que ocupa o cargo de Ministro da Educação declarou que os erros atingiram, no máximo, “6.000 estudantes”. Como este é o governo da mentira e das fake news, é provável que tenha afetado uns 600 mil (ou mais) estudantes. Mas, parafraseando Ricardo Kotscho, neste governo, não é “vida que segue”, é MERDA QUE SEGUE. E, como o ano apenas começou, é certo que virá muito mais por aí.

  7. O Ministério Público Federal do Ceará, que perseguia dia e noite o Enem nos tempos do PT, permanece em absoluto silêncio.

  8. infelizmente, eu não posso dar o recado diretamente ao vaintrolha. mas a prova está a cara da nova política, dane-se o povo!

  9. Estou começando a desconfiar de algum esquema para beneficiar alguns, que não tinham ido bem e acabaram assim com notas maiores. Revisando as notas somente dos que reclamam, mantêm notas erradas para cima. Hoje desconfio até da própria sombra. Tempos sombrios.

  10. E aquele procurador de Fortaleza, que tentou anular TODAS as edições do ENEM até que o PT saiu do governo, vai se pronunciar?

    1. De fato, o silêncio dos secundaristas assusta, principalmente se pensarmos na categoria como temos visto recentemente, quase que o último bastião da resistência real aos desmandos. Pergunto-me se, por trás das ações oficiais de condenação e repressão pública às manifestações estudantis, não estaria ocorrendo uma repressão mais virulenta e sombria nos bastidores, com ameaças gerais e desarticulação das lideranças por meio de processos e até detenções escamoteadas pela grande mídia hegemônica…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *