O masoquismo renitente de (só uma) parte dos militares

agata

As Forças Armadas – e suas escolas – produziram algumas das melhores inteligências deste país.

O Exército, desde cedo, solidificou a ideia da unidade nacional, mesmo num tempo em que o país, politicamente, era pouco mais que um amontoado de oligarquias provincianas e  um banco de inutilidades cortesãs. Agora, vê-se reduzido a um secretário de Segurança dizer onde deve colocar seus soldados como guarda da esquina.

A Marinha, nos últimos 40 ou 50 anos, foi o núcleo de nossa ciência nuclear, com um contingente de militares-cientistas dos quais o Almirante Othon da Silva, 77 anos, agora encarcerado por 43 anos (!), era um símbolo. Agora, vai ter os laboratórios de Aramar “invadido” por inspetores tradicionais, colocando plásticos pretos sobre os equipamentos que desenvolveu, enquanto junta moedas num esforço desesperado de manter o Pro-Sub, ainda na esperança de ter um submarino de propulsão nuclear, que pode ficar sem vir à tona por longos períodos, sem o que de nada serve num planeta coberto de satélites.

A Aeronáutica, a quem se deve o sucesso mundial da empresa de mais avançada tecnologia Aeronáutica, vai assistir a entrega da “golden share” que ainda lhe dá poder de veto em aventuras desnacionalizantes e é humilhada por acusações sem pé nem cabeça nos contratos dos caças Grippen.

Não obstante, em todas as nossas Armas subsiste uma atroz incapacidade de ver que as elites políticas e econômica as querem apenas como fator mobilizável para reprimir a população, seja ela “os esquerdistas” ou os “marginais” das imensidões da pobreza, que é o lugar de onde sai o ser humano que compõe suas tropas.

Num dos episódios descritos no seu livro JK, o artista do impossível, Claudio Bojunga narra  o momento em que José maria Alckmin e o almirante Heleno Nunes, tentando resolver a crise gerada pela insubordinação do coronel Bizarria Mamede contra o Marechal Henrique Lott, um legalista, olha o carro passar pelas fachadas dos bancos na Av. Presidente Vargas diz que estão ali, esfalfados, que “estamos acordados até essa hora para assegurar a estes senhores o direito de continuarem a ganhar dinheiro”.

Vejo debates na esquerda muito próprios dos liberais, discutindo se militares são “de direita” ou se deveriam “ser de esquerda”.

Bobagem.

Militares têm compromisso com duas coisas, basicamente.

Primeiro, com suas corporações, que estão humilhadas, enforcadas financeiramente , desviadas de suas funções – fazendo papel de polícia urbana, enquanto o controle de fronteiras é esvaziado dramaticamente – e seus planos de modernização tecnológica mortalmente atingidos, pela aniquilação  das empresas com que tinha parcerias – além dos submarinos,a produção de mísseis de combate foi entregue a estrangeiros.

Segundo, com a defesa (militar e econômica) de nossas riquezas, arruinada com a entrega do pré-sal, da liberação de compra de terras a estrangeiros, a abertura da Amazônia à mineração estrangeira e muito mais.

Infelizmente, os militares não são imunes à sua “porção Brucutu”, incensada pela extrema-direita, que quer vê-los prender “esquerdistas”, sindicalistas, políticos…não, juízes e banqueiros, não…

Brizola, mesmo depois de todas as perseguições que sofreu, nunca embarcou nessa história de ser contra militares por serem militares. E dizia que muitos deles tinham percebido que, ao tomarem o poder, “amarraram a vaquinha Brasil para os outros mamarem”.

Espera-se que sejam muitos os que considerem que a “aproximação sucessiva”  que pode nos tirar  – a nós, civis, e a ele – deste desastre sejam eleições livres em 2018, sem discriminação de qualquer força política e sem a exclusão de brasileiro algum, o que a torna ilegítima.

Nada diferente do que disse o comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas, apenas dois meses atrás: “Saída da crise deve vir da eleição de 2018“. Acredita-se que, em tão pouco tempo, não tenha mudado de opinião.

Nem general nem juiz tem poder de veto sobre a escolha dos brasileiros.

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

31 respostas

    1. Chama-los de masoquistas é até engraçado. Nenhum deles tem a inteligência para lembrar, pelo menos lembrar, que os governos do PT foram os que mais respeitaram e mais investiram nas forças armadas.

      Dá um chicotinho para eles brincarem.

      Deveriam fincar posição oficial contra a entrega do pré-sal, do programa nuclear brasileiro, da amazônia, da soberania.

  1. ATENÇÃO PARCELA DO BEM DA NAÇÃO BRASILEIRA

    Rodrigo Janot ainda procurador da República ‘DESmoroLIZA’ o mentiroso e protofascista DEMoTucano juizeco *’mor(T)o’!
    *o mesmo ‘rábula’ ‘psicoPATO’ que responde pela famigerada e nefasta alcunha “bolinador-mor processual desta republiqueta da Cloaca do mundo”!
    E estuprador oficial do Estado Democrático e de Direito em nome sórdido das surubas federais a $erviço do golpe vagabundíssimo lesa-pátria ainda ora em curso!

    ***

    Janot e Moro batem cabeça e sujeira da condenação a Lula vem à tona
    https://www.youtube.com/watch?v=Hb9VMNoISLU

  2. Quem apoiou a derrubada da Pres. Dilma está vendo que o tirou saiu pela culatra. Agora não adianta chorar o GOLPE DERRAMADO. 2018 está aí as portas e o povo DEVE decidir em ELEIÇÃO o destino da NAÇÂO em seu pleno direito de VOTO e exercício da democracia. Embora CAMBALEANDO, é a melhor forma de governo como ficou claro com a queda da maioria das tiranias ( nações ditatoriais, só ficaram uns gatos pingados). Não adianta acusar A ou B, o negócio é o conserto e não cometerem arbitrariedade. Antigamente dizia-se: o exército é o POVO. O POVO não bate mais as panelas por que eles saberem que foram MANIPULADOS e influenciados. A vontade do POVO está em andamento embora NÃO se saia na maioria dos jornais. A criança cai e levanta ( 3 décadas de democracia é aprendizado).

  3. se as forças armadas sabem o caminho,é preciso que haja uma intervenção militar para garantir nosso patrimônio,porque esta quadrilha está entregando tudo que pode e de graça.que apostar que se esse ladrão continuar no poder não haverá nem dinheiro para pagar as forças armadas.

  4. COMO COMENTEI NO FACE;” SE A FARDA FOSSE DE FATO PATRIÓTICA,SE CUIDASSE DA SOBERANIA NACIONAL,BASTARIA TER DIRO UM NÃO POIS ESSES GOLPISTA SÃO BUNDA MOLES MAS A FARDA DEU SUSTENTAÇÃO AO GOLPE OU EXISTE INOCENTES QUE NÃO SAIBAM QUE FORAM CONSULTADOS DOS DOIS LADOS?A TROPA E SEU JEGUES MÓR SEMPRE FORAM GOLPISTAS ANTI DEMOCRÁTICOS E ALINHADOS COM OS USA.POSTEI HOJE UM VÍDEO ONDE MOURÃO O JEGUE CANTA JUNTO COM A TROPA UMA CANÇÃO NAZISTA.

  5. Não é o moro, mas o patrão dele – os EUA – que querem e irão vetar Lula. E os militares nada farão. Ou por afinidade, ou por medo de serem aniquilados
    Lula negou a ALCA, fortaleceu o Mercosul, investiu para que houvesse o BRICS, o banco do BRICS com Dilma, caças suecos e não americanos, submarino nuclear… É muita independência para um país. EUA não querem isso.
    Não é o ameba de primeira instância… nem a globo. São eles, os abutres, os vermes… atrás de riquezas alheias a qualquer custo. Quem vai peitar? Tá tudo dominado, Brito.

  6. A verdade nua e crua , os que provocam e provocaram a derrocada da nação . a eles nada acontecerá , em sua maioria estão de malas prontas para Maiami . É só observar na última semana após a manifestação do general o aumento da debandada . Mas há os que não podem , tem ficar e lutar.

  7. Esse não é um assunto que se trate de forma superficial. Há oficiais e oficiais. Há diferentes correntes de pensamento nos diversos batalhões de cada uma das três armas. E há o comando maior das Forças Armadas, que é o que nos vale. Enquanto gente como o General Villas Boas ali estiver, vou dormir tranquila porque duvido muito que venha alguma violência contra os brasileiros e contra a democracia. Sem esse comando sensato e civilizado, a coisa já mudaria de figura.

    1. Essa posição vai de encontro ao Brasil omisso e indiferente à indecência de uma sociedade perversa, violenta e sempre dormindo tranquila enquanto milhões de miseráveis são condenados a serem explorados como animais até a morte. Esse articulista com papo de minimizar o conservadorismo fascista dos militares é de alucinar. Essa condescendência só pode ser fruto de muita cegueira, ou algo muito pior.

  8. Então por que aceitaram passivamente a prisão perpétua do Almirante Othon? Se têm razões razoáveis pra isso, porque não explicam? Se não têm, por que não se manifestam claramente pela libertação do Almirante e em favor do pré-sal, da indústria naval, da Amazônia etc.? Sei não…a história, aqui como em quase todo lugar do planeta, recomenda que não confiemos.

    1. Só mesmo alguns desmiolados com viseiras cordatas de colonizados até os ossos pode pensar algo diferente do que você colocou Alex. Pobre Nação Brasileira entregue a obscenidade em estado bruto. Nem com o sol mostrando o óbvio vê-se algo brotar além da tolice endêmica.

  9. Me perdoe o colunista, mas a história das forças armadas e sua relação histórica com o povo brasileiro é de repressão, tortura e morte. Hoje batem continência ao seu comandante supremo, sabidamente um informante de país estrangeiro.
    Não abriram a boca quando a ordem constitucional foi rompida, nem quando o ditador civil que está no poder se pôs a vender nossa soberania a troco de polpudas comissões.
    Vamos a um golpe como ou pior do que o de 64 e como em 64 e como com os membros do congresso fizeram, estão acertando os valores.
    Em 64 Kruel aceitou a maleta com US$ 2 milhões e nossos altos oficiais tem formação que ainda segue a antiga Escola do Panamá de triste memória.
    Bolsonaro é um entre vários e o cão de guarda do Temer, confirma.

  10. As Forças Armadas só são policiais no estrangeiro, quando requisitadas pela ONU por exemplo, com soldo dolarizado, já que arriscam vidas e equipamentos não em defesa da pátria nacional mas de interesses de potências estrangeiras. As sucessivas guerras em defesa de interesses de potências capitalistas e da ocidental democracia, não só fazem a fortuna e progresso da indústria bélica como promovem o aperfeiçoamento, em aptidão no consumo, de sua clientela, as forças armadas de todo o mundo. Não é estranho, e sim muito humano, que militares -e não só aqui no Brasil- queiram emular esse progresso e ao mesmo tempo mostrar serviço. Talvez muitos generais militares brasileiros, classe média, de rígida disciplina, confrontados com paisanos na política do mercado financeiro, tendam assim a acreditar que o desregrador neoliberalismo seja capaz de empreender um avanço, em defesa das forças da nação. Poucos deles, como mostram os recentes vídeos divulgados, hão de dominar estratégias e ciências políticas. E não é preciso tanto domínio. Basta ser um militar patriota em sua especialidade, como o almirante Oton e tantos outros brigadeiros e generais são e foram, como Geisel, cujo governo não só determinou o fim da tortura nas prisões políticas como o início do desenvolvimento de nossas usinas nucleares, entre outros reais progressos. Fiat lux. Abaixo o golpe!

    1. Desculpe discordar,mas não consigo entender seus elogios a Geisel.Conforme o que entendo como respeito a lei,TODOS os protagonistas e colaboradores de um governo ditatorial ,são desde seu nascedouro DELINQUENTES.
      Portanto não existem patriotas dentre eles.
      Tal vez esses militares que vc imagina deveriamos busca-los na história da América Latina, Chavez ,os militares argentinos que se opuseram ao golpe de estado contra Perón en 1955 e foram fuzilados,ou mais recentemente os que morreram na recuperação de um quartel invadido pelos “caras pintadas” golpistas na década de 90 também na Argentina.
      O resto é cria do maldito tio sam.

      1. CHAVEZ?? o que deu início à bancarrota da Venezuela e bota a culpa de tudo nos Estados Unidos, como se fosse um simples espectador, com pés e mãos atados, vociferando o tempo todo contra outro país, como se também fosse uma vaca de presépio, sem capacidade para ditar os rumos do país, sendo que fez tanto malabarismo para permanecer eternamente como governante?

        1. Óbvio que não perderei tempo argumentando com um ignorante como vc.
          Desconhece a realidade brasileira ao ponto de votar no cheirador mineiro e odeia os caras que deram uma chance de uma vida melhor aos pobres como vc,como eu,como pretender falar da realidade latinoamericana ??????
          Tolo ignorante.

