O que une as esquerdas é povo, não é o mimimi

Tem mais de 40 anos que ouço falar de “união da esquerda”. Só a vi quando quem se encarregava de fazê-la era o povão.

Em 1982, enjoiei de ouvir que nós, os brizolistas, éramos “malucos”. Que ele não tinha chance – os famosos 2% que lhe dava o Ibope – e que todos deveríamos nos unir a Miro Teixeira, então candidato de Chagas Freitas, contra a “Bolsonara” da época, Sandra Cavalcanti.

Verdade que Sandra era de botar medo: lacerdista, ‘ditadurista’ e implicada na política de remoção brutal das favelas, como secretária de (pasmem!) Assistência Social do Corvo Lacerda.

Não é preciso lembrar que o povo carioca e fluminense se levantou numa onda brizolista.

Depois, em 1989, no segundo turno, o comando de Brizola pelo voto em Lula, independente de todas as rusgas que os dois tiveram, produziu a mais impressionante transferência de votos que já se registrou numa campanha presidencial.

Quem fez a unidade, nestas vezes, foi o povão. Em outras, quando se dependeu de lideranças  que pregavam uma esquerda “pura” – pessoas até então muito simpáticas e consideradas –  o que ocorreu foi diferente.

Não é preciso esmiuçar isso, até para não incorrer em comparações pessoais  que não são desejadas e, quase certamente, seriam improcedentes.

Não há nenhum tipo de “união da esquerda” neste país ameaçado que não comece com uma regra: é preciso permitir que Lula seja o candidato e que sobre ele incida o julgamento popular.

Quem coloca candidatura pessoal, arranjos locais, ambições próprias – por mais legítimas que sejam – acima disso é porque não entende que não haverá futuro algum para o povo brasileiro que não seja a crise e a ruptura definitiva das instituições sem que a eleição não reflita, minimamente, a expressão de Lula.

Claro que se estivéssemos diante de eleições “normais”, livres, numa competição entre candidatos e não entre candidatos e alguém que não querem deixar sê-lo, os espaços seriam outros, maiores.

Ou vamos desconhecer que estamos sob um golpe, uma semiditadura e a caminho de tê-la completa?

Unidade, na prática, significa sacrifícios de aspirações – pessoais ou partidárias – e o entendimento que ela se faz entre diferentes, não entre iguais.

O povo brasileiro não pode ser abandonado, neste momento, por quem quiser ter o espírito de “seita” ou mesmo por quem disser que é “o possível”, já que “Lula é impossível”.

Aliar-se aos golpistas não é aceitar os dissidentes e os náufragos do golpe se somarem à resistência. Aderir ao golpismo e, ainda que involuntariamente, ajudar a que se consume seu objetivo central: afastar o povo do Governo, afastando Lula das eleições.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

35 respostas

  1. É sério que vou ler que é “mimimi” quando as pessoas se manifestam contra acordos que tem barulho de tiro no pé? Não vi ninguém contra o Lula por querer Marília. É muita ilusão achar que – estamos sob golpe pesado, uai – a legitimidade da urna se transformará em voz de poder. Portanto, evitar “a ruptura definitiva das instituições” não é um bom pretexto, visto que ela já aconteceu. Sob os narizes de todos os tamanhos. Ele tem o direito e o dever de insistir na sua candidatura. Ela, idem.

    1. Ou se combate o centro do golpe, aquele que pretende excluir Lula, ou de nada adiantará ao povo, pernambucanos e demais brasileiros, a eleição de governadores submetidos a um governo federal fascistoide. Marília e os petistas pernambucanos me parecem pensar só em si mesmos.

      1. eu não sou boa em estratégia. tampouco me vejo mimizenta. não sou petista nem pernambucana, mas “neutralidade” como moeda de troca soa um acordo vazio. eu escolheria outro caminho, esse me deixou francamente perplexa. mas é a cizânia que faltava pra história parecer a de sempre.

      2. O PT não vai levar engajamento nenhum do Paulo Câmara, nem deputados vai eleger, porque eles sempre relegaram posições subalternas ao PT na proporcional. Os Pernambucanos não estão sendo egoístas, a cúpula do PT que está sendo canalha, de novo. A Gleisi disse várias vezes que só retiraria a candidatura própria SE O PSB APOIASSE O PT NACIONALMENTE. Se isso ocorresse, cumpriria-se o que foi acordado com a Militância, essa que o texto está contando para encher as ruas. O que a campanha do Lula/poste vai ganhar de tão importante, vão calar a boca do Ciro nos debates? Vão ter o apoio garantido do PDT no segundo turno, quando a conta do antipetismo vai pesar sobre o poste do Lula? O PT que desde 2016 só fala em golpe, vai explicar em horário nobre que continua fazendo o jogo político rasteiro de sempre. Será que os votos da Marilia irão docemente para Câmara e os de Lacerda para Pimentel, é essa a grande vitória do grande apoio sem apoio? Veremos não é, mas me parece que o PT está confiando nas velhas máquinas eleitorais e na justiça do que no povo.

  2. Os posts do Brito hoje estão inspiradíssimos. Destaque para a sensacional charge de Aroeira em ‘Entrevero’.

  3. Perfeito 2 !!! Não cai a ficha dos “esquerdistas” nunca. O povo quer Lula, é Lula ou nada. #LulaLivre – #LulaPresidente.

    1. Em algum comentário, li uma sugestão para substituir “Lula ou nada” por “Lula ou Lula”. Gostei e passei a usar. Elimina uma palavra negativa e destaca a força do nome.

  4. Tudo bem, menos pra quem não presta nem com reza brava.
    Se as Eleições forem fraudadas como em Honduras; se der Santo; se der Bozzo: ao povo só restará radicalização quando a fome apertar.

  5. Claro FB, ainda mais depois deste “nao acordo de Pernanbuco” . Sou do Sul e aqui dá náuseas pensar em PsB

  6. É isso, Fernando! A unidade não pode desconsiderar o golpe e o impedimento de Lula, se não a conta não fecha. A obsessão de alguns lhes cegam, e os fazem ceder às pressões das forças de oposição ao povo. Aí não dá. Ciro deveria ser o primeiro a não aceitar a eleição sem Lula, e certamente, seria reconhecido pela esquerda, mesmo que não fosse pelo PT.

  7. Fernando Brito,
    Você e seu Tijolaço vale por 5 Sites de esquerda. Só hoje, em três textos (dois autorais e um compartilhado), você delimita todas as cenas do tabuleiro e aponta o caminho com sobriedade.
    Tenho em ti uma das minhas referências de construir um pensamento crítico sem que este me distancie dos anseios das massas de onde venho e que por identidade pertenço.
    Muito Obrigado!

  8. Perfeito,Brito.
    Lucidez e conhecimento do jogo político não lhe falta.
    Lula ser candidato é prioridade.#LulaPresidente

  9. Apesar de ser compreensível sua mais que natural ambição de dirigir o próprio Estado, a
    jovem Marília Arraes tem apenas dois anos de filiação ao PT. A crise gerada pelo golpe é muito complexa e não dá para subordinar o interesse nacional aos pleitos locais, embora estes também sejam legítimos. Mas pelas posturas políticas que a combativa vereadora tem adotado em sua carreira, é possível crer que ela compreenderá a gravidade do momento e a grandeza do que está em jogo com essa decisão do PT nacional. A vez dela chegará, ela merece.

  10. Brito, sejamos menos passionais. Não foi um acordo, foi fogo amigo. O tempo de TV do PSB, que tanto fará falta para esquerda, será diluído entre todos os candidatos, INCLUSIVE, Alckmin e Bolsonaro. Não vejo nada de errado em o PT disputar uma aliança, desde que fosse formal, e não apenas para inativar um adversário do mesmo campo. Chame de mimimi, mas acredito que no dia 8 de Outubro estaremos aqui discutindo onde foi que a esquerda errou para permitir um segundo turno entre Alckmin e Bolsonaro. Infelizmente o Golpe só sera revertido com a eleição de um candidato progressista, seja de qual partido de esquerda for, e não antes, quando estamos sob o comando do poder Policial e Judiciário.

  11. Brito,
    Acho que cai no controle de comentário por proferir um xingo a presidente do Supremo. Libera meus comentários ai irmão… rsrs

  12. Há certos “Fernandos” de quem me orgulho ser xará…Brito é um deles. Já outros (FHC), nem tanto. Belo texto!

  13. Dito é feito. Criticam quem busca aliança em outras frentes, dizendo que não há acordo com golpistas, mas basta o pt promover uma aliança com o golpismo (outra, pois já havia se aliado a Eunicio e Renan Calheiros), que enchem de justificativas.
    Eh assim que começou todo o fisiologismo do golpe

  14. Não é o mimimi mas também não é 1%.
    O PT em Pernambuco nas últimas eleições só fez um deputado federal.
    A legenda se fêz Fênix e ressurgiu das cinzas no estado. E vem o PT São Paulo querendo o palanque do França para o segundo turno e inviabiliza o partido em Pernambuco.
    Resolvam seus problemas em São Paulo para os quais não tiveram competência de resolver antes e deixem os pernambucanos em paz.
    Não serão os 1% do PCdoB que irão alterar as eleições, mas esculhambarão o partido em PE com consequências no Brasil.
    Aliás, por que o PSB de SP, governador França, não entrou no acordão?

