O Jardim e a Luislinda

luislindajardim

O que há de comum entre o pedido de quebra do teto remuneratório da ministra do Direitos Humanos, Luislinda Valois, e a denúncia do Ministro de Justiça, Torquato Jardim, de que os comandantes dos batalhões da Polícia Militar são “sócios do crime organizado”?

O traço partilhado pela atitude de ambos e não terem mais nenhum tipo de preocupação ou sentimento de pertencimento ao Governo Michel Temer.

Luislinda, alçada ao governo por ser mulher, negra e tucana, é ministra desde fevereiro, mas antes era  Secretária Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial desde junho de 2016,  quando ainda era grande a grita contra o “ministério de homens brancos”. Sabia dos limites do teto constitucional, portanto, há mais de um ano.

Jardim, jurista experiente, advogado dos mais sabidos, certamente não desconhecia a promiscuidade entre policiais e traficantes no Rio de Janeiro, de  resto nenhuma novidade. E menos ainda desde que, há mais de três meses, as forças federais se tornaram – ou deveriam ter se tornado – as reitoras da política e da ação de combate ao crime no Rio de Janeiro.

Os dois só resolveram fazer o que fizeram em razão do estado do governo (se é que se pode chama-lo assim, ainda) Temer.

Uma, achando que o governo virou um bundalelê e outro achando que virou um saci pererê, o pato manco , que não tem poder sequer como demiti-lo de imediato, como diz Josias de Souza,  o repórter que escolheu para veicular a acusação que deu todo este “bolo”.

Ele, sairá do governo sem as manchas da vergonha; ela, salpicada pela tolice dos sem-noção.

O resguardo de Temer não vai protegê-lo por muito tempo e ele terá de agir, mesmo sem vontade.

A reforma ministerial exigida por Rodrigo Maia foi posta em marcha por Luislinda e Jardim.

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

13 respostas

  1. Fernando, a respeito desse assunto do teto, cabe uma reportagem sobre os pilantras do judiciário (como o Moro) e de outras carreiras que ganham muito acima do teto. Ao que me consta, o contracheque desses bandidos continua intacto.

  2. No caso de Torquato Jardim, ainda acho que está combinado com Temer em busca de pauta populista na área de segurança pública, ou está combinado com gente das FFAA para ganhar poder. Jabuti não sobe em árvore, e quando o Jabuti não é demitido do galho, é porque foi o presidente quem o colocou lá ou, pelo menos, permitiu.

  3. O blogueiro decide que Jardim nem vergonha precisa sentir, NORMAL. Mas, a mulher, e ainda por cima negra, que atrevimento! Essa só pode ser uma sem noção e merece passar vergonha. O blogueiro faz questão de ressaltar o género da ministra e também sua cor de pele. Por que essas categorias estão sendo misturadas à avaliação dos dois casos ? Se os dois são bandidos devem ter tratamento igual como bandidos e oportunistas.
    https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/325536/Brasil-cai-para-90%C2%AA-posi%C3%A7%C3%A3o-em-igualdade-entre-homens-e-mulheres.htm

  4. Faltou uma personagem, para completar a tríade demissionária: a insossa, traidora e oportunista Flávia Piovesan. Mas nenhum dos três, Torquato Jardim, Luislinda Valois ou Flávia Piovesan se livram da lama e dos excrementos em que se meteram, ao aceitar cargos de confiança em um governo cleptocrata como este que tem o traidor-golpista-usurpador-corrupto profissional-chefe de quadrilha, Michel Temer, como cabeça.

    O título do artigo poderia ser “O jardim da luislinda piovesan”.

  5. Ele ainda merece algum respeito poi tocou num ponto que afeta muita gente e pode ser melhorado.ela sim foi uma nonsense

    total,que a única importância é o que entra em sua conta bancária.

  6. O ministerio da JUSTIÇA é uma PASTA de elevada confiança do ESTADO e o ministro afirma o conluio entre os poderes e o sub-poderes é pq ele tem conhecimento. Assistimos diariamente os acontecimentos e o esfacelamento do Estado brasileiro. Intervenção da ONU e eleição direta .

  7. tento buscar o pensamento e razoes da Zoé nesse comentario.
    E quanto mais o faço mais me ocorre que ela não captou a critica de FB às motivações de sua escolha por Temer. A melhor resposta a esta ‘multipla escolha’ creio ser N/A , ”não se aplica” ao que disse o blogueiro.
    Quanto a ter sido uma atitude de sem noção, tambem não consigo ver o episódio de outro jeito. Sorte dela que recuou rapido sob conselho de alguem ao redor.

    1. A tua leitura N/A ao que foi ressaltado no post do blogueiro. O preconceito e a ironia seletiva. Atente para o óbvio.

  8. Sao esses juizes que estamos enfiando na população? Espero que sejam minorias nessa casta de privilegiados. Eles não são diferentes em nada daqueles medicos que batem o ponto e abandonam seu mister nos hospitais publicos e nos postos de saude atras de mais dinheiro em clinicas particulares.
    Estou vendo que a população de baixa renda esta “a Deus dará”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.