        2. Há muitas razões no comentário de Hocus Pocus sobre o verdadeiro patriotismo do militar Chavez que tornou-se presidente dentro de preconizadas regras, de eleição democrática. Os “tucanos” perdedores de lá protestaram, mas não tiveram supremos ou outros ministros amigos e operadores da justiça, como aqui, a quem recorrer. Por isso, dentro da lei venezuelana, o militar Chavez permaneceu no poder. Quando de sua morte por doença inesperada, seu legítimo vice, Maduro, um civil, motorista, tornou-se um alvo mais fácil para a tradição política burguesa local e continental, do uso do trunfo na manga, o golpe de Estado, com o também tradicional apoio da mais rica democracia do mundo. Onde há petróleo ou riqueza, em terras desprotegidas, sempre haverá ataques e disputas de cleptocratas -e seus porta-vozes- ,em nome de defesa da democracia. Defender a democracia e os nacionais Árabes, esmagados sob o governo dos milionários sheiks Saud, não é pauta nem da ONU.
          Mas reitero a defesa do governo Geisel pelo menos no que diz respeito a direitos humanos e soberania nacional. Procurando superar contradições ele, um militar, avançou muito mais que o príncipe sociólogo FHC, dadas as devidas proporções. Abaixo o Golpe!

    2. O gal. Ernesto Geisel não assinou nem assinaria nenhum tratado de não proliferação de armas nucleares. Ele assistiu ao fiasco dos Estados Unidos no Vietnã, e aprendeu. Se não somos a pequena e corajosa nação de Ho Chi MIn, por que não poderíamos fazer ter, ou mostrar, uma bomba para prevenção e alarme, contra possíveis e previsíveis assaltos e ameaças de morte? Por que só Israel pode ter, ou não ter? Aqui nos é vedado até o desenvolvimento da propulsão nuclear, sob as flechas do MP da Procuradoria e dos piás da justiça no Paraná. Não esqueçamos que mover um submarino é um passo para movimentar foguetes e daí colocar em órbita satélites de comunicação. E nesses tempos de informatizados, e nucleares, ganha, mesmo, não o que diz que faz mas não faz, porque quem faz mesmo, ou tem, não diz.

  11. POR DEUS!!!!!!!ESTAMOS JOGANDO NO LIXO TODA A TORTURA,HUMILHAÇÕES,MORTES,SERVILISMO A FAVOR DO TIO SAM
    QUE ESTA TURMA PRATICOU.
    OS(verdadeiros) LIVROS DE HISTÓRIA CONTAM A SAGA DESTES EXÉRCITOS DE OCUPAÇÃO QUE FORAM AS FFAA BRASILEIRAS.
    A TROCO DE QUE ESSA BENEVOLÊNCIA COM OS PREDADORES (o braço armado deles) DO POVO BRASILEIRO ?????????????
    NÃO ENTENDO ,O MUNDO ESTÁ FICANDO MALUCO !!!!!!
    COERÊNCIA,COERÊNCIA,COERÊNCIA,QUANTA FALTA FAZ !!!!!!!!

  12. Assim como acho detestável os pronunciamentos desse FASCISTA mourão ,entendo que NENHUM militar tem o direito de emitir opinião política.O fato de serem possuidores das armas legais de uma nação os impede de qualquer manifestação de rejeição ou apoio a qualquer que seja.
    DEIXA ELES NOS QUARTÉIS QUE LÁ FICAM ESPERANDO CUMPRIR A SUA MISSÃO,QUE É A DEFESA DO TERRITÓRIO CONTRA INVASOR EXTERNO.QUALQUER OUTRA FUNÇÃO É UM ERRO DA CF88 OU UM DESEJO DE EVENTUAIS MOVIMENTOS CARENTES DE APOIO POPULAR(neste caso e é duro admiti-lo,se trata dos anti-golpe )

  13. Acabo de ver um comentário ABSOLUTAMENTE LÚCIDO ,COERENTE E LEGALISTA A RESPEITO DOS GENERAIS FALANTES.
    No Conversa afiada,PHA defende a punição aos dois generais
    Os colaboradores dos generais são os que estão no governo golpista ,qual seria o motivo de um golpe militar?????apenas não deixar voltar os pts ao governo ,caso o bandido de curitiba não garanta a sua interdição.
    Adianta ficar “sonhando ” com um golpe militar nacionalista???papai noel morreu quando tinha 7 anos.

