Oposição a Macri tem vantagem maior que a esperada na Argentina

Os resultados oficiais só começam a ser conhecidos por volta de 22 horas, mas as projeções de boca de urna – cuja divulgação é proibida até 21 horas – indicam uma vitória da dupla Alberto Fernández-Cristina Kirchner por oito ou até nove pontos de vantagem sobre o atual presidente, Maurício Macri.

É o dobro da diferença que indicavam as pesquisas eleitorais e deixam o candidato oposicionista muito perto dos 45% que a legislação do país prevê para legitimar a eleição em primeiro turno.

As pesquisas de boca de urna que estão vindo à tona dão a Fernández uma votação acima de 42%, bem perto, portanto, do número necessário para uma vitória sem segundo turno.

Com menos de 35%, o atual presidente precisaria fazer um milagre para superar esta diferença num eleitorado cristalizado como é o argentino.

Com o desgaste adicional de ter de governar derrotado o período final de seu mandato.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

5 respostas

  1. Na Argentina nao tem aquela tara do tse de transmitir os dados da urna na seçao ao inves de levar pra sede e centralizar a apuração. Isso evita eleger um bando de caes imundos pro senado como aqui.

  2. “Dá um tempo aí o mané”..
    Aqui capitão. A sua atual esposa Michele parece negar suas origens. E sendo assim tudo parece indicar que está casada com o senhor por interesse. Só assim para justificar que jovem como ela é esteja casada com um sujeito asqueroso como o senhor. Voces dois se merecem. Ela é interesseira e o senhor tem a identidade sexual duvidosa. Tá okey? Chamar a imprensa de mané não resolve seu problema. Muito pelo contrário, só agrava o babado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *