Moro, reduzido a Bolsonaro, perde o apoio de Miriam Leitão

Não que tenha sido sem a habitual cota de elogios e salamaleques à importância da Lava Jato.

Mas o “desembarque” de Miriam Leitão da canoa do ministro da Justiça e ex-herói nacional Sergio Moro tem muita significação, porque o coloca, como foi feito, como um carreirista tão inconfiável quanto seu chefe, Jair Bolsonaro, por outras razões desafeto da cronista “sabe tudo”.

Na sua coluna de hoje:

Quando Moro assumiu, disse que estava cansado de levar bola nas costas. É o que mais tem feito atualmente. Se foi para o governo de olho numa vaga no STF, calculou errado: o tempo de espera é longo e para ele ter o prêmio terá que sempre fechar os olhos para os inúmeros fatos que antes condenava: o laranjal do ministro do Turismo, a rachadinha no gabinete do filho do presidente, as inúmeras vezes em que o presidente feriu o princípio da impessoalidade. Para Bolsonaro, tudo é pessoal. Todas as decisões que toma, ele mesmo anuncia que têm razões pessoais: do filé mignon para os filhos ao ataque aos jornais. Para quem, como Moro, fez uma carreira combatendo a improbidade administrativa fica incoerente. Para dizer o mínimo.

Moro percebe que seu pedestal se dissolve e isso, embora retorcendo-se, não tem feito que ele tenha outra atitude senão a de aferrar-se ao presidente, à sua matilha e à porção mais estúpida do Judiciário.

O auxílio que lhe dão, porém, já não convence senão aos convencidos.

A “prisão do preso Eike Batista”, revogada ontem – como se previa desde a primeira hora – por ser uma nova versão, produzida por Marcelo Bretas, da condução coercitiva espalhafatosa, para tirar a atenção dos revezes de Moro.

Pirotecnia foi, igual, o vazamento de mais um “pedacinho” da delação – sem lógica e sem provas – de Antonio Palocci, no dizer insuspeito de Elio Gaspari.

Da mesma forma, a história do “cabuloso” diálogo entre integrantes do PCC, alegando “acordos” com o PT, que nunca dirigiu a polícia paulista e que há três anos não tem outro papel senão o de alvo para a Polícia Federal.

A credibilidade da Lava Jato, ferida de morte pelas revelações do Intercept, já não se sustenta sequer entre os sempre a apoiaram.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

23 respostas

  1. Como disse um comentarista, em outra mídia:
    Moro estava cansado de levar bola nas costas. De bolsonaro, ele leva bolas na cara.

    1. Realmente, Moro levou um tapa na cara em rede nacional no episódio do COAF: “Acabou a manipulação política, talkey?”
      Por todos os crimes que cometeu, ele merece pena muito maior.
      A prisão ilegal de Lula é um crime continuado e apoiado por CÚMPLICES que controlam o sistema judiciário.

  2. A desistência da miriam é dentro da normalidade. Mas o que ela e as instituições fizeram protegendo e avalizando este moro corrupto maior não se apagará facilmente.
    Seu filho, vladimir, tinha a presença constante na cozinha do moro e d lava jato e tinha que saber o podre do que lá ocorria, além do quanto colaborava nos vazamentos via globo.
    Agora juristas do mundo inteiro se dizem embasbacados com o nosso stf na grosseria e bandidagem jurídica da condenação do grande LULA.
    Quando alguém do stf vai responder a esta gravíssima acusação internacional?
    Na verdade a miriam e os seus, e o stf, não têm respostas para as acusações que caem sobre eles.
    O que o stf fez apoiando a sentença do moro já é fato e está aí inquestionável, mas o porquê eles fizeram este atentado contra a própria dignidade, será um fato, aí sim, histórico

  3. Nem com essa atitude, a Leitoa não me comove.
    COMPLETAMENTE DESMORALIZADA, tanto ela, quanto seu ex-pupilo
    FODAM-SE !

    1. Ela só se manifestou 45 dias depois das revelações do Intercept. Nutria esperanças de que a história acabasse em pizza.

      1. Que ela e seus colegas que pensavam que podiam pisar em cima da democracia para satisfazer as ilusões neoliberais de uma elite sem cérebro possam aprender com esta valiosa lição que lhes foi dada. Usaram corruptos para tentar dizer ao povo que os honestos eram corruptos. E que não tentem mais valorizar bonecos metidos a políticos, para engambelar o direito que o povo tem de eleger seus governantes sem que sejam enganados por mentiras e falsidades. Ou embarcará ela em outra canoa furada do tipo Dória? Ou do tipo Huck? Recompor o PSDB, que seria a enganação educada, ficou agora impossível. Ou ela e os outros vêm para a verdade política do interesse popular, ou ficam com a nojeira do fascismo tupiniquim.

  4. Talvez o desembarque se dê por causa da recessão técnica que se avizinha. Um palhaço no picadeiro como o Boçal Nato já não adianta, e não há Farsa a Jato que segure a onda. Vá saber.

  5. Bom mesmo foi lembrarem do que ela disse (DCM), no lançamento do livro do seu filho sobre a lavajato, em 2016:
    “Fico feliz duplamente, como mãe e como jornalista pelo trabalho do Vladimir pela profundidade da apuração sobre a história que está mudando o Brasil”.
    Kkkkkk desde 2014 que qualquer análise superficial da lavajato deixava transparente seu caráter político.
    Como autor de livros sérios, seu filhinho está completamente desmoralizado. Mas talvez possa ter sucesso como escritor de livros de ficção…

    1. Em alguns anos sera ficçao. E aquela praga Marcelo Serrado? O único que quis ser o heroi. Por falar em heroi o Bozonaro vai querer por o ustra no livro de aço de herois… Todo alerta é pouco

  6. A Miriam “espírito de porco”, tá pulando do barco que ela ajudou a construir. Durante anos, foi extremamente tendenciosa, dando ares negativos ao governo do PT. Apoiou o golpe que tirou Dilma e chegou a dizer que com Temer havias sinais de melhora, até que o Temer foi gravado naquela história dos 500 mil.
    Merece tomar muito tapa na cara, agora pq ajudou um idiota que ama a ditadura a ter novamente o poder nas mãos.

  7. Na visão de Miriam e dos seus patrões, Moro traiu a conspiração golpista para satisfazer ambições pessoais de poder. Eis o pecado!
    Ela e seus patrões perceberam tarde demais que o verdadeiro condutor do golpe é o “deep state” dos EUA, não seus reles capatazes locais.

  8. Os dias do psicopata ‘SUJO mor(T)o’ estão contados!

    ***

    Editor do Intercept sinaliza novas revelações da Vaza Jato: “já trocaram a pilha do relógio? Fica a sugestão” Fonte: DCM

  9. Por que citar Mirian Leitão? Uma oportunista e carreirista na sabujice aos Marinhos cuja opinião e jornalismo é merda pura. Evocar Mirian é bobagem, se não esprit de corps . Todos os vigaristas à direita e pseudo esquerda estão e estarão fazendo o mesmo. Querem renascer purificados pela ação inicial contra Moro e depois abjurando Bolsonaro depois de toda merda feita. Para deleite deles, os purificados.

  10. Está faltando explicar a nora, esposa do filho autor da peça publicit… ops, livro, trabalhando no gabinete da vara federal de Curitiba…

  11. Miriam é política acima de tudo. Jogando para a torcida. Filho feio ninguém quer ser pai, ou mãe nesse caso. Moro é seu filho Miriam, Bolsonaro também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.