Pode matar, Bolsonaro garante o Eldorado da morte

É impressionante o ponto a que chegou parte da classe média e do empresariado deste país, apoiando um candidato que age com a selvageria e a irresponsabilidade de Jair Bolsonaro.

Agora, ele defende publicamente os executores do massacre de Eldorado dos Carajás – que matou 19 pessoas e feriu 60, 22 anos atrás -, a extinção do Ministério da Educação (talvez para substituí-lo pelo “Ministério da Estupidez”) , liberar a mineração em áreas indígenas e a venda de terras históricas de comunidades quilombolas.

Dias atrás, expôs claramente o plano de nomear mais 10 ministros para o Supremo a fim de garantir a “legalidade” das medidas que tomaria no Governo, certamente destas de caírem ante um simples juiz de esquina.

Vindo de um energúmeno, claro, causa menos espanto do que o fato de estar sendo ouvido e acatado por gente que tem plena condição de compreender o que são monstruosidades.

A hera do mal está vicejando no Brasil, regada e adubada por senhores muito bem postos, de togas e ternos.

Não, não são os marombeiros, com suas camisetas “mamãe sou forte” que transformaram sociopatias em movimento político.

São senhores com dinheiro, com microfones e penas, com poderes judiciais de estado e até alguns com púlpito  que o fizeram.

E entre seus padrinhos, ninguém se ressalta mais que Sérgio Moro, o devastador todo-poderoso.

O pesadelo fascista dificilmente chegará ao poder pelo voto – não se descartam, claro, outros meios – por conta da lucidez que sobrevive no povo brasileiro apesar de tudo o que os meios de comunicação lhe fazem.

Mas ele está no meio de nós e não será fácil – talvez obra de uma geração – fazê-lo voltar aos desvãos sombrios onde vivia.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

5 respostas

  1. A burguesia e o judiciário alemães foram fundamentais para a chegada e manutenção de Hitler no poder. Qualquer semelhança com o que ocorre atualmente no Brasil NÃO é mera coincidência

  2. As propostas do Bolsonazi visam a diminuição da população. Como ditador em potencial, ele não aceita discutir planejamento familiar, educação sexual ou outras alternativas. Ele acredita que executando a população pobre o problema será resolvido de forma rápida. O pior é que essa população não tem como se defender, pois não possui armas e muito menos dinheiro para comprar uma. Infelizmente, os que deveriam defendê-la pensam igual ao ditador enrustido. Em algum momento o sistema educacional falhou na formação de nossa elite e das classes próximas a ela. Tá feia a coisa.

  3. Engraçado é que o PSDB, para lançar o nome do Haddad para presidente, nem acionou seu primeiro time de panfletagem midiática. O PSDB vem sorrateiramente pelas beiradas midiáticas, através do Valor e de outros instrumentos periféricos, procurando forçar a aceitação da candidatura do Haddad pelo PT. O núcleo do Golpe está ardendo de desejo que o PT e os progressistas mordam a isca do lançamento do Haddad, para abandonar a candidatura do Lula. Quem lê nas entrelinhas, pode ver claramente que o que eles mais temem no mundo, é a persistência da candidatura do Lula. Aliás, é a única coisa que temem, em todo este processo. Muito bem. Daqui para a frente, as pesquisas patrocinadas pelo pessoal do PSDB sempre incluirão o nome do Haddad e com muito boa colocação, para tentar passar a falsa impressão de que ele tem real chance de ganhar. Já que o Lula não escolhe ninguém, eles fizeram por conta própria sua escolha pelo Haddad, um quadro maravilhoso e competente, mas que certamente
    será golpeado pela patrulha jurídica na hora certa, ou por outro tipo qualquer de patrulha, dentro de um plano que eles já devem ter elaborado. E então será tarde demais, confuso demais e não haverá força suficiente para articular algum movimento de “Haddad Livre”.

  4. A forma como o BocalNato faz propaganda é se utilizando do ódio. Esse sujeito nunca foi CRISTÃO! Ele se acha o Messias; mas o Messias do Fascismo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.