  14. Os ianques sempre usam as forças militares locais para impor o imperialismo e a escravidão. O Brasil é um pais muito grande e relativamente forte(povo) para ser invadido militarmente por forças estrangeiras.
    Nos casos mais recentes todos os países que foram invadidos e destruídos contaram com uma propaganda midiática absurda(principal arma de desestabilização) em conjunto com forças militares vende pátria.
    Os ianques possuem um controle vasto e potente controle do uso da mídia global
    para desestabilizar a grande maioria dos países.
    Assistimos isso recentemente no nosso território com o complexo midiático local fazendo tabelinha com o poderoso aparatos midiático internacional.

  15. Quanta ilusão a do jornalista! Quanta ilusão!

    Se os militares, insubordinados ou não, tivessem somente os dois compromisso a que ele se refere, eles, ou seu representante porta-voz, seriam explícitos em seus pronunciamentos. Principalmente quanto ao segundo ponto, o da defesa das nossas matérias primas e do controle e propriedade do território.

    Mas não é o que se vê. São discursos generalistas, apontando o dedo aos políticos e ao ambiente político.

    Mais uma vez, vê-se, aqui, por parte do jornalista (e, por vezes, censor), a defesa covarde de um ataque ao poder civil.

    Espero que ele aponte as tais “melhores inteligências deste país” no meio militar e saia do discurso genérico.

  16. Acho Fernando Brito muito otimista e até ingênuo. O general Villas Boas não me parece discordar do golpe. Ele deveria ter punido o general Mourão, mas, ao contrário, derramou-se em elogios a ele e falou em intervenção legítima, se vier “o caos”.

    1. E conforme PHA no seu comentário a pergunta a se fazer seria – quem definirá o caos ,o general Villasboas???-
      FIQUEM NOS QUARTEIS ,NINGUÉM NUNCA PRECISOU DE VCS !!!!!!!

    2. “Só uma” parte a que se refere o desorientado jornalista é, evidentemente, toda a oficialidade. Uma pequena parte, como se vê, quase insignificante. Assistiram ao golpe judiciário-midiático-parlamentar, de cadeira, e se calaram. Assistem ao sucateamento da insípida indústria nacional e ficam mudos. Assistem a entrega da Petrobras e da Eletrobrás e nada falam. Veem o corte de verbas públicas, que afetará o desempenho das FFAA, e não se mostram afetados. O desastre econômico liberal desfila aos seus olhos e nada. E o jornalista ainda acredita que a tal “parte” se importa realmente com os que formam este País, as pessoas. Têm lá seus próprios valores, muitos dos quais nada dizem respeito àqueles que lhes pagam os salários. Agora ameaçam uma tomada do poder pela força e encontram apoio de um iludido jornalista.

  17. Os comentários dos generais Mourão e Villas Bôas foram infelizes e, todos nós cidadãos brasileiros, cidadãos, que fique bem claro, reprovamos veementemente. Não aceitamos golpe, que somente apoiou e acobertou a covarde violência da tortura contra indefesos, inclusive mulheres. A fora a corrupção existente, razão alegada pelo cmte para o golpe. Em lugar de defender lutas contra a democracia, que os generais, através de canais previstos na burocracia estatal, procurem defender os projetos de defesa elaborados pelos governos do PT e que, junto com as empresas nacionais responsáveis pelo desenvolvimento e implantação dos mesmos, são destruídos. O problema é que a cúpula militar é “colonizada” intelectualmente à Washington, e veem os movimentos trabalhistas, a favor dos mais pobres, como ameaça comunista. São uns tolos armados, o que torna a presença dos mesmos uma constante ameaça à emancipação dos pobres deste país.

    1. Corretíssimo o comentário acima. O único que não percebe isso é o jornalista desorientado, que tem um pavor aos black blocs (Freud talvez explique), mas banaliza e trata “tecnicamente” uma ameaça de volta dos brucutus. Uma pequena parte, claro. Esquece o desorientado jornalista que o primeiro a ser caçado e cassado seria o Lula e as esquerdas. Sub-repticiamente, subliminarmente, o que deseja. de fato, o jornalista desorientado, é uma ditadurazinha para levar adiante os sonhos delirantes do Brasil Grande, Brasil Potência, essas bobagens patrioteiras. Os que vão levar sopapo…? Pouco importa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *