O palhaço é o sem a faixa. E não é divertido, mas assustador

Minha filha mais velha, quando menina, ganhou um quadro de palhaço, pendurado na parede oposta cabeceira da cama.

Embora feito com carinho pela avó, pintora amadora, o quadro não a divertia, assustava, sobretudo quando vinha a noite.

A noite econômica está caindo sobre o Brasil, embora os comentaristas econômicos prefiram ficar em cima do muro dizendo que a mais brutal paralisia da economia produtiva mundial seja apenas uma “incerteza”.

Não é e, ao contrário da de 2008, não se move do mundo das finanças para a economia real, mas em sentido inverso.

Hoje, os maiores pesos-pesados do dinheiro no Brasil vão se reunir com Jair Bolsonaro na Fiesp.

Nenhum deles perguntará “o que é PIB”?.

Não, como crianças ranhentas, chorando pitangas com seus bilhões, não é pedir mais “balas”: privatizações, queda dos juros, menos impostos, mais cortes e sacrifícios para o pessoal que não está no circo, mas está na lona.

Sabem que estão com um idiota imprestável: muito útil para iludir o público mas que nenhum deles colocaria a gerir a sua menor filial.

Parece incrível, mas só depois de mais de três décadas comecei a entender o medo de minha filha.

O palhaço pode ser uma máscara de idiotia para esconder um monstro.

A noite começou a cair e, como costuma acontecer, toda a gente só vai só vai perceber quando estiver bem escuro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

23 respostas

  1. Eu me pergunto o que de fato move as elites brasileiras. Será que estão tão ignorantes, gananciosos e cegos? Não tem um capaz de enxergar o óbvio? Ou será que não há um que se salve, são todos ratos e abutres que pouco se importam com o povo e com o país? Temo que seja uma mistura das duas coisas, burrice unida ao ódio ganancioso e voraz.
    Parece que estão decididos em nos tornar O exemplo nos livros de história/política mundo afora de “tudo que pode dar errado com um governo neoliberal totalmente submisso aos EUA”

    1. Não espere moralidade de um sujeito que tem o lucro como seu principal objetivo de vida, e por ele vive ,sem ele morre.
      Eles estão certos quando procuram o lucro ,eles erram quando dão um tiro no pé,matando seu consumidor .
      Alguns estão tão ricos que nem mais precisam fazer nada ,mas,a sua natureza imoral os leva a persistir nessa,quase por “esporte”.
      O problema está do nosso lado,somos maioría, os que produzimos a riqueza,mas ,que nem o elefante,não sabemos a força que temos.

  2. Já está bem escuro para uma grande parte da população , mas a gradação da escuridão não atingiu e nem vai atingir as elites e grande parte da classe média alta . Eles usam a mesma mascara de palhaço para esconder a vergonha que estão passando , porém sorriem por trás dela com os bolsos cheios .

  3. O destino do Brasil é sombrio a menos que alguém do povo volte ao poder e puna exemplarmente quem está dilapidando o patrimônio nacional em prol dessa coisa nefasta chamada neoliberalismo. Desse jeito nunca seremos protagonistas e, com o tempo, isso aqui vai virar uma colonia dividida entre os abutres naturais e os do exterior que virão tirar o que restar. Enquanto isso, como diz o Nacif, o presidente ultraja os 3 poderes e as instituições e estas nada fazem ( a metáfora do mijo presidencial é perfeita). Que vergonha, que papelão, que nojo. E nós, o povo, assistimos a tudo inertes, o que é mais preocupante. Parece que não temos brio ou entregamos os pontos. A oposição não age, a mídia já era há muito tempo e os patos ficam homenageando sua alteza o palhaço na busca de benesses governamentais. Isso não pode dar certo.

  4. Ainda assim,o que o senhor chama de GENTE,carecem de cérebros,senão aquele CÉREBRO,que os dota,da capacidade INTRINSECA,de PUXA SACOS DE BURGUESES.

  5. ” a mais brutal paralisia da economia produtiva mundial seja apenas uma “incerteza”.” Genial, Brito. Por isso sou grande fã.

    1. “Sabem que estão com um idiota imprestável: muito útil para iludir o público mas que nenhum deles colocaria a gerir a sua menor filial.” – Preste atenção, quem é o idiota, quem é o palhaço, o ‘útil para iludir o público’, ou o próprio público? Vai Brasil.