    1. Pois é, a Neutralidade nacional deixou os 5 estados que o PSB apoia o Alckmin sem nenhum constrangimento. Se fechassem com o PT, isso dificultaria o apoio ao Alckmin, esse sim ganhou. Mas o PT onde não tinha grandes inimigos, acabou de arranjar. Afinal o Lacerda, poderá fazer justamente o que o PT quis combater, apoiar Ciro, e dar o troco acabando de queimar o Pimentel. E aqui em PE, a Marília chegou em lugares que o PT não chegaria com NENHUM dos seus quadros tradicionais. Prefeitos de partidos da base já tinham declarado apoio a ela, ainda pré-candidata. Lula ou quem ele mandar, teria aqui um palanque fortíssimo, agora tem campanha de desfiliação e voto nulo. Essa decisão destrói o PT local. Essa conta vai sair cara, assim como tem saído o conchavo que colocou Temer em posição de golpear a Dilma.

  15. Não canso de aplaudir o Mestre Fernando Brito.

    Penso que Lula delegou uma importantíssima missão para Marília Arraes que é liderar a formação de uma grande bancada em seu Estado para a Câmara Federal. Ela será uma grande puxadora de votos em Pernambuco e se projetará no cenário nacional, ocupando espaços importantes e acumulando forças para um brilhante futuro político.

    Este é o plano de Lula. Não vejo nisto nenhum demérito para a inteligente vereadora que encantou o velho comandante.
    Talvez tenha ocorrido uma falha na comunicação entre a coordenação nacional e a base pernambucana e isto é lamentável. Tem que ser sanado.

    Sei que os bravos apoiadores de Marília estão com o sangue quente em face da refrega local, mas o momento é de esfriar a cabeça e compreender a estratégia traçada por quem tem os olhos sobre todo o mapa do Brasil. O jogo é complexo e exige uma organização do tamanho do Gigante para ser vencido.

    Espero que a harmonia e o bom senso prevaleça, a fim de que o povo saia vitorioso desta batalha decisiva para os destinos do nosso país.

    Viva Marília! Viva LULA LIVRE!
    Viva o povo brasileiro!

  16. As decisões do Lula e do pt foram tão “geniais” que se lerem os outros blogs de política vão ver que o clima no pt é de barata voa. Ninguém quer ser vice, não estão obedecendo as diretrizes do partido e todos estão saindo de fininho.

  17. Acompanhei a trajetória política de Brizola, de quem fui eleitora convicta naquela eleição para Governador do RJ. Por sinal, morava na Domingos Ferreira em Copa, perto dele e de Darcy, cm quem me encontrava num mercadinho com frequência. Foi significativa a reunião do Gaúcho com Lula naquele momento em que o brasil precisava mudar, e Lula representava essa mudança.
    Hoje, numas circunstâncias de quase terror, com um monstro sentado na cadeira de Dilma, enquanto juntamente com tucanos faz os piores acordos, espúrios, todos os dias, contra a Nação, sem que a esquerda encontre meios para sanar essa sangria, como a venda de nossas riquezas.
    Com a proximidade das eleições, Bolsonaro nem significa nada, depois desse estado confortável de Alkmin. Já colocada a vice como das mais violentas contra o PT, há que se deter nesse ítem como a grande ameaça do momento. Eleito Alkmin, não haverá troca de 6 por meia-dúzia. Aí, sim, teremos o pior do pior a decretar o nosso destino, conduzindo-nos ao inferno verdadeiro. Esse boçal terá a mídia toda a seu lado, pra começar. E já começou.
    Resta ao PT saber se concentrar nessa duas coisas: a democracia, em primeiro plano, e em Lula. Este, com certeza, não viverá os anos decretados pelos juízes dentro daquela cela. Sua vida de prisioneiro permanecerá enquanto for o mal necessário Passadas as eleições, vão fazer o que manda a Constituição, com atraso, e vão reconhecer sua inocência. Mas, nunca o libertarão antes disso. Eu não creio.
    Assim, ou os partidos progressistas, todos eles, se entendem e se dão as mãos nessas horas, fortalecendo-se, ou nada acontecerá de novo, senão para piorar ainda mais a vida do nosso povo.
    Tendemos a ver o golpe arrematado, pronto e acabado, como desejam os bandidos no comando das instituições, incluindo a imprensa.

  18. BABOU O GOLPE.

    votar em deputados e senadores: só PT, pC do B e PSOL.

    vitÓria, GOLPISTA NÃO LEVA.
    povo brasileiro , seu lindo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *