Pedido de impeachment de Trump complica mais sucessão nos EUA

O quadro eleitoral já não era bom para o presidente dos EUA.

A última pesquisa de abrangência nacional, feita semana passada justamente pela Fox, sua maior apoiadora na mídia, dava a Joe Biden – mais forte entre os candidatos democratas, até agora, seguido de perto por Bernie Sanders e Elisabeth Warren – 14 pontos de desvantagem para Donald Trump (38 a 52%) e sendo derrotado, também, pelos outros dois aspirantes do partido.

Hoje, apareceu mais um complicador. A presidente da Câmara – na forma local, “Speaker of The House of Representatives” – deve anunciar hoje que proporá a abertura de um processo de “impeachment” contra Trump, por supostamente ter pedido ao presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, para que investigasse atos de corrupção de Biden e seu filho.

Nanci Pelosi, uma moderada, jamais havia apoiado um pedido de impedimento do presidente, tentado há dois meses de forma isolada por um deputado, que conseguiu apenas 95 dos 435 votos da casa. Agora, segundo o The New York Times, a proposta já tem 163 apoiadores, contra 73 que não apoiam ou que “não apoiam ainda”, faltando 193 a se manifestarem.

Ainda são números baixos para dizer se a proposta vai adiante, mas o jornal diz que ela tem potencial para avançar:

A decisão de iniciar uma investigação formal de impeachment não significa necessariamente que a Câmara finalmente votará na acusação de Trump de altos crimes e delitos – muito menos que o Senado controlado pelos republicanos votará para removê-lo. Mas Pelosi e sua liderança não iniciariam o processo a menos que estivessem preparados para alcançar esse resultado.

Mesmo que seja apenas instalado o processo de julgamento político, o assunto tomará a mídia.

Resta saber se Trump não aposta em que esse confronto lhe permita reverter o quadro de desvantagem em que se encontra agora.

Afinal, elegeu-se como “maldito” pela mídia.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

8 respostas

  1. MALDITO lá (TRUMP) , BENDITO cá (BOLSOBOSTA).
    A “mídia oficial” brasileira é CANALHA !
    FDP’S !

  2. A Banca que financia o partido Democrata está sendo acusada pelo Departamento de Justiça de organização criminosa e a reação é tentar puxar o tapete de Trump.

  3. Brito, sua análise é errada, mas por falta de informação. O que aconteceu foi, os democratas acabaram de dar a eleição de 2020 para Trump.

    A razão pela qual eles querem instaurar o impeachment agora, é porque Trump pediu ao atual presidente da Ucrânia dados sobre corrupção de Joe Biden e seu filho. Só que aqui jaz o problema, Joe Biden e seu filho foram corruptos e existe vídeo comprovando, um vídeo retweetado inclusive pelo Trump. Joe Biden, em vídeo, em 2017 admitiu, numa conferência, que mandou o presidente da época, Poroshenko, um corrupto instalado pelos EUA numa revolução colorida, demitir o procurador geral porque este estava investigando o filho de Joe Biden, que participava da diretoria de uma empresa de petróleo ucraniana. Joe Biden ordenou a demissão, botando como refém uma ajuda bilionária para a Ucrânia, se não o demitisse, não receberiam a ajuda. E a demissão aconteceu, porque o governo ucraniano era um fantoche dos EUA e estava e ainda está, numa crise enorme devido a sua guerra civil devido ao golpe dos EUA que instaurou Poroshenko.

    A câmara de deputados nos EUA é dos democratas, mas o Senado é dos republicanos. Existe uma chance do impeachment nem passar pela câmara dos deputados lá, mas ainda pode ser aprovado. Sabe qual a chance de passar pelo Senado? 0%. Não se esqueça que as eleições dos EUA são muito diferentes das daqui. Só existem dois partidos viáveis, o voto é facultativo, numa terça feira, e nem feriado é declarado. Muito menos gente vota do que aqui. As médias de comparecimento raramente ultrapassam 55%. O voto lá também segue uma estupidez chamada Colégio Eleitoral, onde um estado com menos de 500 mil habitantes tem mais poder e força política que um estado com 40 milhões de habitantes, e são os estados menores que votam em peso nos republicanos. Os democratas tem motivos para dar impeachment sim, mas os republicanos possuem nenhum. Nesse ano, entre republicanos, a aprovação de Trump esteve sempre acima de 87%. Você acha mesmo que um republicano vai ir contra sua base?

    Quanto as pesquisas, aqui está o outro problema: Joe Biden começou as eleições com 20 pontos de vantagem, mas simplesmente porque ele está cavalgando na sombra de Obama. As pessoas só estão interessadas nele agora porque ele era o vice de Obama, não porque o conhecem ou porque ele promete algo que preste. Al Gore fez o mesmo, e perdeu pra Bush. Só que com a campanha da primárias, muita roupa suja está sendo lavada, e o passado do Biden vem sendo revelado aos poucos, como ele criou a lei criminal que explodiu a população carcerária nos EUA e tinha como alvos a população negra e latina dos EUA, como ele era amigão de vários segregacionistas nos anos 60 e 70, abusos contra mulheres vem sendo revelados, e não só isso, a medida em que a campanha vem ficando mais acirrada, Joe Biden mostra sinais que a idade está o atacando, ele já tem 77 anos. Em debates e entrevistas, ele está esquecendo nomes, demonstra sinais de senilidade dando respostas vagas e sem sentido, em um debate sobre o clima, uma veia no olho dele estourou, a campanha dele tem como estratégia esconder Biden para que ele não cometa “gafes”, de tão grotesco que está. Os eleitores estão vendo isso e os números dele estão caindo e indo para Sanders e Warren.

    Sanders é o único que tem uma chance de ir contra Trump nas eleições gerais, pois ele tem um tom populista e socialista e anti-establishment, ele se baseia nos ideais de Franklin Roosevelt e seu New Deal, e sua bandeira é a Saúde, visto que os EUA é o único país de primeiro mundo onde contas hospitalares é o principal fator em falências pessoais, pois lá não existe atendimento público. Sim, o SUS ainda é melhor que o sistema de saúde dos EUA. Sanders tem tido vantagens significativas sobre Trump, tendo até 10% de vantagem sobre ele, e ganhando ou empatando em estados vermelhos (republicanos) e púrpuras (pode ir pra republicanos, pode ir pra democratas). Warren é uma neoliberal típica e parte do establishment, só que mais esperta que Hillary, ela tem adotado o tom de Sanders porque sabe que é ali onde os votos estão, mas é fraca, irá se render aos republicanos no primeiro ataque deles, e se ela ganhar as primárias, não é certo que ela vença as eleições. Nas gerais ela tem perdido ou ficando em empate técnico contra Trump, tem perdido feio em estados vermelhos, porque lembremos, lá as eleições são ganhas pelos colégios eleitorais, e não por maioria dos votos populares. Essas eleições serão as eleições anti-establishment, que nem em 2016, a Sanders é o único do lado dos democratas que tem chance, mas o partido Democrata, por serem neoliberais corruptos, estilo PSDB, está fazendo de tudo para trapacear Sanders nessas primárias, e manter o status quo, coisas que só irão manter com candidatos como Warren e Biden.

    Então, se esse “impeachment” ajudou alguém, foi Donald Trump. Ele ganhou um púlpito enorme, toda a mídia falará sobre o impeachment, ele poderá usar isso para demonstrar que ele estava correndo atrás da corrupção de Joe Biden, e existe vídeo de Joe Biden admitindo sua corrupção, e ele tem a Fox News, uma das maiores emissoras dos EUA a seu favor, e toda uma rede de milícias digitais a seu favor.

  4. TALKEI, PELAS AS ANÁLISES QUE FORAM DITAS AI NOS COMENTÁRIOS,SÓ NOS RESTA TORCER PARA A MALDIÇÃO DO BOZO DE QUEM ELE APOIA E COMPRIMENTA PERDE A ELEICÃO OU PERDE APOIO PARA GOVERNAR , CONSEQUENTEMENTE NÃO SE REELEGENDO. ´SÓ NOS RESTA TORÇER.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.