O problema da vacinação, perdoem o óbvio, é ter vacina

 

Anunciou-se, agora há pouco, que as vacinas indianas, finalmente, chegariam no final da semana e estariam prontas para uso aí por volta de quarta-feira.

Claro que é bom que ao menos isso o governo federal vá conseguir fazer pois, mesmo sendo pouco – menos de 0,5% de nossas necessidades de imunização – é muito perto do nada feito até agora.

Só que isso não resolve o problema de continuidade de nossa vacinação, que não irá com isso além da imunização dos profissionais

Nosso problema, desculpem a obviedade, é ter vacinas.

E às dezenas de milhões.

Sem isso, não se faz distribuição correta, porque os envios sempre serão emergenciais: ou chega ou para de vacinar ou, com a vacinação parada, corre-se para reiniciá-la.

Desde a aprovação das vacinas Coronavac e Astrazêneca, o país vive a angústia de “vem-não vem” de vacinas e de insumos para a sua produção, que está parada.

Do jeito irresponsável que se conduz o nosso governo nacional, ficaremos sem poder seguir um planejamento racional, peça essencial de uma vacinação gigante como a que é necessária aqui.

Já está claramente estabelecido que o ritmo pretendido – e nem assim cumprido – de vacinação não é capaz de nos dar esperança de tão cedo interromper a escalada de contágios e isso é um ponto-chave no seu sucesso.

Nada, nem mesmo a estupidez de Jair Bolsonaro e Eduardo Pazuello, pode ser mais danoso para a confiança da população na vacina que a pandemia alcançar níveis estratosféricos de contaminação e morte – como estamos vendo em países como EUA, Reino Unido e Portugal – em meio a uma vacinação que, oficialmente, prevê-se que vá durar nada menos que 16 meses.

Conseguimos manter algum nível de isolamento social expressivo durante três ou quatro meses quando não havia salvação possível para a Covid. Já temos muito pouco agora e como estaremos, em plena vacinação, mas com apenas 10 a 15% da população imunizada e, consequentemente, com efeito quase zero nos indicadores de mortes e de caso?

Daqui a pouco posto os comentários que fiz, agora à tarde, sobre isso no Bom para Todos, da TVT.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *