O roteiro para um filme de ficção que será um documentário

O dia foi salpicado de manifestações ridículas da direita – e não só a bolsonarista – contra o sucesso do documentário Democracia em Vertigem, de Petra Costa, indicado ao Oscar em sua categoria.

E a primeira razão para que sejam ridículas é obvia: provavelmente não o assistiram, por conta de seu ódio ideológico.

Mas a crítica que fazem é mais estranha ainda: a de que o filme, mesmo sendo todo guiado e fotografado com imagens reais, seria “ficção”.

Não admitem, claro, que a “ficção” foi o processo de deposição de uma presidente eleita sem que tenha cometido crime de responsabilidade.

Ou o que se passou no Brasil não foi um “House of Cards” ao reverso?

O candidato derrotado que não se conforma com o insucesso eleitoral, desde o primeiro minuto.

Um corrupto messiânico que reúne a maioria fisiológica do parlamento.

Um juiz tornado onipotente pela mídia ao ponto e fazer tremerem os joelhos da Suprema Corte.

Um extremista respaldado por militares surgindo como “azarão” e atropelando todas as estruturas políticas do país.

Um atentado, nunca explicado, que o atinge e o transforma em mártir.

E ele vai buscar o juiz divino para ser seu xerife.

E reúne um bando de fâmulos, ignorantes, estapafúrdios, sob a batuta de um charlatão que bafora cachimbos e empunha rifles na Virgínia.

Tudo com um ex-policial que coleta propinas e lava dinheiro para a primeira-dama.

Desculpem, mas o roteiro de um filme de ficção, se a talentosa Petra Costa – não, a Academia de Hollywood não escolheu o seu filme por “petismo”, mas por técnica e criatividade – quiser, o argumento está prontinho.

Pena que será outro documentário.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. Ainda tenho esperanças que esse documentário de terror tenha no futuro um final feliz, com a vitória da DEMOCRACIA e a condenação dos bandidos, se não pela justiça, pela HISTÓRIA,

  2. Haverá mais dezenas de “Democracia em Vertigem” e será pouco diante da grotesca cretinice do golpe.
    Na verdade assistimos ao vivo uma série horrorosa derivada do golpe. Assutados e de cabelo em pé.
    Enredo, horror, desgraça, traições selvagem fardadas e supremas, etc, etc.
    E um país em desgraça como “the end”.

  3. Acabo de ler em um jornal do meu estado o RS um colunista dizendo que torce pro Brasil não ganhar o Oscar porque o filme não seria um documentário mas sim uma propaganda pró pt.

  4. Comecei ver o filme meses atrás. Contraditoriamente o realismo, as cenas chocantes dos minios na rua, a acertada escolha do ponto se partida, a seleção de cenas e muito especialmente a força da narrativa fez eu parar no meio. A dor foi muito forte e foi uma dor que só é possível sentir quando a história e bem contada… agora é obrigatório engolir o choro e retornar a empreitada!
    Que a arte nos ajude a reencontrar o caminho!!!!

  5. O planeta é esférico e possui vida inteligente. Ficção é pensar que seja chato e habitado por bestas.

  6. Dessa vez o Aroeira “zerou” na charge. E logo no começo do ano, vai pro Oscar do ano que vem.

  7. O que deixa a escumalha furiosa é que essa é a versão filme da celebre fotografia com os milicos escondendo o rosto durante o julgamento de Dilma, esconderam-se por que sabiam estar do lado errado da historia, o mesmo sentimento abate esses crápulas…. estão eternizados como golpistas, fato sacramentado pela aceitação do filme e sua consagração, independente de ser laureado com o Oscar…..o filme os mostra em todo o seu esplendor golpista, sabujo, cretino, hipócrita……e o fazem com as próprias palavras…..

  8. Infortunadamente,o Brasil,não acabou,nasceu morto.Se alguém ler o que afirmo,procure na memória,algum tempo bom.

    1. Se não tão bom pelo menos de esperança: os anos de Lula e Dilma na Presidência desta República fictícia.

  9. “”A Ancine [Agência Nacional do Cinema] censurou o filme. É uma censura diferente, que usa instrumentos burocráticos para dificultar produções das quais o governo discorda. Não tenho a menor dúvida de que ‘Marighella’ não estreou ainda por uma questão política.” … – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2020/01/14/marighella-nao-e-caso-isolado-cultura-esta-sob-censura-diz-wagner-moura.htm?cmpid=copiaecola

  10. Pelas mesmas razões que Lula não podia ser agraciado com o Nobel da Paz, será difícil que este documentário seja premiado com o Oscar. Todavia, a divulgação em escala mundial do que foi o golpe é válida e faz os responsáveis por ele serem execrados no mundo todo.

  11. O filme sobre a Dima e o golpe foi indicado ao OSCAR, já o Bolsonaro, vai ser indicado ao BOSTA!!!

  12. Mas, com o prometido apoio dos EUA ao ingresso do Brasil na OCDE, nos tornamos desenvolvidos num passe de mágica. Zás-trás, mesmo que as contas não fechem, que não se tenha emprego, nem aposentadoria, nem educação nem saúde públicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.