  6. Brito, seu texto conecta com um comentárioe que escrevi há pouco, mas que já era uma reflexão desde as primeiras notícias sobre o PIB, essa coisa pouco elucidativa da economia real.
    Sempre que leio sobre o pseudo aumento do PIB, considerado insignificante até pelos ditos espertos economistas liberais da laia do ministro, responsável pelos números, sinto vontade de dizer uma palavra sobre esse aparente crescimento.
    Não precisa ser economista para perceber que o aumento é falso. Falso porque não resultou em ganho para as famílias. Pelo contrário, as ruas e a realidade cotidiana revelam que de fato, o que cresce a olhos nus (dispensa teorias) é a pobreza. Ou seja, o que se escancara é o declino da atividade econômica: trabalho precário ou sub emprego e inflação alta negada nos indicadores dos métodos empregados.
    A rigor a elevação do índice não passa da incorporação dos lucros dos investidores em bolsa de valores e outros fundos bancários. Esse lucro é fruto do modelo econômica em vigor, que retira dos pobres o direito ao consumo necessário e digno.
    Como o governo segue sua cartilha destrutiva de direitos, cujo nome elegante é Reformas Administrativas (leia-se transferências de investimentos sociais para beneficiar os rentistas, portanto, fonte de geração de mais ganhos para esse setor que elegeu o fascista com métodos criminosos) não há melhoria no horizonte.
    Finalizando, a necessidade de ir aprofundando cada vez mais o buraco no qual eles precisam ir enfiando os pobres, aumenta inversamente os degraus da escada ecônomica dos ricos. E esse abismo, ente o fundo do poço e o derradeiro degrau da escada onde reinam felizes os ricos, vai ser tão absurdamente perigosos, que num momentâneo ainda impossível de ser previsto, a palavra de ordem de Gotham city no filme Coringa, haverá de se consumar no mundo real. No que depender de mim, ela será sempre lembrada: “Morte aos ricos”

    1. as revoluções ocorrem pela cegueira das elites. plantam ventos, colherão as guilhotinas francesas.

  7. Empresários vão se reunir na fiesp? Para comemorar o que fizeram ao país, com o dolar, o pibinho, a gasolina, a fuga de capitais, etc? Dirão que “confiam no bozo/guedes”. Que coisa!
    Destruiram o país, junto com a globo, o judiciário e os militares de palácio.
    Como é mesmo o nome daquele filme: “Matou a tia e foi ao cinema”?

  8. A cada dia que passa, vejo mais e mais notificações de CORNOvírus.

    E o que é pior: aquele do tipo “ateu”, que você avisa e ele não acredita.

  9. Estão acabando com nosso mercado consumidor interno. Não entendo como os grandes grupos multinacionais podem concordar com uma politica assim suicida. Não enxergam o tiro no pé? Vão simplesmente fechar as plantas aqui no Brasil e largar tudo pra trás? e os milhões investidos em infraestrutura e treinamento?

  10. A Folha tenta hoje, de forma importante, tornar definitiva a falácia de que a Dilma é a culpada pela desgraça econômica do país, com os resultados dos anos 2015 e 2016. É preciso reagir vigorosamente a isso. Deve-se colecionar uns poucos dados e fatos que destroem definitivamente esta infame fakeversão, e dar toda a publicidade possível a eles. A começar pela conclamação do Aloísio para a mídia não deixar baixar o nível de insatisfação, e também as diversas manifestações a favor do quanto pior melhor, se não me engano também do Alberto Goldmann e de muitos outros. Por último, alguns dados definitivos sobre o funcionamento do Congresso de então, atravancando projetos e promovendo pautas-bombas. .

    1. É por essas e outras que não estou nem ai pra humilhação sofrida pelos jornalistas. Se é que podem receber esse nome.

    2. É por essas e outras que não estou nem ai pra humilhação sofrida pelos jornalistas. Se é que podem receber esse nome.

      1. É como se nos incomodássemos de terem chamado de ladrão uma pessoa que rouba!! Eu quero mais é que eles …

  11. Esta foi a aposta de 57milhões de ELEITORES que foram manipulados, pelo presidente da FIESP, igualmente PALHAÇO, dentre outros manipuladorres alojados em muitas outra instituições, igualmente manipuladoras.

    Assim, será uma reunião de iguais, uma reunião de PALHAÇOS!

    Enquanto isso o Brasil sangra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *